PRIORIDADES ESPIRITUAIS


ATOS 20:17-24
 

“Vós bem sabeis como foi que me conduzi entre vós em todo o tempo, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram, jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa, testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.” Atos 20:18b-21.

O que é mais precioso para nós? Existe um conjunto de atitudes que mostram aquilo que é mais precioso para nós, e também quem nós somos, qual nosso objetivo de vida e qual o nosso caráter cristão. São nossas atitudes que de fato revelam o que é mais importante para nós e o que mais valorizamos na vida. No texto lido aprendemos essa lição com o apóstolo Paulo: quais eram as suas prioridades espirituais. Isso era o que havia de mais precioso em sua vida, sem o que a sua vida não teria valor nenhum. Nessa mensagem faremos uma auto-avaliação de como temos nos posicionado diante de um mundo de oportunidades para a pregação do Evangelho, que se nos apresentam dia a dia. Temos dado prioridade à nossa vida espiritual?

EXPLICAÇÃO

O apóstolo Paulo estava sendo levado para Roma onde ia ser julgado e morto. Nesse momento crucial ele mandou chamar os presbíteros da igreja de Éfeso para se despedir (vs.17). Foi um momento muito triste e ao mesmo tempo glorioso que estava sendo vivido ali. Triste, pois não era uma simples despedida, ele estava indo ao encontro de sofrimentos terríveis (vs.22-23) e glorioso pois este homem de Deus iria testemunhar perante reis e imperadores aquilo que Cristo fizera em sua vida. Ele que outrora fora perseguidor da Igreja, agora transformado pela graça divina, estava para pagar com a própria vida o privilégio de ser um seguidor de Cristo. O ápice, ou ponto alto do texto está no vs.24 quando ele declara o valor que o MINISTÉRIO tinha para ele. Em tom de despedida, Paulo fala sobre como havia se portado, isto é, quais haviam sido suas atitudes enquanto estivera no meio deles.

Essas palavras de despedida servem de lição para nós também: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (1 Co 11:1).

ARGUMENTAÇÃO

Quais são essas atitudes do apóstolo Paulo que mostram o que era mais precioso para ele? Em que se resumia a sua vida espiritual? Como ele havia se portado no meio da igreja? No texto destacam-se quatro atitudes exemplares que são lições para nós.

1 – SERVIÇO
“Servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram” Atos 20:19.


A primeira atitude exemplar do apóstolo Paulo naquele contexto foi o serviço. Havia nele uma disposição exemplar para o serviço cristão. Quando falamos em "serviço" precisamos entender bem o seu significado. A palavra "servo" significa: escravo, servente, criado, aquele que está sujeito a um senhor. Fomos chamados para servir ao nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo. Ao sermos salvos nos tornamos servos do Senhor, e na agenda do serviço do Senhor está o serviço uns aos outros. Quando aprendemos essa grande lição, uma série de barreiras caem por terra, nosso orgulho, por exemplo, pois ser servo é uma atitude de vida e não de culto somente, é o caminho da humildade e obediência ao Senhor Deus e amor ao próximo. Essa atitude não pode ser confundida com mera religiosidade. Existem algumas verdades fundamentais acerca do serviço cristão. Paulo serviu com “humildade, lágrimas e provações” (vs.19).

1.1.1 - A primeira característica para servir conforme o exemplo de Paulo é servir com toda a humildade necessária a um SERVO verdadeiro. O oposto disso é que o orgulho nos impede de sermos bons servos. O verdadeiro SERVO é reconhecido por sua humildade.

1.1.2 - Nessa jornada de serviço muitas vezes iremos derramar lágrimas, e devemos estar preparados para isso, se necessário Sl 126:5,6 “Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”. Choramos muitas vezes por não vermos os resultados de nosso esforço e trabalho, outras vezes choramos de quebrantamento em orações fervorosas diante do trono de nosso Pai eterno.

1.1.3 - Quando estamos servindo ao Senhor verdadeiramente, podemos até passar por provações, mas encontraremos forças renovadas para enfrentá-las. Vemos isso no testemunho do apóstolo Paulo que passou por tantos sofrimentos e provações sem, contudo, desistir. Não devemos esperar o reconhecimento por nosso trabalho como um prêmio, um pagamento; sabemos que o Senhor que tudo vê nos recompensará.

2 – ANUNCIAÇÃO
“Jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa” Atos 20:20.


ANUNCIAR É PREGAR, PROCLAMAR. E pregar, em síntese, é falar a Palavra de Deus às pessoas. O apóstolo Paulo sempre aproveitava as oportunidades para falar “coisas proveitosas”, isto é, a Palavra de Deus que sempre tem um fim proveitoso na vida da Igreja. Precisamos estar cientes que anunciar a Palavra de Deus não é incumbência somente do Pastor, Presbíteros, Diáconos, Evangelistas e Missionários, mas de toda a Igreja, de todos os crentes. Pregamos quando falamos a Palavra de Deus às pessoas.

Paulo utilizava para isso dois métodos: publicamente e de casa em casa.

Nesse sentido podemos nos auto-avaliar: o que temos pregado? O que temos anunciado? Qual tem sido nossa pregação? O que temos falado às pessoas, de dentro e de fora da igreja? Gastamos tempo falando de Cristo e aproveitando as oportunidades? Ou achamos que não temos tempo ou condições para isso?

Anunciar a Palavra de Deus é também APROVEITAR BEM O NOSSO TEMPO, e o tempo somos nós que fazemos. Se prestarmos atenção veremos que sempre temos tempo para discutir política, futebol e até comentar as últimas notícias, filmes e novelas, etc. Mas para falar da Palavra de Cristo muitas vezes dizemos que não temos tempo ou que nos faltam condições, que não somos capazes... Na verdade muitas vezes falta-nos disposição e coragem para o anúncio da Palavra de Deus. Nesse caso devemos refletir se o nosso MINISTÉRIO CRISTÃO tem ocupado o seu devido lugar em nossas vidas.

Priorizar a vida espiritual é saber o que falar, e falar a PALAVRA DE DEUS.

3 – TESTEMUNHO
“Testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.” Atos 20:21.


Testificar significa: assegurar; declarar; certificar; comprovar, testemunhar. No versículo citado o apóstolo Paulo declara que a sua vida era um testemunho comprobatório de duas grandes realidades na sua vida e também o é na vida de todo cristão verdadeiro: seu arrependimento para com Deus e sua fé em Jesus Cristo. Estes são dois pré-requisitos no testemunho de vida de cada cristão que deseja servir a Deus de fato e de verdade. Se tivermos essas qualidades nosso testemunho será forte e poderoso, do contrário se tornará em escândalo e vergonha.

Judeus e gregos – povos distintos, totalmente diferentes, mas o testemunho deve ser para todos.

3.1 – Arrependimento – em português significa: contrição, pesar, remorso. Em grego a palavra que aparece é “metanoia” que significa: transformação de mente, mudança de disposição mental. Por isso que arrepender-se na Bíblia significa mudança de atitude, o arrependimento bíblico sempre vem acompanhado de conversão - Mt 3:2,8; 4:17; Mc 1:15; 6:12; At 2:38; 3:19; 26:20. Paulo no passado havia sido um perseguidor da igreja, e agora ele tinha consciência que para servir a Deus ele necessitava viver em uma nova atitude gerada através de seu arrependimento. Se não houver sincero arrependimento das obras mortas do pecado não haverá santidade, não haverá um bom testemunho. Infelizmente hoje em dia muitos dão um mal testemunho não vivendo o Evangelho. São pessoas que vivem uma religiosidade superficial mas não se deixam transformar pelo poder de Deus. Ao mesmo tempo todo aquele que abraça a fé verdadeiramente é transformado pela Escritura e mostra o arrependimento cristão e seus efeitos em seu testemunho de vida.

3.2 – Fé em Jesus Cristo. Paulo estava sendo perseguido, ele mesmo diz nos versículos 22 e 23: "E, agora, constrangido em meu espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que ali me acontecerá, senão que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me assegura que me esperam cadeias e tribulações." Isso não é nada agradável de se esperar. Qual o motivo de tanto ódio contra ele? Ele era um pecador convertido pelo Senhor e que agora se propunha a pregar o Evangelho de Cristo Jesus. Essa perspectiva de vida de Paulo não tem nada a ver com o triunfalismo que vemos em diversas igrejas da atualidade. Nem de longe se parece com o que muitos pregadores falam em seus púlpitos. E apesar de tudo isso Paulo vivia em uma atitude de fé, o seu testemunho era um testemunho de fé em nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.Não devemos reclamar ou nos deixar abater diante dos problemas e situações difíceis que venhamos a enfrentar. Devemos encarar cada situação como uma oportunidade vinda de Deus, permitida por sua soberania, para que através delas sejamos depurados e aperfeiçoados para Ele e para a sua glória e serviço. Não sejamos meninos na fé, mas homens (e mulheres) amadurecidos - 1 Co 14:20; Ef 4:14.E essa era a ênfase da vida de Paulo, mostrando que era necessário tanto a judeus quanto a gregos o arrependimento e a fé em Jesus Cristo. "Ambos os grupos deveriam vir a Deus da mesma maneira – em arrependimento pelo pecado (At 26:20; Lc 24:47) e fé em Jesus Cristo." (A Bíblia de Genebra).O testemunho de Paulo embasava e reforçava sua mensagem e pregação. Não basta servir, pregar e ensinar, é necessário viver o Evangelho, do contrário nosso serviço será apenas ação social e nossa pregação e ensino serão palavras vazias e não terão autoridade alguma, gerando todo o desconforto que é causado pelo mau testemunho.

CONCLUSÃO

Essas atitudes do apóstolo Paulo resumem a sua carreira e ministério de modo prático, ou seja, como ele havia vivido e agido. Sigamos seu exemplo... Todos nós, servos de Deus, precisamos entender que temos uma carreira e um MINISTÉRIO a cumprir para com o nosso Deus. Muitas vezes super-valorizamos a carreira profissional e a realização pessoal, mas aprendemos que os servos de Deus sabem que mais vale o cumprimento de seu MINISTÉRIO no corpo de Cristo do que qualquer outra coisa em toda a sua vida e existência. Na escala de valôres do Apóstolo, o MINISTÉRIO ocupava o primeiro lugar.
 

"Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus". Atos 20:24.

É necessário ressaltar que todos os crentes receberam igualmente um MINISTÉRIO do Senhor. Nem todos são pastôres, evangelistas ou missionários, mas todos que são salvos têm um MINISTÉRIO a ser cumprido durante a sua caminhada na face da Terra, no tempo da sua passagem por esse mundo. E esse MINISTÉRIO, independente da forma que seja desenvolvido, atuará diretamente nas áreas citadas na mensagem: serviço, anunciação, ensino e testemunho.Que possa ser essa nossa perspectiva de vida, para a glória de Deus.

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 16/02/14.





SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT