CATECÚMENOS (9) DÍZIMOS E OFERTAS


LEITURA SEMANAL
Domingo    Mateus 23:23-24
Segunda    Ageu 1:9-11
Terça        Malaquias 3:6-12
Quarta        Atos 5:1-11
Quinta        Atos 4:32-37
Sexta        1 Timóteo 6:6-10
Sábado    Hebreus 13:5-6

PARA DECORAR
“Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda.” Provérbios 3:9.

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 – Quando alguém lhe diz que dízimo na sua Igreja é para “engordar Pastor”, o que você responde?
2 – A expressão “pagar o dízimo”, está correta?
3 – Dízimo é uma prática do Novo Testamento ou só do Velho Testamento?

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES
Todos os membros da Igreja devem sustentá-la com:
- Suas orações – orando pelos irmãos em geral, pelas atividades da Igreja e por sua liderança
- Sua presença – participando das atividades estou ativando o calor da Igreja.
- Seu trabalho – dom é uma capacitação especial de Deus, dada através do Espírito Santo. Talento é aquela capacitação natural. Ambos devem servir para a edificação do Corpo de Cristo.
- Seus dízimos e ofertas voluntárias – é o que iremos considerar a seguir.

1 – O QUE A IGREJA FAZ COM OS DÍZIMOS E OFERTAS?
- Mantém o patrimônio limpo e em ordem: zeladoria, luz, água, telefone, mobiliário, etc. Em Ageu 1:9 entendemos que a Igreja tem que ser igual ou até melhor que a nossa casa.
“Esperastes o muito, e eis que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxestes para casa, Eu com um assopro o dissipei. Por quê? Diz o SENHOR dos Exércitos: Por causa da Minha casa, que permanece em ruínas, ao passo que cada um de vós corre por causa de sua própria casa.” Ag 1:9.

- Auxilia os irmãos necessitados através da Junta Diaconal (Atos 6:1-3).

- Sustenta o Pastor local e missionários no campo do Presbitério, no país e até no exterior (Fp 4:18; 1 Tm 5:18).

2 – DEFINIÇÕES
DÍZIMO – dez por cento de nosso rendimento mensal. O dízimo pertence ao Senhor, por isso não "pagamos" o dízimo, mas devolvemos ao Seu dono, que é Deus, em atitude de submissão, confiança e temor (Ml 3:8).
OFERTAS – são valores dados de acordo com o propósito de cada coração (2 Co 9:7).

Ambos são entregues, mensalmente ou conforme o dia do recebimento de cada um, em Culto Público ou diretamente ao tesoureiro da Igreja (2 Rs 12:9-12).

3 – NINGUÉM É POBRE DEMAIS QUE NÃO POSSA CONTRIBUIR
- A ordem em Malaquias 3:10 não traz exceções.
“Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na Minha casa; e provai-Me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do Céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.” Malaquias 3:10.

- Em Êxodo 35:22-29 e 36:3-6 encontramos a participação de todos, inclusive crianças, para irem aprendendo a não serem avarentas.

- Um menino ganha o quê? Todos ganhamos algo: o dinheiro para o refrigerante, ou o doce, a mesada ou o presente. Os pais devem ensinar seus filhos a serem gratos a Deus não só de palavras, mas dizimando (mesmo que seja pouco), e ofertando de acordo com as suas condições (Pv 22:6).

- O dízimo e as ofertas não tornam o pobre mais pobre. Já vi pessoas ficarem pobres por viverem na jogatina, ou bebendo, ou fumando, ou tem uma vida moral desregrada. Também há aqueles que usam do dízimo para pagar contas feitas sem controle algum na administração de suas finanças. Por todas essas coisas vem a pobreza e a miséria, mas jamais alguém ficará pobre por ser um dizimista fiel.

4 – O QUE A BÍBLIA FALA SOBRE ADMINISTRAÇÃO CENTRALIZADA
Alguns se julgam superiores aos que administram os bens da Igreja, não entregando o dízimo mas investindo-o em esmolas ou em sustento missionário, quem em alguns casos nem pregam o Evangelho (por exemplo a LBV que é uma entidade espírita).

Em Lucas 21:1-4, Atos 5:1-10 e em muitos outros textos encontramos a administração centralizada dos dízimos e ofertas.

Mas e se os que foram investidos de autoridade falharem? Eles irão prestar contas a Deus.

5 – JESUS NÃO ABOLIU O DÍZIMO E AS OFERTAS
Alguns dizem que dízimos e ofertas é coisa somente da Lei do Velho Testamento. Mas isso é um engano de quem não conhece as Escrituras ou não faz uma interpretação não fidedigna da mesma. Vejamos alguns textos que provam a validade dos dízimos e ofertas no NT:

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!” Mateus 23:23.

“Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta.” Mateus 5:23-24.

2 Coríntios 8-9 trazem uma ampla explanação sobre o assunto. Destaco aqui apenas:

“E isto afirmo: aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com fartura, com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.” 2 Co 9:6-7.

O TEMA É POLÊMICO, MAS TEMOS RESPALDO BÍBLICO

Não dizimamos ou ofertamos por interessa, mas em adoração a Deus, com alegria. Ele que vê os intentos de nossos corações promete abençoar com fartura quem semeia generosamente. Entendemos que todas as bênçãos vêm do Senhor, sejam elas matérias, físicas ou espirituais. A benção da prosperidade, ou o ser próspero, não é especificamente o que o Senhor pode nos dar (e como Ele é bondoso!), mas a Sua própria presença em nosso meio. Existem muitos que desejam ficar ricos e idolatram o dinheiro e as riquezas; algumas Igrejas erroneamente associam a benção de Deus à posse de riquezas. Conheça a Palavra de Deus e veja o que Deus diz sobre isso.

Veja: Provérbios 11:4; 15:16-17; 16:8,16; 17:1; 19:1; 22:1; 28:6; 1 Timóteo 6:6-12.
 

6 – O DÍZIMO FAZ PARTE DA ADORAÇÃO
Devemos compreender que Deus não precisa do nosso dinheiro para manter a Sua obra. Aliás, nada é nosso, o nosso dinheiro é de Deus, nosso lar é de Deus, nossos filhos são de Deus, NÓS SOMOS DE DEUS, TUDO É DE DEUS!!!

A Igreja não deixará de existir se os membros forem infiéis nos dízimos e ofertas, porque o nosso Deus tem poder para manter a Sua obra. Foi Ele quem multiplicou pães e peixes (Mc 6:41).

Quando entregamos nossos dízimos e ofertas, estamos adorando, sobretudo com a afirmativa prática de que não estamos escravizados aos nossos bens, e que confiamos na provisão do Senhor nosso Deus (1 Tm 6:7-10; Hb 13:5-6).

CONCLUSÃO
O Deus fiel em Sua Palavra promete abençoar aqueles que são fiéis na contribuição:

“(...) e provai-me nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.” Malaquias 3:10b.

IPB de Vila Gerti - S.C.Sul / SP, Catecúmenos - Curso Preparatório para o Batismo e Profissão de Fé em 10/08/14. Ministrado anteriormente em 28/10/12 na IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP, Classe de Catecúmenos - Curso Preparatório para o Batismo e Profissão de Fé; 23/10/11 na 3ª IPB de Barretos / SP, Classe de Catecúmenos - Curso Preparatório para o Batismo e Profissão de Fé.  Catecúmeno: do grego "katekhoúmenos"; pessoa que se prepara e instrui, nos princípios da religião, para receber o batismo.
Extraído e adaptado da revista "Nova Vida" de autoria do Rev. Simontom César de Araújo.
Leia o estudo anterior: Cuidado Com os Falsos Profetas, e o próximo estudo: A Eternidade.


SDG -  DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT