FORÇA, CORAGEM E TRABALHO! DEUS É CONOSCO!

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva

3ª IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 19.09.10


TEXTO BÁSICO: AGEU 2:4
“Ora, pois, sê forte, Zorobabel, diz o SENHOR, e sê forte, Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, e tu, todo o povo da terra, sê forte, diz o SENHOR, e trabalhai, porque Eu Sou convosco, diz o SENHOR dos Exércitos.”

INTRODUÇÃO
Quais são os seus projetos de vida? Onde você gostaria de chegar na vida? E na vida espiritual, quais são suas aspirações? Você já sonhou realizar para Deus? Você já assumiu compromissos com Ele? E os cumpriu? É bom pensarmos nisso porque a vida passa rapidamente, e a ausência de projetos nos leva a viver SOMENTE de acordo com as circunstâncias: apagando focos de incêndio, correndo atrás do vento e curtindo algum tipo de frustração e tristeza por não haver conseguido realizar tudo que desejávamos. Todos nós temos a tendência de iniciar projetos e não terminá-los. Nessa noite iremos refletir acerca do maior de todos os projetos que alguém pode ter na vida: a carreira cristã. Que sirva de base para todos os demais projetos que venhamos a ter na nossa existência na face da Terra.

EXPLICAÇÃO
Os judeus retornaram do exílio sob o decreto do rei Ciro, da Pérsia em 538 a.C., e iniciaram a reconstrução do templo. Oposições e desencorajamentos fizeram com que o projeto de reconstrução ficasse parado durante cerca de 16 anos (Ed 4:1-4). A mensagem de Ageu (e de Zacarias também) traz um apelo à retomada da reconstrução do templo, e serve de lição a todos que são alvo da restauração de Deus.

ARGUMENTAÇÃO 

Boa parte de nossas realizações depende de nós mesmos. Deus prometeu nos fortalecer e permanecer sempre do nosso lado, Ele é fiel e cumpre Suas promessas. Mas e nós, como temos realizado a obra de Deus? Como temos nos comportado também diante dos obstáculos que surgem em nossa caminhada na carreira profissional, na família, etc.?

1 – SEJAM FORTES E CORAJOSOS

O que Deus diz aqui deve nos impactar profundamente. Primeiramente Deus requer de nós a coragem. Esse é o sentido da expressão “sê forte”, repetida triplamente, dando ênfase a essa ordem. Todos deveriam ser fortes e corajosos: Zorobabel que representava a família real naquele contexto (1 Cr 3:17,19) e todas as autoridades reais; Josué, filho de Jozadaque, que representava a família sacerdotal (1 Cr 6:15) e portanto todas as famílias levíticas e autoridades do templo; e por fim, todo o povo deveria ser forte e corajoso. Essa ausência da coragem (covardia) espiritual se refletiu no desânimo e apatia para com a obra de Deus, naquele contexto a reconstrução do templo. Em nossos dias, quando falamos da obra de Deus não nos referimos inicialmente a grandiosas realizações, as quais serão muito bem-vindas, se Deus em Sua infinda graça, nos permitir realizar para a Sua glória. Antes, porém, nos referimos ao básico da fé cristã: AMOR a Deus, à família, à Igreja e às pessoas em geral, ao conhecimento das Escrituras e à presença e atuação do Espírito Santo em sua vida. No texto lido o Senhor fala através do profeta Ageu sobre o que o Seu povo deveria fazer para dar continuidade ao projeto de reconstrução daquele templo.

O QUE PODERIA NOS PARAR?
Existem dois grande geradores de desencorajamento com os quais precisamos aprender a lidar e vencer: o medo e o orgulho. Se não conseguirmos dominar esses dois inimigos presentes em nossa alma, eles certamente poderão crescer dentro de nós, nos dominar e nos paralisar. Cabe a nós dominá-los e vencê-los na força do Senhor nosso Deus. Nós que somos o templo do Espírito Santo, e que estamos em franco projeto de reconstrução espiritual, necessitamos estar atentos ao que Deus diz, para que não venhamos em momento algum nos desanimar e estacionar essa obra. E se estivermos desanimados e desencorajados, como o povo de Deus estava naquele contexto, faremos bem se observarmos atentamente o que Deus diz aqui. Não permita que a covardia espiritual te encontre e te domine; cuidado com as artimanhas e mentiras do inimigo. Encoraje-se nEle, fortaleça o seu coração nEle.

2 - TRABALHEM
A segunda expressão é “trabalhai”, fica claro que o Senhor queria que eles saíssem da ociosidade e retornassem ao cumprimento de seu dever para com Ele. O templo era o local de adoração a Yahweh e sua reconstrução estava abandonada. A ordem de Deus é incontestável: "TRABALHAI!" Isso nos faz pensar nos dons e talentos que recebemos de Deus. Temos nos empenhado em trabalhar para Deus com essas ferramentas, ou estamos sempre fugindo de nossas responsabilidades para com Ele e sua obra? Pense nisso com muito carinho porque um dia você vai prestar contas a Deus. (Ilustração do mecânico e a caixa de ferramentas). O servo que enterrou o seu talento foi lançado nas trevas onde há choro e ranger de dentes (Mt 25:30). Como já foi dito, a Igreja é um dos lugares onde mais trabalhamos para Deus, mas ainda há muito que se dizer da família e da santificação pessoal, onde também vamos refletir aquilo que cremos e somos de fato. Tudo isso é trabalho e nos indica que trabalhar consiste inicialmente em uma postura de vida e não atividades religiosas, as quais também são necessárias. A base de todo trabalho cristão começa na sujeição de nossas mentes corações e mentes à vontade de Deus. Isso gera vida prática e santificação em amor; as obras vêm a reboque. Por sermos templo do Espírito de Deus (1 Co 6:19,20) e também estarmos em processo de reconstrução, seja individualmente, seja como famílias e Igreja, devemos ser fortes e trabalhar corajosamente para o Senhor. Existem algumas áreas cruciais onde devemos trabalhar criteriosamente para realizarmos a obra de Deus em todas as frentes e aspectos de nossa vida. Não menosprezemos nenhuma dessas áreas, pois elas são vitais.
- Deus – leitura e estudo da Bíblia, oração, santificação e vida eclesiástica.
- Igreja – comunhão e participação dos trabalhos espirituais e sociais da Igreja.
- Família – relacionamentos saudáveis entre pais e filhos, maridos e esposas.
- Ministério – uso adequado de dons e talentos, disponibilidade para o serviço cristão voluntário, onde e quando se fizer necessário, com alegria.
Talvez devamos mudar alguns conceitos que já temos estabelecidos em nossas mentes e corações, fazendo uma releitura de tudo isso, e aceitar o fato de que a vida cristã exige de cada um de nós muito trabalho e esforço.

CONCLUSÃO
“EU SOU COM VOCÊS” diz o Senhor.

Tudo isso seria inválido e impossível de se praticar, se estivéssemos sozinhos nessa empreitada. Mas o que nos consola e fortalece é saber que o Senhor está conosco. “Eu Sou convosco, diz o Senhor dos Exércitos”. O Deus de Jacó é o nosso refúgio (Sl 46:7,11).
Isso traz conforto para a nossa alma, certamente. Mas traz também um peso maior de responsabilidade, pois se temos conosco o Deus Todo-Poderoso, não podemos nos esconder em qualquer disfarce de falsa religiosidade, precisamos sair de nosso casulo e obedecê-Lo. No Dia do Juízo não poderemos alegar qualquer coisa, não teremos subterfúgio, pois Ele é fiel e sempre está conosco para nos ajudar, basta pedir e obedecer. 


Não é porque Ele está conosco que não iremos passar por provações (Sl 23:4), passaremos com outra mentalidade e disposição interior, porque Ele está conosco e nos ajuda e fortalece.

Sejamos fortes porque o Senhor está conosco, trabalhemos porque o Senhor está conosco, lutemos porque Ele está conosco, vençamos porque Ele está conosco, louvemos porque Ele está conosco, glorifiquemos Seu nome porque Ele está conosco!!!

Firmemos nossos corações nessas verdades, Ele é fiel e jamais falhará. A Ele toda honra, toda glória e todo louvor.

Soli Deo Gloria!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL