BENÇÃOS QUE REQUEREM AÇÕES (3) O PODER DE DEUS E A ORAÇÃO

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto Vespertino 13.01.13


TEXTO BÁSICO – EFÉSIOS 1:15-23
“18 iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do Seu chamamento, qual a riqueza da glória da Sua herança nos santos, 19 e qual a suprema grandeza do Seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do Seu poder.” Efésios 1:18-19.


INTRODUÇÃO
Você alguma vez já se perguntou por que as bênçãos requerem ações? Se Deus É Soberano, amor, Onisciente, Onipotente e Onipresente então porque isso é necessário?

Porque Ele estabeleceu esse que é um dos princípios do que entendemos por “Aliança”. Deus fez uma aliança conosco, um pacto, o “Pacto da Graça”. Ele nos concede a salvação e Suas bênçãos maravilhosas, mas nós também temos certas obrigações, uma vez que estamos em aliança com Deus, temos um pacto com Ele.

Porque Deus quer assim. Não há muito que se explicar, apenas sabemos que Ele assim determinou. Existem aqueles que querem entender a mente de Deus partindo de pressupostos humanos. Não podemos atingir esse nível, pois somos pecadores. Desejar entender TUDO acerca de Deus e Sua obra, pode consistir, ou conduzir ao pecado. Tudo que precisamos e nos foi concedido por Deus saber acerca dEle e Sua obra para conosco, está revelado em Seu Livro Sagrado – a Bíblia Sagrada.

EXPLICAÇÃO
O texto de Efésios nos apresenta algumas bênçãos maravilhosas, que eram motivo das orações do Apóstolo Paulo, em favor daquela Igreja, para que Deus lhes abrisse os olhos do coração e lhes concedesse a graça de as conhecerem. Acontece que tais dádivas celestiais foram dadas não somente àqueles irmãos, mas a todos que creem em Deus, inclusive nós, Igreja atual. Cada uma dessas bênçãos requer de nós uma ação respectiva. Já vimos em mensagens anteriores: esperança e fé; herança e santidade; e hoje veremos o poder de Deus e a oração.

BÊNÇÃO – O PODER DE DEUS
“(...) qual a suprema grandeza do Seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do Seu poder.” Efésios 1:19.

Nesse ponto, Paulo orava para que os efésios soubessem da suprema grandeza e eficácia do poder de Deus em suas vidas. Precisamos do poder de Deus, precisamos ser tocados por esse poder, precisamos aprender a viver na dimensão desse poder. Para isso precisamos conhecer o poder de Deus, e crer nesse poder.

A palavra “poder” em grego – dinamis – é a raiz de duas outras palavras, que em português, ilustram muito bem a natureza do poder de Deus.

Dinamite – “Matéria explosiva formada de nitroglicerina misturada com areia quartzosa” (Michaelis), é um explosivo poderoso usado em pedreiras e construções. O poder de Deus é eficaz para quebrar os corações mais endurecidos, e para rebentar quaisquer prisões ou cadeias. Assim sendo, o crente verdadeiro não vive submisso aos padrões do mundo, prisioneiro do pecado, debaixo do jugo de satanás. O poder de Deus que nele habita o há de libertar de todos os vínculos e correntes do velho homem, sejam eles físicos, emocionais, psíquicos e espirituais. Você conhece esse poder? Quantos e quantos crentes viciados, humilhados, prisioneiros, apelando para as filas de espera da consulta dos psicólogos, dos conselheiros, até não crentes, tudo porque não conhecem essa dimensão de vida cristã. Por isso Paulo clamava a Deus pelos efésios, para que eles conhecessem esse poder grandioso e eficaz, que o próprio Deus lhes houvera dado. Precisamos clamar também!

“Mas o SENHOR nas alturas é mais poderoso do que o bramido das grandes águas, do que os poderosos vagalhões do mar.” Salmos 93:4.

Dínamo – “Nome dado às máquinas geradoras de corrente elétrica, especialmente corrente contínua; gerador. Máquina eletro¬di¬nâ¬mica que converte força mecânica em corrente elétrica.” (Michaelis). O poder de Deus é em nós semelhante a uma força motora infinita que nos dá forças para continuar caminhando e batalhando, independente das circunstâncias, até o grande dia do nosso encontro com o Senhor. O poder de Deus em nós ilumina nosso viver, afasta de nós as trevas do pecado e da iniqüidade, o poder de Deus afasta de nós ajuda-nos a discernir as obras das trevas e do diabo.

“mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.” Isaías 40:31.

O poder de Deus nos guarda, mediante a fé.
“que sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo.” 1 Pedro 1:5.

É simplesmente impossível vivermos uma vida cristão autêntica sem o poder de Deus. E é maravilhoso sabermos que Ele tem eternamente o mesmo poder que utilizou para criar o Universo e ressuscitar Jesus dentre os mortos, e que nos auxilia sempre com o esse Seu maravilhoso poder.

É de extrema importância sabermos também que não se pode separar o poder de Deus do próprio Deus. O Espírito Santo, a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, É o próprio Deus. Ele habita o coração de todos que se converteram de seus pecados, recebendo o Senhorio de Cristo nos corações, sendo selado com Ele, o Espírito Santo da promessa! Então, caros irmãos e irmãs, se você de fato é um (a) filho (a) de Deus, jamais duvide nem se esqueça que ninguém mais que o Deus Todo-Poderoso habita o seu coração, com Seu eterno poder. Creia nisso e busque-O de todo o seu coração!


AÇÃO – ORAÇÃO
Mas como já foi dito anteriormente, cada uma dessas bênçãos requer de nós uma ação, ou reação, uma demonstração de fé e interesse, respeito e sinceridade para com o Senhor Deus. No caso desta tão essencial benção, o poder de Deus, é requerida de nós uma vida de oração. Fomos chamados a uma vida de oração, e isso não é sem razão, é necessidade real de uma vida cristã vitoriosa. Mas como acontece em todas as áreas da vida devocional, hoje em dia a vida de oração também está posta em xeque por aqueles que defendem a sua “não prática”, ou seja, que não seria necessário vivermos uma vida de oração.

A grande verdade é que a oração tem sido continuamente desprezada em muitas igrejas. Observe quando há uma programação social, ou de louvor, um jantar, ou a noite do sorvete, etc., como a igreja enche. Mas quando trata-se de oração, a média de frequência geralmente é muito baixa. Falamos isso geralmente com ares de riso, mas é motivo de pranto. Quem despreza a oração, despreza o poder de Deus, e o gerador desse poder em nós é o Espírito Santo de Deus, a terceira pessoa da Trindade Santa, o próprio Deus ente nós.

O que aconteceu conosco? Como mudamos assim nossa prática que outrora foi tão voltada para a santidade e a oração? Como deixamos de lado os altares de Deus e passamos a buscar diversões, esportes, games, internet, tv? Quando foi que o diabo nos cegou para desprezarmos a fonte de todo poder? Poder esse do qual jamais devemos abrir mão?

“Portanto, diz o SENHOR, Deus de Israel: Na verdade, dissera eu que a tua casa e a casa de teu pai andariam diante de mim perpetuamente; porém, agora, diz o SENHOR: Longe de mim tal coisa, porque aos que me honram, honrarei, porém os que me desprezam serão desmerecidos.”  1 Samuel 2:30.
“Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas.”  Jeremias 2:13.

Acredito que se descobrirmos o “por quê” da nossa relutância em buscar a Deus, poderemos partir para a solução do problema e um retorno aos braços do Pai.
“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.”  Jeremias 29:13.

É necessário lembrar que a Igreja Primitiva perseverava numa vida de oração. Porém não era só oração, oração é ação!

Atos 2:42-47
42   E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.
43   Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos.
44   Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum.
45   Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.
46   Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria e singeleza de coração,
47   louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

Hoje em dia há muitos grupos que não tem o entendimento bíblico correto acerca desse assunto, por isso há tantas distorções. Há os que buscam ter uma vida de oração interessados em receber bênçãos; há os que passam horas de joelhos pensando que o por seu muito falar serão ouvidos; há os que pensam que orar em línguas é oração de poder, ou como eles dizem “oração forte”. Infelizmente já vi tantos que oravam em línguas e com a mesma facilidade adulteravam, promoviam divisões, tiravam o dinheiro do povo...

Mas as distorções e os erros dos outros não podem afetar a nossa espiritualidade, pelo contrário, devemos manter o ritmo de uma vida de oração saudável e frutífera. A oração pessoal deve ser diária, e não se pode renegar os trabalhos e reuniões de oração da Igreja, participando sempre que possível. O que não se pode admitir como normal, é deixar de orar para ver tv, jogar futebol, ou fazer qualquer outra atividade, digamos secundária. Nesse caso, a vida de oração e comunhão na igreja deve ser a nossa prioridade. Do contrário estaremos dizendo para Deus: “Senhor, muito obrigado por tuas tão ricas promessas, mas no momento eu não estou interessado”. Quem assim age prestará contas a Ele, e certamente colherá os frutos desse desinteresse.

Maravilhoso é saber que a graça de Deus cobre as nossas faltas e que podemos consertar nossos erros, e no lugar dos caminhos tortuosos, fazer caminhos retos.
“Por isso, restabelecei as mãos descaídas e os joelhos trôpegos; e fazei caminhos retos para os pés, para que não se extravie o que é manco; antes, seja curado.”  Hebreus 12:12,13.

CONCLUSÃO
Essas bênçãos são ocultas para muitos que preferem viver na superficialidade sem um compromisso sólido com Deus. São tesouros dos quais devemos nos apropriar através de uma vida de compromisso prático com o reino de Cristo. Você conhece essas bênçãos? Tais bênçãos são para ti também, pois são concedidas a todo aquele que crê em Cristo, e que tem uma aliança com Ele, firmada em Seu próprio sangue vertido na Cruz do Calvário.

A igreja evangélica brasileira vive hoje em dia uma dualidade de prática proveniente da fé que cada grupo abraça. Por um lado, hoje em dia há tanta verborragia, tantas belas palavras, porém vazias, sem vida, sem atitude, sem compromisso, sem sinceridade. Por outro lado, há muito mais vazio na prática de uma religiosidade sem “biblicidade”, onde as bênçãos aqui mencionadas, parecem não ter valor algum em face de uma suposta prosperidade prometida, do êxtase criado a partir de jogos de luzes, ou de técnicas de manipulação em massa, rituais de fogueira santa, ou a queima de papéis com pecados inscritos, na promessa que “seus problemas acabaram”. Alguns estão trocando o poder que santifica e liberta do pecado por alguma coisa parecida mais com o animismo religioso vindo da África, enquanto outros tem enjôo só de ouvir falar acerca do poder de Deus, confundindo-o com qualquer outra coisa que não

Necessário é retomarmos o caminho correto de uma espiritualidade bíblica. Oremos como fez o Apóstolo Paulo pedindo ao Pai celestial que nos abra o entendimento, ilumine os nossos olhos espirituais, para que possamos compreender essas três bênçãos e as ações nas quais elas implicam.

Benção           Ação
Esperança        Fé
Herança           Santidade
Poder               Oração

Que Deus nos dê sensatez para fazermos o que é correto.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT