A GRAÇA DA CONTRIBUIÇÃO

“Não vos falo na forma de mandamento.” 
1 Coríntios 8:8.

A Bíblia trata do dízimo tanto quanto da oferta. Esta, por sua vez, é uma contribuição não compulsória. Não é por pressão psicológica, sequer barganha com Deus. A oferta deve ser voluntária (1 Co 8:3,4).

É um ato de doação não apenas de bens, mas da própria vida (1 Co 8:5). O supremo exemplo é dado pelo próprio Jesus, que sendo rico se fez pobre, para que por Sua pobreza nos tornássemos ricos (1 Co 8:9).

Hoje temos visto muitas igrejas transformando seus púlpitos em balcões de negócio. O Evangelho está se tornando uma mercadoria e um produto de consumo. Muitos pastores fazem de suas igrejas uma empresa de auto-enriquecimento. Eles vendem a salvação por dinheiro. Eles mercadejam o Evangelho.

O ensino da Bíblia é diferente. O Evangelho é de graça. O Evangelho é presente de Deus e não temos que pagar. Peca contra Deus, contra o Evangelho e contra os fiéis o pregador que usa mecanismos psicológicos e emocionalistas para arrancar o dinheiro dos incautos.

Ore
Pai, sufoca qualquer sentimento pelo qual me sinta obrigado a ofertar por acreditar que assim poderei obter a graça e dom do Senhor. Quero ser um ofertante generoso e voluntário. Por Cristo. Amém.

Pense
As ofertas são bíblicas e úteis, mas precisam ser voluntárias.
 

Cada Dia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT