A VITÓRIA DE SER MÃE


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 12.05.13


TEXTO BÁSICO – 1 SAMUEL 1:1-28

INTRODUÇÃO
Ser mãe é uma das missões mais belas e misteriosas que existem: no corpo de uma mulher uma nova vida é gerada. Eu me arriscaria a dizer que é o maior milagre concedido ao ser humano, e quanta beleza e mistério há nesse milagre! Milagre com o qual nos acostumamos tanto, que para muitos nem parece ser algo tão elevado e nobre. Segundo a ONU, a cada minuto nascem 180 bebês no mundo, 3 a cada segundo (Super Interessante). No Brasil, a cada hora nascem 321 bebês, são 5 por minuto, ou um a cada 11 segundos (Crescer). Infelizmente a vida tem perdido o seu valor, e esse que é o motivo pelo qual há tantas crianças desprezadas, abandonadas e até assassinadas por mulheres que não são MÃES. Que as geraram sem amor, sem fé, sem Deus.

ARGUMENTAÇÃO

1 – O DESAFIO DE SER MÃE

Certamente o exemplo de Ana é um dos mais marcantes na Bíblia quando se fala em oração. Em demonstração de fé, Ana não desistiu de orar mesmo em meio às mais duras provas. Essa mulher passava por diversas tribulações:
- Esterilidade (vs. 2b; 6b) que era considerada uma maldição naquele contexto.
- Rivalidade e humilhação (vs. 6a) porque Penina, a outra esposa de Elcana tinha filhos, Ana não. Mas Elcana demonstrava mais amor por Ana (vs. 5) o que despertava ciúmes.
- Irritação (vs. 7b);
- Amargura de alma (vs. 10);
- Tribulação de espírito (vs. 15);
- Ansiedade e aflição (vs. 16);
- A sua tristeza era tanta que ela chorava e não comia (vs. 7b).

Naqueles dias não havia nenhuma possibilidade de fertilização ou tratamentos contra a esterilidade. Deus era a única saída para Ana. Infelizmente, em diversas situações, parece que nos esquecemos que sem o Senhor nada podemos fazer (João 15:5b) e nos apoiamos em nós mesmos, deixamos de orar, nos tornamos auto-suficientes.

Ana orou mesmo em meio a tudo isso: tribulação, amargura, humilhação, provocação, ansiedade e aflição. O seu testemunho nos chama a atenção, e por siso Ana é reconhecida como um dos maiores exemplos de vida de oração. O que podemos aprender com essa mulher de Deus?

Quais qualidades espirituais precisamos desenvolver na nossa vida para termos uma vida de oração tão frutífera como Ana teve?

2 – A VITÓRIA DE SER MÃE

 
Por ser uma mulher de Deus, Ana possuía algumas virtudes que apontam não para ela, mas para o Seu Deus que lhe concedeu tão poderosas qualidades.

- Fé. Essa fé poderosa gerou nela tudo que ela necessitava para continuar na presença de Deus. A Bíblia muito nos fala acerca da fé: Hb 11.

- Perseverança. Ana insistiu, não desanimou, não parou de orar e adorar a Deus (vs.7). Ver também: Rm 12:12; Gl 5:22; Ef 4:2; Cl 1:11; 3:12.

- Quebrantamento. Ana não orava mecanicamente, mas derramava-se perante Deus (vs.10). Precisamos aprender a orar e derramar nossas almas perante o Senhor. Ver: Jr 2:11; Mt 6:6; Sl 6:6; 39:12; 56:8; 126:5. Por quem derramamos lágrimas?

- Clamor. Ana clamou diante de Deus (vs.10). Ver: Jr 33:3; 2 Sm 22:7; Sl 34:15; Tg 5:17,18.

- Fidelidade. Apesar de suas dificuldades Ana subia para adorar (vs.3,7). Ver também: João 4:23; Gl 5:22; Pv 14:22; Js 24:15.

Quando ela fez um voto a Deus, ela o cumpriu. Muitos há que pensam ser essa uma prática antibíblica, mas eis aqui uma base bíblica (vs.11). É necessário entender bem o assunto:

•    não se trata de barganha, Deus responde do jeito que Ele quiser e se Ele quiser;
•    não se deve fazer votos se não houver possibilidade do cumprimento dos mesmos, é melhor não votar do que votar e não cumprir. Deus não se agrada de votos de tolos (Eclesiastes 5:4).

Cumpramos nossos votos, independente de qualquer situação (26-28).

- Consagração. Ana gastava seu tempo na presença de Deus, a Bíblia diz que Ana demorou-se na oração (vs.12a). Quantas vezes vamos orar com tanta pressa que passamos só um pouco de tempo na presença do Senhor. Precisamos gastar o nosso tempo com o que é mais importante. Isso trouxe para ela comunhão com Deus, por isso que ela foi consolada por Ele (vs.18) foi para sua casa e comeu.

- Humildade. Mesmo passando por tantas lutas, quando confundida pelo sacerdote que pensou que ela estava embriagada, Ana não se indispôs, mas permaneceu na humildade (vs.13-16). Para permanecermos na presença do Senhor em oração, precisamos nos manter em humildade, e jamais nos rebelarmos.

CONCLUSÃO

A história de Ana serve de exemplo não só para as mães, mas para todos nós. Através dessa história de vida aprendemos que os desafios surgem na vida de todos, inclusive os servos e servas de Deus mais consagrados.

O fato de servirmos a Deus não é garantia de que não teremos lutas, mas que teremos nEle forças para vencer. Deus quer que sejamos vitoriosos. “Em Cristo somos mais que vencedores.” Rm 8:37. Ser vitorioso (a) em Cristo não é receber tudo do jeito que pedimos, mas aceitarmos a vontade de Deus em todas as situações, sem jamais duvidar de Seu amor e justiça.

Mesmo em meio às maiores lutas jamais podemos parar de orar. A oração é o recurso sobrenatural que Deus nos ensinou para sermos fortalecidos e vencermos. E se o tempo de Deus nos parecer demorado, Ele nos consolará e fortalecerá, assim como fez com Ana.

Deus é a solução para todos os nossos problemas, creiamos, pois nada é impossível para Ele. Deus fez um milagre na vida de Ana, nada pode impedi-Lo de fazer um milagre em nossa vida, se crermos e O buscarmos de todo o nosso coração. Ele assim o fará se for essa a Sua vontade. A espiritualidade fria e vazia não nos aproxima de Deus, é apenas religiosidade. Mas os contritos de coração não serão desprezados.

“Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.” Salmos 51:17.
“Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos.” Isaías 55:17.
“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.” Jeremias 29:13.

O Primeiro livro de Samuel nos apresente dois modelos de espiritualidade: o Sacerdote Eli e seus filhos, Hofni e Finéias, são o exemplo da falsa espiritualidade, vazia, pecaminosa. Amaldiçoados por Deus todos morreram – 1 Sm 2:12,17,22-25.

Ana é o exemplo da religiosidade viva, verdadeira, dirigida pelo Espírito Santo e agradável a Deus. Seus sinais são claros: fé, perseverança, oração, contrição, quebrantamento, clamor, fidelidade, consagração e humildade.

Que o nosso projeto de vida seja semelhante ao exemplo de Ana.



SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT