JESUS CRISTO, O DEUS VENCEDOR!



Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 07.04.13


TEXTO BÁSICO – APOCALIPSE 1
 

“Quando O vi, caí a Seus pés como morto. Porém Ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; Eu Sou o primeiro e o último e aquEle que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.” Apocalipse 1:17-18.

INTRODUÇÃO
Hoje estamos celebrando mais um Culto de Louvor ao nosso amado Deus, nos preparando para esse momento singular que é a Santa Ceia. Acabamos de comemorar a ressurreição do Senhor na Páscoa. Lembremos que Páscoa na nossa vida é todo dia, pois vivemos firmados na certeza de que Ele vive. É necessário fortalecermos nossas convicções acerca da vitória do Senhor Jesus. Fazendo assim pensaremos sobre as implicações da Sua ressurreição em nossa espiritualidade cotidiana. No texto lido, João teve a visão de Cristo glorificado, e recebeu dEle instruções que foram passadas às Igrejas, inclusive a nós.

Nos últimos dias temos visto nos jornais o cumprimento de uma das profecias da volta do Senhor: guerras e rumores de guerras. Os últimos eventos envolvendo a Coréia do Norte e os Estados Unidos podem não dar em nada, mas podem também ser o estopim de um conflito mundial.

Que a revelação do Senhor Jesus glorificado sejam confortantes a cada um de nós, na certeza de que Ele vive e tem todo poder em Suas mãos, que em breve virá nos buscar, e assim como João O viu, nós também O veremos naquele glorioso dia, e reinaremos com Ele eternamente!

EXPLICAÇÃO
O Livro Apocalipse de João tem seu tema conforme 1:1 “Revelação”, do grego “apokalupsis”, que significa literalmente “tirar o véu”, ou seja, nesse livro Deus nos revela coisas que hão de acontecer nos tempos do fim.

Apocalipse é um livro que ensina através de símbolos. É isso que revela o termo “notificou” (1:1), do grego “semainõ”, que significa “indicar, ensinar por símbolos”. Portanto, não se deve interpretar o Livro de Apocalipse literalmente em sua totalidade, uma vez que grande parte de sua mensagem nos é apresentada através de símbolos.

Exemplo claro disso está aqui mesmo no primeiro capítulo, onde João apresenta-nos uma descrição de Jesus Cristo glorificado (1:12-20). E é o próprio Senhor Jesus quem dá algumas explicações (vs.20) acerca dos sete candeeiros e das sete estrelas.
 

ARGUMENTAÇÃO
Jesus Cristo é o Deus Vencedor! Ele é Vencedor em tua vida? Como podemos afirmar com tamanha convicção que CRISTO É O DEUS VENCEDOR?

1 – JESUS É O DEUS ETERNO
“Eu Sou o primeiro e o último” (vs.17b)


Aqui é Jesus Cristo, perfeitamente Deus, falando! Jesus encarnou-Se, veio a nós, cumpriu sua missão morrendo na Cruz em propiciação por nossos pecados, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos Céus e em breve voltará. Mas lembre-se que antes de Sua encarnação Ele já reinava na eternidade com o Pai; que tudo foi feito por meio dEle, e que sem Ele nada do que foi feito se fez; e que Ele e o Pai São Um.

A expressão “primeiro e último” aponta para a eternidade de Deus. Segundo a Bíblia de Genebra, é essencialmente o mesmo que “Alfa e Ômega”, título dado a Deus (vs.8). “Alfa e Ômega” = a primeira e a última letra do alfabeto grego. Deus É o Alfa (Criador) e Ômega (aquEle que faz novos Céus e nova Terra). Ele É Senhor de todos (no passado, presente e futuro), (...) o “que É, que era, e que há de vir” (vs.4). (BEG).

Aqui Cristo Se outorga o mesmo título ao dizer “Eu Sou o primeiro e o último”, porque Ele É o Deus Filho. Jesus É Vencedor, porque Ele É Deus! Ao nascer, encarnando-Se, Ele Se fez homem, mas antes mesmo de Se encarnar, Ele já reinava eternamente.

Deus É “vivo e verdadeiro, o Qual É infinito em Seu Ser e perfeições. Ele É um Espírito puríssimo, invisível, sem corpo, membros ou paixões; é imutável, imenso, eterno, incompreensível, onipotente, onisciente, e onipresente; santíssimo, completamente livre e absoluto, fazendo tudo para a Sua própria glória e segundo o conselho da Sua própria vontade, que é reta e imutável. Deus É cheio de amor e justiça, é gracioso, misericordioso, longânimo, muito bondoso e verdadeiro remunerador dos que O buscam e, contudo, justíssimo e terrível em Seus juízos, pois odeia todo o pecado; de modo algum terá por inocente o culpado.” (CFW, capítulo 2, item 1).

A eternidade de Deus nos fala da Sua divindade. O Ser eterno de Deus é imortal, não tem começo nem fim, é o princípio de tudo, o Criador de todas as coisas, existe antes de tudo, e sempre existirá, é o mantenedor de tudo que há, e sem Ele nada do que foi feito se fez.

Para nossa mente limitada e imperfeita é difícil entender a eternidade de Deus, necessitamos crer mais do que entender. Basta compreendermos que o tempo foi criado por Deus, assim como todas as coisas, e como Ele está acima de Sua criação, o tempo está sob o Seu poder. Quando chegarmos lá no Céu também não estaremos mais sujeitos ao tempo, mas seremos semelhantes a Ele. E Ele já colocou a eternidade em nós – nossa alma é eterna!

2 – JESUS É O DEUS VENCEDOR
“e aquEle que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno” (vs.18)


Jesus é o Deus Vencedor porque Ele venceu a morte e o inferno!

A expressão “as chaves” denota a autoridade de Cristo. Ao Se encarnar Ele não deixou de Ser Deus, muito pelo contrário, a Sua divindade e o Seu eterno poder Se manifestaram durante todo o Seu ministério terreno. Mas ao Se despojar de Si mesmo para Se encarnar, de certo modo Cristo Se fragilizou, e como homem, dependia essencialmente do poder do Pai. Por isso que Ele orou, jejuou e se santificou em tudo que fez, e jamais pecou. Havendo ressuscitado, Jesus confirmou assim a Sua divindade, e tem todo domínio e poder sobre todas as coisas.

2.1 – JESUS VENCEU A MORTE

Precisamos compreender que ao Se encarnar, Jesus “esvaziou-Se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem” (Fp 2:7-8b). Ele, sendo Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus (Fp 2:6), mas abriu mão de toda a Sua glória e Se fez homem, nasceu de Maria por obra do Espírito Santo (Lc 1:30-35). Tudo isso fazia parte do glorioso plano eterno de Deus para nos redimir de nossos pecados. E porque todo homem é pecador, a única maneira aceitável para nos redimir, era que o Senhor Jesus viesse a esse mundo pecador e morresse em nosso lugar. Ele fez isso! (Jo 3:16).

A morte não poderia detê-Lo, Ele ressuscitou, está vivo, reina e em breve voltará. Você crê nisso? “E tenho as chaves da morte e do inferno” Apocalipse 1:18b.

A ressurreição de Cristo é o ponto básico da fé cristã. Se Ele não tivesse ressuscitado, tudo isso seria em vão, Ele não seria Deus, mas um impostor. Daí o grande esforço que o mundo faz para contrariar a divindade de Cristo, e a essencialidade da Sua ressurreição (1 Coríntios 15:12-21). Crer na Sua vitória sobre a morte é essencial para que se possa receber a salvação e a vida eterna

"Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens." 1 Coríntios 15:19.

Para quem não crê na ressurreição de Jesus, tudo isso é em vão. A Bíblia não é a Palavra de Deus, mas um livro de mitos, contos e fábulas. Dizem os incrédulos que “o papel aceita tudo”. Sim! Isso é verdade, o papel aceita tudo, inclusive a Palavra de Deus! É preciso acreditar que o que está contido na Bíblia é a Verdade, porque Ela é a Palavra de Deus, e é Ela quem nos afirma que Jesus Cristo ressuscitou. Não crer na ressurreição de Cristo é pecado mortal, gravíssimo, e a penalidade para quem não crê é a morte eterna. Jesus é o Deus Vencedor, Ele venceu a morte!

Ele já venceu a morte, e tem toda autoridade e poder sobre ela. Ele não somente operou os milagres de ressurreição, como Se deixou levar pela morte, entregando-Se para morrer na Cruz. Ele foi sepultado, mas ao terceiro dia ressuscitou, concretizando o que os profetas já haviam pregado (Sl 49:15; Ez 37:12; Os 13:14); e que Ele mesmo predisse (Mt 12:39-40; 16:4).

2.2 – JESUS VENCEU O INFERNO
O NT considera o inferno como o lugar de habitação final dos condenados à punição eterna, no Juízo Final, preparado inicialmente para “o diabo e seus anjos” (Mt 25:41-46; Ap 20:11-15). É descrito como lugar de “fogo” e “trevas” (Jd 7,13); de “choro e ranger de dentes” (Mt 8:12; 13:42,50; 22:13; 24:51; 25:30); de “destruição” (2 Ts 1:7-9; 2 Pe 3:7; 1 Ts 5:3); de “tormento” (Ap 20:10; Lc 16:23). A visão bíblica nos persuade a crer que embora o Céu seja indescritivelmente melhor do que podemos sonhar, o inferno será mais terrivelmente pior do que se possa imaginar. E essa será uma das conseqüências eternas que os ímpios terão que enfrentar eternamente. O inferno não é tanto a ausência de Deus, mas a conseqüência de Sua ira e indignação. (BEG).

Mas a expressão “inferno” também aponta para o reino das trevas, o diabo e seus demônios, os anjos decaídos. Jesus É o Deus Vencedor porque É soberano sobre todas as coisas, inclusive sobre satanás.

Isso significa que tanto a morte como o diabo, estão sob o Seu poder e domínio. Portanto não há razão para o crente temer esses inimigos que já foram vencidos por nosso Senhor e Salvador, JESUS CRISTO!!!

“Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?” 1 Coríntios 15:55 (Almeida Corrigida e Revisada Fiel).

CONCLUSÃO

Jesus Cristo é o Deus Vencedor! Esse não pode ser apenas uma frase de efeito, mas precisa ser uma realidade que influencia nossa existência como cristãos. Se Ele É o nosso Deus, e se Ele É vencedor, e Ele É, não podemos viver como derrotados. Cristo É Vencedor, e nós devemos buscar viver à sombra dEle, vencedores nEle, desfrutando dos benefícios obtidos por Ele em Sua vitória, e da segurança que Ele nos dá.

Isso implica em atitudes muito concretas e práticas da nossa parte.

SEJA CORAJOSO!
Diante de tamanha expressão de força e poder, João caiu as pés do Senhor como morto. Mas Jesus disse a João, e Ele também diz a nós: “NÃO TEMAS”! Não devemos temer o mal, o futuro que nos aguarda, as circunstâncias que virão, etc. Tudo está sob o comando e a soberania dEle.

Muito cuidado com o medo, ele pode paralisar, entristecer e desanimar. Lembre que os covardes não entrarão no Céu. Lute contra o medo, e desfrute da vitória que Cristo dá.



SEJA GRATO!
“Que darei ao SENHOR por todos os Seus benefícios para comigo? Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR. Cumprirei os meus votos ao SENHOR, na presença de todo o Seu povo.” Salmos 116:12-14. 

Como temos nos portado para com Deus em Sua obra? Somos gratos a Ele por tão grandes bênçãos? Quantas almas já ganhamos? Quantas sementes semeamos? Quantas pessoas evangelizamos? Quanto tempo temos gasto com Ele em Sua Palavra e em oração? A quantas Reuniões de Oração, Vigílias e Estudos Bíblicos participamos? Como temos nos saído? Vitoriosos ou derrotados?

Busquemos em oração as bênçãos decorrentes da vitória de Cristo. Ele é o Deus Vencedor, e o Seu desejo é que sejamos também vencedores em Sua causa.

Material de apoio:
ABA – A Bíblia Anotada;
ABVN – A Bíblia Vida Nova;
BEG – Bíblia de Estudo de Genebra.





SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT