ANO NOVO, MOMENTO DE REAVALIAÇÃO

Pastoral 

“Vinde, pois, e arrazoemos, diz o SENHOR...” Isaías 1:18a.
“Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre, não se assenta primeiro para calcular a despesa e verificar se tem os meios para a concluir?” Lucas 14:28.

Ao chegarmos no final de mais um ano, é propício agradecermos as bênçãos recebidas e avaliarmos tudo que realizamos (ou não) no ano que está se findando, e também planejarmos e estabelecermos metas para o próximo ano.

Acerto com Deus. Certamente tivemos falhas, erros, frustrações e decepções, perdas e lágrimas... A vida tem esse lado, afinal quem não sofre nessa vida? Tais coisas servem para nos ensinar. Por isso Sejamos sempre gratos a Deus, pois graças a Ele conseguimos chegar até aqui, podemos servi-Lo com gratidão em nossos corações por pertencermos a Ele e sermos o alvo de suas grandes e ricas promessas de vida eterna. Não há nada que não possa ser transformado e consertado por Deus em nossas vidas. Ele é o soberano Senhor, o grande “EU SOU”, aquele que pode todas as coisas. Sábio é acertar-se com Ele (Is 1:18).

Planejamento. Esse também é um bom momento para planejar, estabelecer novas metas, ou talvez a continuidade de metas anteriores. Mas é necessário que se dê atenção especial às coisas de Deus, pois elas são eternas (Mt 6:33). Um dia tudo passará e o que permanecerá é o que fizermos visando a glória de Deus. É natural que planejemos a nossa vida acadêmica e profissional, mas e a vida espiritual? Qual é o investimento que faremos em 2010 na nossa vida espiritual? A assiduidade e a participação nos trabalhos e programações da igreja, a leitura de toda a Bíblia, o culto doméstico, a vida de oração e a fidelidade nos dízimos e ofertas, são investimentos espirituais essenciais que cada um de nós deve fazer, se de fato desejamos agradar ao nosso amado Deus. Vamos nos planejar.

Gratidão. “Em TUDO dai graças” 1 Ts 5:18a. Façamos uma reunião familiar para recordarmos as bênçãos recebidas, e glorificarmos ao nosso bom e santo Deus.  

Um conselho: cuidado com os excessos nas festas familiares, vigiemos por nosso testemunho cristão (Mt 5:13; Pv 23:30-35).
Um lembrete: oremos por nossos irmãos enfermos, e por aqueles que estão sofrendo nas ruas, hospitais, presídios, asilos, etc. (Rm 12:15; Lc 10:25-39).

Um feliz ano novo a todos! Que Deus derrame sua graça sobre nós! Saúde e paz!
 

Do servo,
Rev. Paulo Sergio da Silva (Sl 18:1).

Comentários