A AUTORIDADE DE JESUS

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva

3ª IPB de Barretos / SP
07.03.10 - Culto Vespertino (Item 1)

14.03.10 - Culto Vespertino (Itens 2 e 3) 

TEXTO BÁSICO – Mateus 9:1-8
1  Entrando Jesus num barco, passou para o outro lado e foi para a sua própria cidade. 
2  E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados.
3  Mas alguns escribas diziam consigo: Este blasfema.
4  Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse: Por que cogitais o mal no vosso coração?
5  Pois qual é mais fácil? Dizer: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te e anda?
6  Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse, então, ao paralítico: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.
7  E, levantando-se, partiu para sua casa.
8  Vendo isto, as multidões, possuídas de temor, glorificaram a Deus, que dera tal autoridade aos homens.


EXÓRDIO
Quem é Jesus? Quem é Jesus para você? A pergunta pode soar um tanto estranha, no entanto sabemos que para muitas pessoas Jesus é tudo: um sábio, filósofo, poeta, etc., menos Deus. A divindade de Jesus é inquestionável. Tudo o que Ele fez, a Sua obra, revelam quem Ele é: o Unigênito Filho de Deus, o próprio Deus encarnado. As demonstrações de poder dEle são para afirmar em ações soberanas, que Ele é o próprio Emanuel (Deus conosco). 

Não nos apressemos em condenar os escribas, lembremos que Jesus ainda não estava revestido de Sua glória e majestade, conforme João observou na Ilha de Patmos (Ap 1:12-16). Como homem Ele era filho de José, o carpinteiro, e Maria. Portanto, as Suas ações tem um propósito muito maior do que trazer conforto e tranqüilidade para as pessoas, estas ações visam revelar aos crentes eleitos a Sua autoridade, a autoridade do Messias. Se nós estivéssemos ali, talvez também o questionariamos. Somos muito bons em fazer declarações, mas as nossas ações revelam que muitas e muitas vezes também questionamos a Sua autoridade. A maior prova disso é a ineficácia, a desunião, a falta de ética e de compromisso que observamos na Igreja moderna.

EXPLICAÇÃO
Dentro da Teologia Sistemática encontramos três atributos que nos revelam a divindade do Senhor Deus: onisciência, onipotência e onipresença.
Onisciência = Ele sabe tudo, ações, pensamentos, propósitos, segredos, etc. Deus sabe todas as coisas.
Onipotência = Ele é o soberano, o todo-poderoso, Ele pode fazer qualquer e todas as coisas, e sempre o faz com santidade e justiça. Não há nada que O possa impedir.
Onipresença = Ele está presente em todos os lugares, e ao mesmo tempo.
Ninguém, exceto Deus, tem esses atributos. Jesus demonstra a Sua divindade na passagem lida, ao manifestar os dois primeiros desses três atributos: a onisciência e a onipotência.
 

Como é gratificante para nós, sabermos que Ele sabe tudo que se passa conosco, tem poder para solucionar qualquer problema, e que está conosco o tempo e para sempre!

ARGUMENTAÇÃO
O texto é muito claro, nos mostra o encontro de Jesus com um homem paralítico, deitado em um leito. Jesus salva e cura aquele homem, e logo surgem os escribas questionando a Sua autoridade. A questão aqui é: Jesus tem ou não tem autoridade divina? Quem é Ele? Ele é mesmo o Unigênito Filho de Deus encarnado? O Messias?
 

Jesus responde essas questões no texto, através de ações soberanas que revelam alguns seus atributos.

1 – JESUS SABE TUDO QUE SE PASSA COM TODAS AS PESSOAS
Vs. 2 “vendo-lhes a fé”, “tem bom ânimo”, “perdoados são os teus pecados”; vs. 4 “conhecendo-lhes os pensamentos”.

Não há nada encoberto para Deus, Ele é onisciente, isto é, sabe todas as coisas, conhece cada pensamento nosso, e de qualquer pessoa, crente ou não. Engana-se quem pensa que Deus não está vendo, que Deus não sabe. Deus sabe TUDO!

Nessa parte do texto é notória a onisciência de Jesus, Ele sabia quem era cada um daqueles personagens. Seus sonhos, segredos, pecados e pensamentos, nada passou desapercebido aos olhos do Senhor Jesus. Assim é conosco também hoje.
“Os olhos do SENHOR estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons.” Provérbios 15:3.
Infelizmente muitos há que enveredam-se por caminhos sombrios, esquecendo-se que Deus tudo vê, tudo sabe. Esses caminhos levam-nos ao pecado, o pecado gera o endurecimento de alma, coração, e muitos há que não sentem mais o peso do pecado. É necessário arrepender-se, pedindo a Deus perdão pelos pecados, recebendo assim a remissão do Senhor. MUITO CUIDADO! Com Deus não se brinca, de Deus não se zomba, Ele não se deixa escarnecer.
"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará."  Gálatas 6:7.

Deus também sabe da dor que vai no coração daqueles que sofrem, Ele não os ignora. Jesus não ignora o seu sofrimento, a sua dor, as suas fraquezas, a sua vontade de mudar, o seu desejo de servi-Lo de todo o seu coração. No texto lido, fica perfeitamente claro que Jesus sabia dos pecados do homem, e como via o seu sofrimento, o seu pecado a sua dor, e a sua fé (vs. 2).

Ele via a fé que aquele homem tinha, mas via também o seu pecado, a sua tristeza, o seu arrependimento, a sua dor, e o seu desejo de ser perdoado. Por isso que a palavras de Jesus são tão reais: “tenha bom ânimo” (ANIME-SE), e “perdoados são os teus pecados”. Não encontramos no texto um pedido formal de perdão por parte do paralítico, no entanto deduzimos que ele orava em seu coração, haja visto que o Senhor lhe concedeu o perdão de seus pecados.

Nós cremos que o Senhor Jesus está presente nesse lugar, contemplando o que se passa em nossos corações, e que Ele está pronto para perdoar todo aquele que se arrepender e humildemente confessar os seus pecados. Para estes as palavras ditas por Ele ao paralítico se aplicam perfeitamente: “tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados.”

Mas Jesus foi questionado pelos escribas que não acreditavam que Ele pudesse perdoar pecados (vs. 3). E a Palavra de Deus nos relata que Jesus lhes conhecia os pensamentos, e os repreendeu (vs. 4a). Mais uma vez está provada a onisciência de Jesus, Ele conhece os pensamentos e os corações tanto dos crentes como dos incrédulos.

Isso nos leva à segunda parte da mensagem.

2 – JESUS TEM TODA AUTORIDADE PARA PERDOAR PECADOS (Vs. 2b;5,6)
O perdão de pecados é um milagre espiritual, ocorre em um lugar que não se vê: o coração, a alma. O paralítico era doente não só do corpo, mas da alma também. O pecado é como um câncer, uma doença mortal, que degenera e destrói o ser humano. Por isso que a sociedade vai de mal a pior, porque o pecado cresce, aumenta e toma conta de tudo. “Um abismo chama outro abismo...” Salmos 42:7b.

Existem dois elementos essenciais ao perdão de Deus:
Arrependimento - Matesu 4:17;
Confissão - 1 João 1:9.

Se você não se arrepender do pecado, não confessa-lo, e não abandona-lo, esse pecado te destruirá. Mas se você crer, e por fé confessar ao Senhor o seu pecado, e abandona-lo, o Senhor te libertará e salvará a sua alma da morte.
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16.

Mas o questionamento dos escribas era acerca da autoridade de Jesus para perdoar os pecados. Eles não criam que aquEle Homem pudesse perdoar os pecados daqueles que se arrependem, por isso acusavam Jesus, em seus corações, de blasfemar (3b). Jesus os repreendeu dizendo que eles cogitavam o mal em seus corações.
Crer na autoridade de Jesus para perdoar pecados nos leva a confessar os pecados. Se cremos de fato que Ele pode, e Ele pode, perdoar nossos pecados, então por que não confessa-los e abandona-los? É necessário crer no perdão que emana do Senhor Jesus. Ele é quem perdoa as nossas iniqüidades, quem nos livra da morte e nos salva.

A Bíblia nos fala ricamente acerca dessa ação soberana e misericordiosa de Deus, em Cristo Jesus. O perdão dos nossos pecados é a ação divina, através da qual o Senhor Jesus nos redime, expia, justifica, regenera, santifica e transforma em novas criaturas.
Em Romanos 5:1 “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus.”
Rm 5:8 “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

O perdão de Jesus é a manifestação mais cara da graça de Deus. Ele veio para reconciliar consigo o mundo, e através do seu perdão, todo o que crê é salvo. Porém, quem não recebe o perdão de Cristo não tem a salvação e a vida eterna. Deduzimos, portanto, que somente os que crêem no perdão de Cristo podem recebe-lo e serem salvos.

No texto lido, os escribas não acreditavam no perdão de Jesus, e por isso Ele fez um milagre. E isso nos leva à terceira parte da mensagem.

3 – JESUS TEM TODA AUTORIDADE PARA CURAR AS DOENÇAS (Vs. 6b)
Para aqueles homens, assim como hoje, era mais fácil acreditar em um milagre que se vê, do que em um milagre que não se vê. E apesar de tantas outras manifestações do poder e da autoridade que Ele possui e de tantas outras manifestações de Seu poder, eles não criam. E então, Jesus realiza mais um milagre maravilhoso, espetacular, sobrenatural: Ele curou o paralítico que “levantando-se, partiu para a sua casa” vs. 7b.

Aqui mais uma vez Jesus prova a Sua divindade, através de Sua autoridade. Ele mostra que tem poder para perdoar pecados, curar doenças, enfermidades, males de nascença, e TUDO absolutamente TUDO que Ele quiser.

As multidões, vendo tudo isso, ficaram possuídas de temor glorificaram a Deus, reconhecendo a autoridade de Jesus (vs. 8). Os escribas certamente ficaram sem palavras, sem ação, e o nome de Deus foi glorificado. Mas lembremos que o objetivo de Jesus em curar aquele homem, era para que os demais cressem em Sua autoridade para perdoar pecados (vs. 6a).

No entanto, quem de nós não deseja, não necessita de um milagre() Se não for em nós mesmos, certamente em algum ente querido nosso haverão casos e mais casos de pessoas enfermas, sofrendo dores, defeitos físicos, e toda sorte de limitações. Muitas vezes alguns chegam a questionar o amor de Deus devido aos problemas da vida. Meus amados irmãos, notemos que no texto é muito claro que a ação prioritária de Jesus não é a cura do corpo, mas a cura da alma, o perdão dos pecados, a salvação e a vida eterna.

Precisamos SIM, não de um, mas de muitos milagres, e devemos crer nos milagres de Jesus, em Sua autoridade sobre as leis da física e da natureza. Ele é Deus, Ele tudo pode! Porém não podemos desejar impor a Ele qualquer coisa, Ele faz o que Ele quer, quando quer e do modo que Ele quer. Ele é Deus e essa é uma manifestação de Sua soberania, e ninguém tem poder para impor nada a Deus. Podemos pedir, isso sim podemos! Podemos suplicar, certamente! E devemos crer em Seu poder e autoridade, se de fato cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus. E se assim crermos, jamais deixaremos de buscar as Suas bênçãos.
 
CONCLUSÃO 
Afirmamos, portanto, que JESUS CRISTO É DEUS!

Somos desafiados em nossa fé, a crer nEle como o verdadeiro Deus que tudo pode, o Deus soberano. Ao mesmo tempo que devemos nos manter em uma posição de fé, devemos descansar que Ele executa a Sua vontade na vida de Seus eleitos.

E então, quem é Jesus para nós? O Senhor soberano revelado nas Escrituras? O Messias encarnado? O Unigênito Filho de Deus?

Cremos e reconhecemos a sua divindade, seu poder e autoridade?

Precisamos nos avaliar, pois crer na autoridade da divindade de Jesus nos leva a:
- confessar a Ele todos os nossos pecados;
- descansar em Seus braços eternos;
- confiar em Seu amor e em Sua graça;
- viver em submissão a Ele;
- buscar a santificação, porque todo aquele que nEle tem essa esperança, se santifica;
- viver em amor com os irmãos;
- resplandecer a Sua luz nesse mundo de trevas;
- orar e buscar as Suas bênçãos para a nossa vida pessoal, familiar e eclesiástica;
- esperar em fé as respostas às nossas orações.

Que Deus nos ajude a sempre crermos e confiarmos na soberana autoridade de JESUS!

S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL