EM JESUS CRISTO, O SENHOR

Por: Rev. Ronaldo P. Mendes

“6 Ora, como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim andai nEle,7 nEle radicados, e edificados, e confirmados na fé, tal como fostes instruídos, crescendo em ações de graças. 8 Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; 9 porquanto, nEle, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade. 10 Também, nEle, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade. 11 NEle, também fostes circuncidados, não por intermédio de mãos, mas no despojamento do corpo da carne, que é a circuncisão de Cristo, 12 tendo sido sepultados, juntamente com Ele, no batismo, no qual igualmente fostes ressuscitados mediante a fé no poder de Deus que O ressuscitou dentre os mortos. 13 E a vós outros, que estáveis mortos pelas vossas transgressões e pela incircuncisão da vossa carne, vos deu vida juntamente com Ele, perdoando todos os nossos delitos; 14 tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na Cruz; 15 e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na Cruz.” Colossenses 2:6-15.

Paulo recebera, há pouco, a visita de Epafras, o evangelista que havia fundado três Igrejas no vale do Lico, no interior da província romana chamada Ásia: Colossos, Laodicéia e Hereápolis. Epafras informara a Paulo sobre o surgimento de certas correntes teológicas que ameaçavam a saúde espiritual desse novo centro de divulgação do cristianismo.

Com Paulo achava-se Tíquico, que fazia as funções de “secretário” escrevendo o que o Apóstolo dizia. E o que ele escreveu foi o que orientou as Igrejas Cristãs daquela época e nos dias hoje. Contra o falso ensino Paulo adverte a Igreja (2:8); e exalta a Cristo.

No texto lido vemos o argumento forte do apóstolo contra o falso ensino, a nossa vida deve estar “Em Cristo, o Senhor”. Para tanto ele diz:

"ANDAI NELE" (vs.6b) - Até o final de 2:5, não encontramos qualquer exortação imperativa. Mas o verso 6 muda a maneira de falar, uma ordem simples e clara é dada: “andai nEle”.

“como recebestes a Cristo” (vs.6a) – O verbo grego “recebestes” pode ser traduzido por “foi entregue”. Essa frase era usada, comumente, para indicar o recebimento de uma tradição. No verso 8 Paulo adverte contra o abraçar a “tradição dos homens”, e ensina que o caminho é Cristo (Jo 14:6) e o crente, assim como Cristo, é um peregrino (Mt 8:20).

NELE RADICADOS, EDIFICADOS E CONFIRMADOS (vs.7a) – Três palavras ligadas às figuras da árvore e do edifício apresentam outras verdades muito significativas.

NEle radicados – Está no pretérito perfeito, indicando uma experiência no passado que não mudará. A árvore, uma vez enraizada, só fica mais firme à medida que o tempo passa e ela cresce.

Paulo deixa claro que à semelhança da árvore, os cristãos foram plantados em Cristo, de uma vez para sempre.

Obs.: o verbo (grego) é passivo, assim entendemos que foi Deus quem plantou a Igreja; esta não é um fruto humano (Is 61:3; Jo 15:8). 


NEle edificados – Sugere um prédio em construção, Deus está construindo para a sua habitação (Ef 2:22).

NEle confirmados na fé – Ou seja, “sendo estabelecidos na fé”. Ex.: implantados em Cristo, em Seu amor Ef 3:17.

O PERIGO DO ENSINO FALSO (vs.8) – Havia grandes perigos que ameaçavam a fundamento do edifício. Por isso o apóstolo adverte:

“Cuidado que ninguém vos venha enredar” (vs.8a) – No grego, a palavra “enredar” pode ser traduzida como “seqüestrar”, “raptar”. O perigo que rondava a igreja não tinha nada de cristã nem de judaica, era uma mistura, por isso Paulo chama de “rudimento”.

Muitas vezes, somos levados por pensamentos que achamos estar nos levando a fazer a vontade de Deus, mas eles estão nos deixando muito distantes da realidade. Foi assim com algumas heresias que surgiram ao longo da história cristã. Como por exemplo, alguns dos “teólogos” liberais dos séculos 17 a 20 que negaram que Cristo tenha morrido na Cruz por acharem esse ato injusto.

CRISTO A ÚNICA FONTE – Nenhuma sabedoria, ou filosofia segundo os rudimentos do mundo nos dará algum auxílio. Por que em Cristo está:

“corporalmente, toda a plenitude da Divindade” (vs.9c) – O texto está frisando a completa essência do Filho com o Pai e o Espírito Santo. Essa plenitude está em Cristo corporalmente (Jo 1:14). Jesus é plenamente divino e plenamente humano (Mt 20:28). Obs.: mais tarde, entre os anos 325-450 essa verdade foi aceita por dois Concílios, o de Nicéia e o de Calcedônia.

Divindade (vs.9c) – Esse termo foi usado em Romanos 1:20 para indicar a mão de Deus revelada na criação do universo. Então, aqui estaríamos vendo Cristo como a revelação da face de Deus.

Como os crentes de Colossos se apropriaram dessa plenitude de Cristo (vs.10-11)?

“fostes circuncidados, não por intermédio de mãos” (vs.11b). Paulo combate o falso judaísmo místico, mostrando que o ato cerimonial da circuncisão do AT, não é mais válido, pois somos circuncidados em Cristo. Como?

“no despojamento do corpo na carne” (vs.11c) – Esse termo é melhor entendido quando lemos Romanos 6:6.

“circuncisão de Cristo” (vs.11c) – Se refere à morte de Jesus na Cruz. Pelo novo nascimento essa morte é compartilhada a todo cristão e testemunhada pelo batismo.

O crente compartilha da morte e ressurreição de Cristo (vS.12-13) – Na obra de Cristo, Seu sofrimento e vitória, nós que não fomos circuncidados na Lei de Moisés, temos parte da herança eterna. Isso “mediante a fé no poder de Deus” (vs.12b).

“incircuncisão da vossa carne” (vs.13b) – Vemos a graça de Deus em ação, pois os gentios não faziam parte da Aliança, mas Deus os alcançou mesmo não fazendo parte de Israel. Cristo veio e “deu vida juntamente com ele” (vs.13c). Todos os pecados foram perdoados.

Em suma: a importância da circuncisão que os colossenses tinham recebido, e sua superioridade em comparação ao rito do AT. Motivos:

- Obra do Espírito Santo (feita não por mãos);
- Interna, do coração (Rm 2:28-29);
- Despojar (lançar fora) santificação contínua;
- Circuncisão cristã (de Cristo, somos unidos à Sua Cruz).

Qual foi o meio pelo qual Deus concedeu o perdão de pecado?

“tendo cancelado o escrito da dívida” (vs.14a) – Paulo coloca a figura de um tribunal, onde será lida a acusação. O réu está no banco, mas o Juiz, que é Deus, inocenta o culpado, pois Cristo cumpriu toda a Lei (vs.14). Com isso temos:

A maravilhosa vitória de Cristo sobre os poderes satânicos (vs.15).

“e despojando os principados” (vs.15a) – A idéia de “despojando” é: desarmando, derrotando, tirando todas as suas armas, neutralizando. Cristo venceu pela ressurreição. A idéia da palavra “triunfando” indica, também, o cortejo triunfal do general romano, que após a conquista de território novo, traz os cativos amarrados, junto com o seu exército vitorioso (2 Co 2:14).

CONCLUSÃO

O apóstolo Paulo, ao combater o falso ensino em Colossos reafirma as principais verdades históricas e teológicas do Evangelho:

1 - Cristo incorpora toda a realidade Divina (vs.9);
2 - Ele é superior a todo poder real ou inventado (vs.10,15);
3 - A perfeição só se alcança em união vital com Ele (vs.10);
4 - Por intermédio da fé e o enxerto em Cristo, simbolizado no batismo, todos os benefícios da morte e ressurreição dEle nos são compartilhados;
5 - Em Cristo, o crente vive totalmente liberto da culpa e em tranqüilidade diante de qualquer obrigação religiosa.

Amém!

O Rev. Ronaldo é pastor da 6ª Igreja Presbiteriana Conservadora de Goiânia / GO.
Solus Christus.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT