UMA SINFONIA MORTAL

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva

“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.” Mateus 24:12.

Santa Maria, Rio Grande do Sul, madrugada de domingo 27/01/13. Numa das piores tragédias do nosso país, os bombeiros entraram naquele cenário horrível, onde centenas de cadáveres se espalhavam pelo chão. O relato é que ouvia-se o toque incessante dos celulares daqueles jovens que jaziam caídos pelo chão, que em uma sinfonia grotesca, gerava uma terrível sensação, pois eles não estavam mais ali para atender às chamadas. Eram pais e amigos, que angustiados com as últimas notícias, tentavam em vão estabelecer contato com seus queridos. Os bombeiros disseram que houve o caso de um só celular ter mais de 100 chamadas não atendidas de uma mãe desesperada.

A notícia se espalhou por todo o mundo, gerando grande comoção e revolta. A imprensa divulgou exaustivamente todos os detalhes desse triste fato, e muito tem se falado sobre as implicações, as normas de segurança, os responsáveis pelo alvará do local, etc. Em todo o país fala-se de fiscalizações e um enrijecimento das normas de segurança em casas de shows, bares, boates, e até em restaurantes e supermercados. (Recomento a leitura do excelente artigo escrito pelo Pb. Solano Portela - A TRAGÉDIA DE SANTA MARIA).

Mas existe algo que também precisa ser dito, especialmente ao povo evangélico: a questão das baladas e vida noturna.

Será que no meio dessa multidão havia algum jovem crente? Seria possível? Claro que sim! Nos nossos dias é muito comum sabermos de jovens que foram criados em Igrejas Protestantes, e que, no entanto estão trilhando por esses caminhos de pecado, alguns até com o consentimento de seus pais. O que acontece em uma balada? Qual é o tipo de ambiente de danceterias, boates, bares e casas de shows que atravessam as noites com centenas, senão milhares de pessoas? Certamente não é uma vigília de oração e louvor a Deus, mas um ambiente de pecado, onde a permissividade, luxúria, bebidas e drogas reinam livremente, para não se afirmar que sua prática é considerada por muitos até uma regra em tais locais.


O povo não crente considera "normal" passar a noite num ambiente desses, pois quem ainda não entregou o coração a Cristo ainda está nas trevas. Mas para o povo que verdadeiramente ama e teme ao Senhor, é totalmente inadmissível ir a esses locais. Como pode alguém que tem o selo do Espírito Santo sentir-se bem em um lugar tão hostil ao Evangelho? Um lugar onde o diabo, que é inimigo do nosso Deus, e portanto nosso inimigo, reina, domina e destrói as vidas que lhe pertencem. Não tem nexo algum, uma pessoa que aceitou o Senhorio de Cristo, e que serve a Deus de coração, frequentar tais shows, baladas e festas seculares. Esses locais não seriam tão frequentados caso não houvesse o consumo de bebidas, drogas, e a liberação do sexo sem compromisso. Mas, infelizmente, o que temos visto é um aumento cada vez maior do número de relatos de crentes que frequentam tais ambientes, e em tais locais se sentem totalmente a vontade, caso contrário não iriam lá. Muitos pais crentes sofrem noites a fio, pois perderam o controle de seus filhos, e não conseguem mais detê-los nos finais de semana.

Outra modalidade que tem crescido no país são as festas rave, que acontecem de dia e de noite, algumas chegam a durar mais de um dia e uma noite, e sabe-se que o consumo de drogas e bebidas nessas festas é quase uma regra.

O carnaval também está chegando, e o povo entorpecido pela festa da carne passa quatro dias e noites na bagunça. Seria esse um ambiente para quem ama o Senhor?

A música que “alegra” e movimenta esses ambientes e festas apregoa o pecado, zomba de Deus e escarnece do Evangelho. Comparável a uma sinfonia do inferno, satanás seria o maestro regendo os músicos e o coro de seus servos, que ele rouba, mata e destrói cruelmente. Esses, no entanto gentilmente se esforçam noite adentro para servi-lo e fazerem a sua vontade. Movidos, entorpecidos e dominados pelo álcool, whisky, vodka, cerveja, energéticos, êxtase, cocaína, maconha, e até crack e heroína. Não é sem razão o número crescente de viciados, usuários, e mortes causadas por desentendimentos, acidentes automobilísticos, latrocínios, tráfico, etc. E o sangue continua escorrendo, as vidas sendo ceifadas, e o inferno recebendo milhares de almas que num instante estavam “curtindo” mais uma noitada, mais uma noite de “festa”, balada, bebidas, drogas e sexo, mas agora estão sofrendo o castigo eterno.

É incontável o número dos que andavam nesses locais, e cedo encontraram a morte com um tiro, um carro batido em um poste, ou capotado na estrada, uma overdose, etc. São as vítimas das tais “baladas” a que a sociedade já se acostumou. O que aconteceu em Santa Maria obviamente chama a atenção, comove, perturba e entristece, por seu grande número de mortos. Mas por que as pessoas se acostumam com tantas outras mortes, todas as semanas? Por que pregar e falar contra as noitadas, baladas, etc., é “antiquado”? Para o mundo até entendo, mas não consigo aceitar o fato de crentes vivendo assim.

Recentemente fui a um supermercado 24 horas com minha esposa, em um sábado por volta das 21h30, e notamos que as filas estavam muito extensas, devido ao grande número de jovens vestidos para a noite, e com garrafas de bebidas, cachaça, vodka, whisky, etc. Aquilo nos tocou e nos comoveu profundamente; e nos perguntamos: quantos desses voltarão para casa? A que horas chegarão em seus lares? Quantos morrerão ainda jovens? Quantos se tornarão viciados, se já não o são? Será que há moços e moças crentes indo a tais lugares e festas?

Muitos terminam essas noitadas em quartos de hotéis e motéis, onde jovens homens mulheres (não mais moços e moças virgens, no sentido literal da palavra) entregam-se uns aos outros, se autodestruindo, perdendo sua virgindade, moral e respeito, rejeitando a salvação e a vida feliz e abençoada que Cristo oferece. Quantos contraíram a sífilis, gonorreia, hepatite e até o vírus da Aids nessas “baladas”? Quantas jovens engravidaram e abortaram, assassinando assim uma criança inocente e indefesa? E quantos jovens pais renunciaram seus filhos, que foram gerados assim, após uma noite de pecado?

Vivemos numa geração terrivelmente má e ímpia. Um tempo onde o pecado tem crescido e o amor a Deus tem se esfriado assustadoramente (Mt 24:12). Mas ainda há tempo para você que lê essa mensagem, e crê em Deus. Busque forças nEle! Deus pode mudar sua vida, creia nEle, ame-O, entregue-se a Ele, e Ele te salvará de seus pecados, transformará a sua vida, e mudará o curso de sua história. Não desista de sua fé, não abandone o seu Deus, não se entregue ao pecado, não se renda a satanás. Lute, acredite, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga ao Senhor Jesus. NEle você pode ser mais que vencedor!

Em meio a tanta escuridão, permanece viva a chama do Evangelho que diz:

“Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me.” Mateus 16:24.
“Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.” Mateus 24:13.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

  1. Oi Paulo, tudo na paz irmão! Rapaz, nesses horários, com certeza em casa dormindo, descansando para ir na EBD. Exceto e houvesse uma vigília de oração. Grande abraço e que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

FIQUE A VONTADE, DEIXE SEUS COMENTÁRIOS!!!

Obs: comentários serão bem-vindos se forem educados e não usarem termos ofensivos. Podemos discordar, mas vamos procurar manter o nível da educação e do respeito. Obs.: ao comentar identifique-se, pois não publicamos comentários anônimos.

Best regards in Christ, God bless you!!!

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT