ENCHEI-VOS DO ESPÍRITO

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 25.07.10


 Efésios 5:18-21
18   E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, 19   falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, 20   dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, 21   sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.

A Igreja contemporânea está passando atualmente por diversas transformações. A mais grave de todas, a meu ver, é o gradativo abandono das Escrituras e da observância das doutrinas Reformadas, por costumes, ritos e dogmas que não passam de costumes de homens, influenciados por diversas coisas, inclusive as religiões do mundo. No contexto brasileiro observa-se uma influência forte e notória do espiritismo.

Um outro fator que corrobora para tudo isso é a ganância de líderes que fazem qualquer coisa para obterem o tão desejado crescimento numérico e financeiro. São os oportunistas, os lobos disfarçados de cordeiros que arrancam até o couro e as unhas das ovelhas. Estes homens não ensinam a verdade porque sabem que o povo os abandonará se souberem a verdade pura e simples da Palavra de Deus. Eles são os sacerdotes, os bispos, apóstolos, patriarcas e papas da nova “igreja”. Igreja só de nome, pois a IGREJA de Cristo vive pela Palavra de Deus; muitas antigas Igrejas tornaram-se seitas com o passar dos anos. Seita é todo movimento religioso que crê e apregoa ensinos que não contém base bíblica, nada menos que doutrinas heréticas, ou heresias.

O povo, por sua vez, torna-se massa manipulável e manipuladora. Eles querem e buscam um lugar onde se sintam bem e tenham seus problemas resolvidos, custe o que custar. São cúmplices dessa degeneração, pois não desejam viver pela Palavra, preferem viver por aquilo que o “pastor” fulano, ou o “apóstolo” beltrano disse. Querem ouvir o profeta, o vidente falar, mas não querem ouvir o que Cristo diz.

No outro extremo temos as Igrejas que por medo ou receio desses desvios, parecem descrer do poder de Deus conforme descrito nas Escrituras. Muitas dessas Igrejas estão se tornando frias na fé, e caminham rumo ao liberalismo teológico e ético. Isso jamais poderá ser justificado, mas uma boa explicação é que o mal testemunho de algumas igrejas e movimentos tem gerado um certo receio, um medo do enchimento do Espírito Santo, do poder de Deus. Existem igrejas que sequer oram pelos enfermos, crentes que não crêem na existência do diabo, que vivem em pecado e pensam que está tudo bem, “afinal Deus é amor, Ele vai perdoar”, dizem eles. A Bíblia diz expressamente:
“Não tentarás ao Senhor teu Deus” (Dt 6:16; Lc 4:12).

Em vista de tudo isso, cabe a nós pastores, praticarmos a apologia (defesa da fé) ensinando o caminho correto, denunciando o erro das falsas doutrinas, sem esquecermos de mostrar a verdade da Palavra de Deus acerca da pneumatologia, que é a teologia do Espírito Santo. Essa tarefa pode ser longa e árdua muitas vezes, devido ao desgaste e à polêmica que o tema traz. Mas até a polêmica pode ser usada para abrir espaço para o ensino. O que não podemos mais é ficar calados diante de tão grotescos ensinos e costumes que estão sendo disseminados nas Igrejas, inclusive presbiterianas.

Por isso iremos analisar aqui alguns textos bíblicos que nos falam diretamente acerca do assunto, mostrando o equilíbrio bíblico e discernindo o que é a manifestação do poder de Deus, e o que não é.

Veja abaixo alguns vídeos de cultos e movimentos que expressam uma falsa manifestação do Espírito Santo, mas catarse emosional, hipnose coletiva e até manifestações demoníacas.









(Para ver mais insanidades como essas, clique aqui e veja o post "Virou Macumba" onde coloquei 6 outros links. É deprimente, mas vale a pena conscientizar-se).

“Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis.” Romanos 1:22,23

“Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência”  1 Timóteo 4:1,2.

“mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1:8.

A promessa do Senhor é que a Sua Igreja receberia o poder dEle através do derramamento do Espírito Santo. Essa promessa se cumpriu em Atos 2 no Pentecoste, e desde então o Espírito Santo está na Igreja – sobre ela e dentro dela. Entendemos que a Igreja é o povo escolhido de Deus, portanto o Espírito Santo habita o coração de todo aquele que creu no Evangelho e recebeu a salvação de Cristo Jesus (Efésios 1:13).

Agora a ordem de Deus é clara: “ENCHEI-VOS DO ESPÍRITO” (Efésios 5:18b).

No que consiste essa ordem? Afinal, o que é ser cheio do Espírito Santo? Como isso se manifesta em nossas vidas?

1 – HÁ EXPRESSÕES DA PALAVRA DE DEUS (vs. 19a)
“falando entre vós com salmos”

Vivemos num mundo repleto de idéias e pensamentos. Por exemplo, coisa mais fácil do mundo é encontrar livros espíritas, e publicações de seitas próximos de nós. Isso não pode invadir nossas conversas, mas o nosso falar deve ser repleto da Palavra de Deus. A TV, as músicas do mundo, a internet, enfim, os meios de comunicação ensinam e doutrinam as pessoas a viverem em pecado, não podemos viver e falar como os costumes ensinados pelos meios de comunicação. Quem é cheio do Espírito constantemente fala a Palavra de Deus, em louvor a Deus. Mas falar entre nós com Salmos é mais do que declamar versículos, é isso também, mas é falar da Palavra de Deus sempre. Não é falar a Palavra da boca para fora, como “papagaio”, mas falar a Palavra porque se vive por ela.
Isso é santificação.

2 – HÁ EXPRESSÕES SINCERAS DE LOUVOR E ADORAÇÃO A DEUS (vs. 19b)
“entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais”

O crente precisa louvar a Deus, mas louvar DE CORAÇÃO. Esses são os verdadeiros adoradores, aqueles que adoram a Deus “em espírito e em verdade”, isto é, “de coração”.
“Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.” João 4:23.

Quem é cheio do Espírito, e quem deseja ser, louva e adora ao Pai dessa maneira. Isso nos leva a um assunto muito polêmico: música. Se a Palavra manda-nos entoar, isso é cantar. Deus nos fez para o louvor da Sua glória. Necessitamos cantar para a Sua glória.
(Falar das igrejas liberais, com danças e bailes após os cultos, dos crentes que vão em festas e baladas, dos vícios e do pecado que estão invadindo e matando várias igrejas).

A orientação de Deus é que o crente não se embriague com o vinho (bebidas alcoólicas), mas que busque viver uma vida íntegra e plena do Espírito de Deus.
Isso é adoração.

3 – HÁ GRATIDÃO A DEUS INDEPENDENTE DA SITUAÇÃO (vs. 20)
“dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo”

Engana-se quem pensa que ser cheio do Espírito Santo é viver isento de problemas. Essa é uma das grandes mentiras da teologia da prosperidade, mas aqueles que conhecem a Palavra de Deus sabem que Ele jamais prometeu isso. Pelo contrário, encontramos diversos exemplos bíblicos e históricos de homens e mulheres de Deus que venceram torturas e a própria morte. Como eles conseguiram manter-se firmes na fé apesar de tanta dor e sofrimento? Foi o Espírito Santo que lhes fortaleceu em suas lutas e dificuldades.
Agradecer a Deus por TUDO é uma atitude de fé, pois em nosso coração muitas vezes estamos cheios de dúvidas e indagações. A mais terrível de todas: POR QUÊ SENHOR? Não caia nessa cilada, não tente entender os “por quês” de Deus, mas dê graças ao Senhor independente do que você estiver passando.

O “porque” não é nosso departamento, é departamento de Deus que está no comando. O nosso departamento é obedecer e glorificar a Ele, “dando sempre graças por tudo”.

Aprenda a dizer sinceramente:

Senhor, eu não entendo porque estou passando por isso, mas sei que o Senhor está no controle, que o Senhor me ama, e que o Senhor tem condições de resolver tudo isso. Eu me entrego em Suas mãos Senhor e te dou graças por Seu cuidado e amor, revelados em Jesus. Senhor, ajuda-me a enfrentar essa dor, dá-me forças Espírito Santo, para permanecer fiel a Ti até o fim.

A maior prova de amor e cuidado divinos foi quando Ele deu o Seu próprio Filho para morrer em nosso lugar, quando nos elegeu na eternidade, quando nos chamou através da pregação do Evangelho, quando nos selou com o Espírito Santo. Por isso tudo é que devemos dar graças a Deus por tudo.
Isso é gratidão.

4 – HÁ HUMILDADE DE UNS PARA COM OS OUTROS (vs. 21)
“sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”

Uma das maiores barreiras a serem vencidas é o nosso orgulho. Não existe possibilidade de sermos cheios do Espírito se não formos humildes, permanecendo orgulhosos. Somos orgulhosos por natureza, mas o Espírito Santo é quem gera em nós esse desejo e nos capacita a sermos humildes.
Essa postura de humildade é a base para o que Paulo descreve a seguir, ainda como instrução ao “enchei-vos”. Ele vai tratar acerca dos relacionamentos na família, na igreja e na sociedade de um modo geral. Quebra-se aqui aquele preceito de que somos cheios do Espírito Santo no culto e só, como se fôssemos ficando vazios, diminuídos a partir do momento que saímos do templo. Mas, se nós somos o templo do Espírito Santo (e nós somos!), ao sairmos do templo, o culto deve continuar.
Esse é um dos pontos elementares na vida de um crente (ou de uma Igreja) que deseja ser cheio do Espírito. Quanta falsa humildade existe associada ao falso enchimento do Espírito. Quanto e quanto líderes se tornaram “super-stars” andam e vivem em um estado de ostentação e soberba porque pensam que são mais “ungidos” do que os meros mortais. É comum ouvirmos de homens que se dizem “profetas” viajando em seus jatos particulares, circulando em “cadilacs” e vivendo em mansões, aqui no Brasil e no exterior. Incrivelmente convencionou-se em muitas Igrejas que quanto mais a pessoa tem, mais abençoado é, não importando qual seja a fonte dessa riqueza.
Jesus, o homem mais cheio do Espírito Santo que existe, nasceu em uma manjedoura (um cocho de alimentar animais), em uma estrebaria (um curral com cheiro de curral, características de curral, etc.), trabalhou como carpinteiro, andava a pé no deserto, não tinha onde reclinar a cabeça, foi traído, humilhado, chicoteado, torturado e crucificado. Ele morreu humildemente na cruz para nos salvar. Para esses falsos mestres da atualidade Jesus seria classificado como um maldito, um “desagraciado” (desgraçado). Exatamente a visão que os fariseus tinham de nosso Senhor. Mas Ele é Rei e Senhor, Ele fez tudo isso por amor, para cumprir o Seu propósito e nos salvar. Ele venceu a morte, ressuscitou, voltou aos Céus, reina soberanamente com poder e glória indizível, e em breve virá para nos buscar. Sejamos humildes, vivamos a vida cristã semelhantemente a Jesus, e assim estaremos no caminho da plenitude do Espírito Santo. Imitemos a Jesus.
Isso é humildade.

CONCLUSÃO
O assunto é por demais polêmico. Todos nós, ou pelo menos uma boa parte, temos amigos ou até parentes que freqüentam igrejas que andam nesses costumes e doutrinas. Até algumas Igrejas Presbiterianas estão aderindo a esses movimentos. Eu mesmo, já fui pentecostal no passado (leia aqui meu testemunho). Acreditava que o enchimento do Espírito Santo passava por todo esse processo, mas que bastava alguém mais ungido tocar, orar ou soprar e pronto, tudo resolvido, ficava cheio do Espírito na hora, sem dificuldade. E quando esse enchimento ocorria, coisas estranhas aconteciam, como andar “de quatro pés”, rir descontroladamente, desmaiar, cair no chão, sapatear, sair correndo desenfreadamente, etc. Qualquer coisa que acontecesse ali era atribuída ao Espírito Santo, como se Deus fosse um ser irracional, algum brincalhão que manipulasse seus filhos fazendo-os passar até pelo ridículo, sem objetivo algum. Essa é a crença atual: quando o crente está cheio do Espírito vale tudo, nem a Bíblia precisa ser consultada porque Deus faz o que quiser. Porém essa falta de entendimento procede de pessoas que não conhecem, ou que conhecem e desprezam, a Palavra de Deus.
Desejamos ser cheio do ESPÍRITO SANTO, não de qualquer coisa, não de emoções vazias que não levam a nada, somente para longe de Deus. Não queremos um pseudo-avivamento, uma réplica de muito mal gosto do avivamento descrito na Bíblia. E esse legítimo avivamento produz todas essas características que vimos hoje em Efésios.
Muito cuidado com essa onde de costumes e modismos que assolam e Igreja atual. Não nos deixemos iludir por coisas estranhas à Palavra de Deus, ventos de doutrina que só trazem confusão, desentendimento e distanciamento da verdade absoluta da Palavra de Deus. Não troquemos a Bíblia por NADA absolutamente.
O meu desejo como pastor presbiteriano, é que a IPB seja uma Igreja avivada na Palavra de Deus. Que ela não se deixe envolver pelo liberalismo que é tão avassalador, tão destruidor. Meu sonho é ver essa Igreja tão amada crescendo numericamente, mas muito mais espiritualmente, através de um avivamento no conhecimento e na prática das Escrituras. Que sejamos um povo que testemunha e que é conhecido por nosso comportamento moral e ético exemplar, em nossas casas, na Igreja e na sociedade em geral.
Que Deus nos ilumine e nos guie nesse caminho, o caminho da verdadeira plenitude do Espírito Santo. Sejamos esses vasos que desejam ser cheio do Espírito, para a honra e glória de Deus Pai.

S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT