AS SETE PALAVRAS DA CRUZ DE CRISTO - 1ª E 2ª PALAVRAS


AS SETE PALAVRAS DA CRUZ DE CRISTO
1ª PALAVRA - "PAI, PERDOA-LHES PORQUE NÃO SABEM O QUE FAZEM"
2ª PALAVRA - "EM VERDADE TE DIGO QUE HOJE ESTARÁS COMIGO NO PARAÍSO"

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB Central de Barretos / SP - Culto Vespertino 10.04.11
3ª IPB de Barretos / SP - Culto Vespertino 13.03.11
IPB de Porecatu / PR - Culto Vespertino 29.03.09

TEXTO BÍBLICO – Lucas 23:33-43

“Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes.” Lucas 23:34.
“Jesus lhe respondeu: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.” Lucas 23:43.

INTRODUÇÃO / EXÓRDIO
Quando o Senhor Jesus entregou-se para pagar o preço dos nossos pecados, Ele foi humilhado, julgado, torturado e finalmente crucificado. Padecendo todo o sofrimento da cruz, Ele proferiu SETE PALAVRAS que são as conhecidas “Sete Palavras da Cruz de Cristo”, que foram as Suas palavras finais, e que são de grande preciosidade e edificação para todos os crentes, pois nos revelam todo o seu amor, abnegação, soberania, sofrimento emocional, sofrimento físico, a consumação de Sua obra redentora, e sua entrega total nas mãos do Pai eterno. Hoje estaremos meditando nas duas primeiras dessas sete santas palavras.

EXPLICAÇÃO
O Senhor Jesus estava já estava crucificado. Até chegar esse momento nós sabemos que Ele foi preso e julgado de madrugada, quando amanheceu o dia ele foi chicoteado e humilhado... Fizeram-No carregar aquela cruz pesada, que era minha por um longo caminho até chegar ao Monte Calvário (da caveira). Ali Ele foi pregado na cruz, e essa foi levantada. Ele padecia dores terríveis, lancinantes, quando proferiu essas palavras.

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES

1ª PALAVRA – “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”

O nosso Senhor, padecendo todo aquele sofrimento, dor e humilhação, deu-nos aqui duas lições preciosas:

1.1 O valor do perdão
Ele perdoa seus algozes mesmo sofrendo tudo o que Ele sofreu. Quão diferente de nós... Ele perdoou aqueles que O feriram e O humilhavam. Em Mateus 27:27-31; 38-44 temos uma noção do que ele passava naquele exato momento.
"27 E logo os soldados do presidente, conduzindo Jesus à audiência, reuniram junto dele toda a coorte.
28 E, despindo-o, o cobriram com uma capa de escarlate;
29 E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus.
30 E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana, e batiam-lhe com ela na cabeça.
31 E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado."

E a resposta de Jesus é: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”

"38 E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro à esquerda.
39 E os que passavam blasfemavam dele, meneando as cabeças,
40 E dizendo: Tu, que destróis o templo, e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo. Se és Filho de Deus, desce da cruz.
41 E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam:
42 Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e crê-lo-emos.
43 Confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus.
44 E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados."

E a resposta de Jesus é: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”

Se existe uma lição que precisamos aprender com o testemunho de Jesus aqui é o perdão. Não podemos nos dar o direito de não perdoar quem quer que seja, pois Ele nos ensinou essa grande lição do perdão. Afinal Ele passou todo esse sofrimento para nos perdoar. E a Sua ordem é
“Perdoai, e sereis perdoados” Lucas 6:37. 

1.2 Ele é o intercessor eterno
A Bíblia nos diz em Rm 8:34 e em diversos outros textos, que o Senhor Jesus é o nosso intercessor eterno:
“Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.”

Mas aqui Ele vai muito além, Ele está intercedendo por seus opressores, por aqueles que O maltratavam e subjugando-O blasfemavam contra Ele. Jesus cumpriu o seu próprio mandamento de Mateus 5:44 conforme aprendemos:
“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus.”

Se considerarmos como justo e verdadeiro o Seu testemunho temos pelo menos duas grandes lições a aprender aqui.

1.2.1 Ele intercede por nós
Notemos que Ele intercedeu por Seus próprios opressores, quanto mais O fará aos Seus próprios discípulos? Sim! É isso mesmo, apesar de sermos tão imperfeitos e frágeis o Senhor intercede por nós. Sabe o que isso significa? Que nada poderá nos separar dEle, nem o mundo, nem o inimigo, nem nossos defeitos, nem nós mesmos. Nós temos um intercessor, e só Ele pode interceder. 

1.2.2 Precisamos praticar o seu mandamento de Mt 5:44
Temos cumprido essa ordem que Ele nos deu? Temos sido seus imitadores? Não é fácil mas é uma ordem, e essa ordem precisa ser cumprida. Ele próprio a cumpriu para dar-nos o exemplo. 

2ª PALAVRA – “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.”
Como sabemos o Senhor Jesus foi crucificado entre dois ladrões. Ali estava Ele humilhado em todos os sentidos, e ainda mais, contado entre dois transgressores, justo Ele que nada fez para merecer estar ali naquela cruz. E é nessa condição que se trava uma breve discussão entre os dois ladrões e Jesus.

O primeiro ladrão a falar com Jesus é o modelo do sujeito incrédulo, rebelde e zombador. Blasfemando Ele se dirige a Jesus com palavras semelhantes às daqueles que, em terra, blasfemaram. Como que concordando com eles, diz:
“Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós.” Lc 23:39b.

Esse modo de falar é bem semelhante a alguns setores do cristianismo hodierno, pois trata Cristo de um modo bem desafiador: “SE tu és os Cristo” faz isto e isto. Como uma certa pessoa disse recentemente: “se o teu deus não funciona então troque de deus”. Ou como uma certa denominação tornou-se famosa por propalar a seguinte frase: “hoje colocaremos deus na parede.” (Note que eu mencionei “deus” em letras minúsculas, pois certamente não é do nosso Deus todo-poderoso revelado na Bíblia Sagrada a que essas pessoas se referem).

Mas Jesus não responde a essa (s) pessoa (s), Ele mantém o silêncio. O outro ladrão, no entanto, é o modelo do pecador arrependido de seus atos de pecados. Vejamos o que ele diz nos vs. 40,41:
“Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.”

Notemos aqui algumas coisas muito interessantes que ele fez:
- repreendeu o ladrão blasfemador;
- demonstra temor de Deus;
- reconhece que Jesus é o próprio Deus;
- reconhece que merece estar naquela condição por causa de seus atos;
- demonstra confiança na inocência de Jesus.

Sem cometer o erro de divagar muito em nosso raciocínio, creio que não será exagero de nossa parte pensarmos se tratar de um filho de Israel que se desviara da verdade. Talvez até estivesse no meio daquela multidão que seguia Jesus, ouvindo suas mensagens e vendo os sinais que Ele fazia. Talvez ele estivesse presente quando Jesus em Mateus 11:28-30 disse:
“28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.”

Mas pelo visto ele não quis seguir os ensinamentos de Jesus e aqui vemos onde ele chegou. Assim também muitos hoje estão longe dos caminhos do Senhor, desviados da verdade que ouviram e aprenderam, mas não quiseram seguir. É impressionante a quantidade de crentes desviados vivendo nas ruas, nas drogas, no crime, nos presídios...

Mas nesse dia ele reconheceu Jesus, lembrou-se das mensagens, dos sinais, das vidas transformadas, das maravilhas que Ele falou e fez. E então é tocado pela graça majestosa de Deus e diz para o Senhor:

“Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino.” Lc 23:42b.

É um pedido humilde e simples, que o Senhor o leve para o Seu reino eterno. Ele não pediu a libertação da cruz (bênçãos terrenas), como o fizera o primeiro ladrão, mas pede a benção da salvação eterna. E recebe! A consoladora resposta de Jesus no vs. 43 é:
“Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.”

Jesus está cumprindo uma promessa que Ele fizera:
“Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” João 6:37.

Ele dá certeza do que diz. Não é “talvez”, “um dia”, “num lugar intermediário”. Mas é “hoje”, “verdadeiramente”, “estarás comigo”.

Aprendemos aqui pelo menos quatro lições fundamentais acerca da nossa salvação.

2.1 - A HUMANIDADE REPRESENTADA PERANTE O SALVADOR
Encontramos esses dois tipos de pessoas falando com Jesus. O incrédulo blasfemo e endurecido pecador, tristemente destinado ao inferno de fogo. E o pecador arrependido, confesso, pronto para receber a salvação eterna. De qual dos dois grupos você faz parte?

2.2 - O GRANDE AMOR DE JESUS PELO PECADOR ARREPENDIDO
O Senhor não disse palavra alguma para primeiro ladrão, este não obteve resposta alguma do Senhor. No entanto o pecador arrependido, alvo do amor e da graça divina, recebe de Jesus a certeza da salvação. Que grande e sublime amor o Senhor tem por todo aquele que se arrepende de seus pecados. Se você está com o coração duro, busque o lugar de arrependimento no Senhor.

2.3 - O PERDÃO INCONDICIONAL APÓS A CONFISSÃO SINCERA
O Senhor não fez menção alguma da vida pregressa que desse homem, não houve nenhuma acusação ou exigência. Ele foi sincero em sua confissão e recebeu o perdão incondicional do Senhor. Não importa quais sejam os seus pecados, não importa como você se encontra hoje, confesse com sinceridade os seus pecados e creia que o Senhor lhe perdoará todos os pecados.

2.4 - A CERTEZA DA VIDA E DA MORTE ETERNA
O Senhor Jesus deu certeza para aquele homem de que após a sua morte ele estaria com Jesus no paraíso. Não há um tempo antes dele ir para o céu, e também não há um lugar antes do céu. Essa é a nossa certeza, de que assim que formos chamados estaremos com o Senhor na glória celestial. Mas assim como o céu é uma certeza para o crente, para os incrédulos está reservado “fogo eterno” conforme Mateus 25:41. Se o segundo ladrão, arrependido foi salvo, o que resta para o primeiro ladrão, blasfemo e endurecido por seu pecado?

CONCLUSÃO
Fica em evidência nas duas palavras a compaixão de Cristo e o Seu infinito amor por Seu povo e até pelos perdidos. O que você tem feito com o amor que o Senhor Jesus tem lhe oferecido?

Notamos também que nas duas palavras existem dois tipos de pessoas. Na primeira palavra temos uma multidão que lamenta e bate nos peitos (Lc 23:27), e logo em seguida os blasfemos vs. 35. Na segunda palavra, como vimos, temos os dois ladrões. A pergunta que se faz é: de qual dos dois grupos você faz parte?

Que você possa fazer parte dos convertidos do Senhor, aquele povo que não merece, mas que recebe por fé a salvação que Ele conquistou naquela tão rude cruz. E se você ainda não faz parte desse povo abençoado, busque hoje o Senhor, assim como o ladrão convertido o fez.

Busque o Senhor com coração quebrantado, arrependido, em sinceridade e fé. Não importam quais sejam os seus pecados, o perdão de Cristo é incondicional. Tudo o que é necessário é a confissão dos pecados e o arrependimento sincero. Certamente o Senhor não lhe rejeitará, Ele te receberá de braços abertos, te abraçará e salvará a sua alma. E assim como aquele ladrão convertido, você poderá ter a certeza da sua salvação, a certeza da vida eterna ao lado do Senhor Jesus, o vencedor, Rei dos reis e Senhor dos senhores.

S.D.G.
Material de apoio:
ABA - A Bíblia Anotada
BEG - Bíblia de Estudo de Genebra
PEB - Pequena Enciclopédia Bíblica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL