NOTAS BAIXAS SÃO RESULTADO DE MUITO TEMPO NO VIDEOGAME

Ter acesso contínuo  – e sem controle – ao videogame em casa, afeta significativamente o rendimento escolar de crianças.

Os pais devem encorajar a moderação aos seus filhos quando o assunto é videogame. Mais do que apenas deixá-los afastados de atividades físicas e vivências sociais necessárias para o seu desenvolvimento, ter um videogame em casa também pode piorar o desempenho acadêmico em algumas crianças.

Um estudo de Robert Weis e Britany Cerankosky da Universidade de Dunison e publicado no periódico Psychological Science, observou os efeitos em curto prazo de se ter um videogame em casa e fez paralelos com o desempenho na escola de meninos com idades entre 6 e 9 anos. Os participantes da pesquisa não possuíam um console de videogame – eles foram emprestados pelos pesquisadores –, mas os pais haviam indicado que pensavam em comprar um para os filhos.

Acompanhamento durou quatro meses
No início do experimento foram feitos testes de Q.I. (coeficiente de inteligência), assim como de nível de leitura e escrita. Além disso, os pais e professores completaram questionários amplos sobre o comportamento dos filhos em casa e na escola. Metade das crianças recebeu um console no início do experimento, enquanto o restante receberia ao final (quatro meses depois). Após esse tempo, as crianças repetiram os testes iniciais.

Os resultados mostraram que garotos que haviam recebido os consoles de videogame imediatamente após o início da pesquisa passavam mais tempo jogando e menos tempo focados em seus afazeres acadêmicos. Eles também tiveram uma queda significante nos seus níveis de leitura. O interessante é observar que os pais não indicaram qualquer alteração no comportamento das crianças (além do tempo gasto com os jogos), ao contrário dos professores, que afirmaram notar imediatamente problemas com o nível de aprendizado e retenção de informações.

Os pesquisadores apontam uma relação bastante clara quanto ao tempo gasto com videogame e o nível de declínio acadêmico e de aprendizado, especialmente quando as crianças jogavam após o período da escola. Os autores dizem que é nessa idade que as crianças refinam seu nível de linguagem (escrita e falada) e o uso contínuo do videogame pode atrasar essa fase. “Os resultados mostraram claramente que possuir um videogame em casa pode ter resultados bastante negativos na vida real”, concluem os autores.
 

Fonte UOL.
Com informações da Association for Psychological Science.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL