A OBSTINADA ENTREGA DE JESUS

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti - S.C.Sul / SP
Culto Vespertino 04.11.12


TEXTO BÁSICO

LUCAS 22:39-53

INTRODUÇÃO
É impressionante a facilidade com que muitos desistem de seus planos diante das dificuldades que surgem pelo caminho. Existem aqueles que pensam que a vida cristã seria uma estrada coberta de pétalas de rosas, mas não se deram conta de que haveria pedras, espinhos, serpentes, escorpiões e abismos. Então, o que a gente faz quando surgem as lutas e dificuldades?

O testemunho de Jesus é maravilhoso, pois Ele não desistiu de Seu propósito que era cumprir o plano de salvação estabelecido por Deus. Ele veio para isso, e cumpriu cabalmente o Seu Ministério de redenção. Quantas lutas e obstáculos Ele teve que enfrentar para levar avante esse propósito. Que nessa noite possamos nos inspirar no testemunho de nosso Senhor, e que saibamos bem de que lado estamos nessa jornada de fé.

EXPLICAÇÃO
Obstinação = determinação, firmeza, tenacidade. (Michaelis).

Jesus já demonstrava essa determinação em ir para Jerusalém há algum tempo, onde Ele seria crucificado (Lc 9:51). No presente texto notamos essa determinação já no fato dEle ir orar no Monte das Oliveiras “como de costume” (vs.39), ou seja, Ele não Se protegeu, mas Se expôs ao perigo. Mas o ponto máximo desse determinada entrega de Jesus é notada no vs.42, quando Ele orou ao Pai dizendo:

"Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a Minha vontade, e sim a Tua."

Essa oração foi tão intensa e carregada de sentimento que Seu suor transformou-se em gotas de Sangue.

ARGUMENTAÇÃO
Esse texto nos apresenta a obstinação de Jesus diante de alguns dos maiores obstáculos que Ele enfrentou. Foi no final de Sua jornada, que Ele teve que enfrentar os piores desafios e dificuldades. Situações que como grandes muralhas, se interpuseram diante daquEle que sempre Se fez presente, sempre foi leal e amigo, e que viveu e apregoou a paz como o estilo de vida agradável a Deus.

Diante de tudo isso Ele poderia ter desistido de Sua missão. Mas Ele não desistiu!

 
1 – ABANDONO (vs.40,45-46)
Podemos dizer que o Senhor foi abandonado por Seus servos. Aquele momento era tão terrível que Ele chegou a pedir que os Seus discípulos orassem por Ele (vs.40). Em Mateus 26:38 essa situação é descrita assim:

"Então, lhes disse: A Minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai Comigo."

Este foi um momento exclusivo, singular, sem igual na vida do Senhor. O momento mais terrível antes da Sua execução. Foi uma hora tão difícil que Ele pediu oração. As duas naturezas de Cristo manifestam-se intensamente. Ele É perfeitamente Deus, mas também é perfeitamente homem. Seu sofrimento excede nosso entendimento. Sua dor, antes mesmo de ser preso, julgado, torturado e crucificado, já manifestava-se intensamente. Por isso Ele pediu que vigiassem com Ele.

Mas, infelizmente, o que vemos nos vs.45-46 é que Seus discípulos não oraram, antes “dormiam de tristeza”.

Mateus e Marcos relatam que Jesus:
- Os repreendeu, tornou adiantar-se para orar, e voltando os encontrou dormindo pela segunda vez, porque seus olhos estavam pesados (Mt 26:43; Mc 14:40).
- Repreendeu Simão Pedro dizendo: “Não pudeste orar nem uma hora?” (Mt 26:40; Mc 14:37).
- Exortou-os dizendo a famosa frase: “O espírito na verdade está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41; Mc 14:38).
- Marcos acrescenta que eles não sabiam o que Lhe responder (Mc 14:40).

A exortação de Jesus a que eles orassem e vigiassem era para que estivessem preparados para aquele terrível momento que se aproximava, onde todos seriam provados. Naquele contexto eles todos seriam grandemente tentados a abandonar a sua fé e lealdade ao Salvador. Eles não oraram, e por isso não resistiram. No momento em que Cristo foi preso, todos O deixaram!

As exortações de Jesus permanecem vivas em nossos dias.
"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." Marcos 14:38. "Orai sem cessar." 1 Ts 5:17.

No momento mais difícil Ele Se viu sozinho. Seus discípulos sequer vigiaram em oração ao Seu lado. Mesmo abandonado na oração, Ele persistiu em Seu propósito. 


Diz o ditado que “amigo é aquele que sempre está do nosso lado”. Jesus é o Amigo de todas as horas. Mas na hora em que Ele precisou, parece que não teve amigos.

E nós, temos vigiado em oração? Temos resistido nesses dias difíceis?
Estamos vigilantes ou dormimos de tristeza o sono da morte?
 

2 – TRAIÇÃO (vs.47-48)
Jesus enfrentou a traição! Ele sabia muito bem quem era o traidor, e fez vários alertas aos demais discípulos de que havia um traidor no meio deles: Judas Iscariodes que vendeu-se por 30 moedas de prata.

IMPORTANTE!!! Não confundamos Judas Iscariodes com Judas o Apóstolo e filho de Tiago, que se chamava Tadeu (Mt 10:3; Lc 6:16). Nem não confundamos com Judas autor da Epístola de Judas, um discípulo de Jesus e irmão de Tiago (Jd 1), que era irmão do Senhor (Gl 1:19; 2:9,12; Mt 13:55); ele não era um dos apóstolos, e não acreditava em Jesus, antes da crucificação (Jo 7:5).
 

LEMBREMOS TAMBÉM QUE... Quando Jesus foi preso, TODOS OS DISCÍPULOS O ABANDONARAM (Mc 14:50). Então de certo modo todos O traíram.

JUDAS ISCARIODES (de Queriote)
João 6:71 seu pai chamava-se Simão.
João 6:64 desde o princípio Jesus sabia de seu caráter.
João 13:11 nos é relatado que Jesus sabia que ele era o traidor.
Lucas 22:21 Jesus fala a todos que o traidor estava com Ele à mesa.
João 17:12 Judas Iscariodes é chamado de “filho da perdição”.
João 12:6 somos informados que Judas cuidava da bolsa, isto é, do dinheiro que eles usavam para comprar alimentos. Ele era ladrão, isto é, roubava desse dinheiro.
Lucas 22:3 satanás entrou nele, e ele foi entender-se com os sacerdotes, e fizeram um plano para ele entregar Jesus.
Mateus 27:5; At 1:18 Judas se enforcou e suas entranhas se espalharam no chão.

30 MOEDAS DE PRATA. Foi isso que Judas recebeu para trair o Senhor Jesus. O valor equivalente ao preço de um escravo naquela época, ou um campo. Algo em torno de R$ 40.000,00 hoje. Depois, quando ele caiu em si do mal que havia feito, Judas foi tocado de remorso, e tentou desfazer a transação com os sacerdotes, mas não conseguiu (Mt 27:3-5). E um campo foi comprado com aquelas moedas, que passou a chamar-se “campo de sangue” (Mt 27:8).

A SENHA. O beijo (ósculo) era um tipo de saudação comum naquele contexto. Obviamente só se beijava alguém que fosse conhecido, respeitado, estimado, amado. E foi justamente esse tipo de cumprimento, saudação, que Judas escolheu para trair o Mestre. Em Mc 14:44 esse beijo foi tramado como uma senha para que os opressores identificassem Jesus em meio à penumbra da noite, onde a iluminação era muito escassa. É impressionante que justamente esse tenha sido o sinal escolhido.

QUAL É O SEU PREÇO? Será que existem muitos “Judas Iscariodes” em nossos dias? Pessoas que parecem ser fiéis, mas que traem Jesus, a família e a Igreja? Por qualquer coisa, por qualquer preço? Quanto vale a sua fidelidade? A nossa fidelidade não tem preço, pois o Senhor nos comprou com o Seu próprio Sangue. Se temos um preço, esse preço excede a prata e ouro, o nosso preço é o precioso Sangue de Jesus! Não se venda, não se entregue, não traia o Senhor! Cumpramos a Palavra do Senhor: VIGIAI E ORAI PARA QUE NÃO ENTREIS EM TENTAÇÃO!!!

3 – VIOLÊNCIA (vs.49-53)
O Senhor Jesus também enfrentou a violência em Seus dias. Os sacerdotes e fariseus eram homens sanguinários. Eles planejavam matar Jesus já fazia tempo (Jo 5:18; 7:1; 8:59; 10:31; 11:53). Quem cruzasse o caminho deles seria um problema a ser removido, mesmo que fosse usada a violência.

VIOLÊNCIA DE FORA. Por trás da religiosidade judaica havia homens maus, violentos e cruéis. Eles tramaram a morte de Jesus, detalhe por detalhe. E quando foram prendê-Lo levaram consigo porretes e espadas (vs.52).

Semelhantemente vivemos dias em que temos que conviver com uma violência que cresce a cada dia. E como reagimos? Como somos por dentro?

VIOLÊNCIA DE DENTRO. Se a atitude violenta dos sacerdotes e fariseus nos impressiona, a de Pedro ainda mais! Ele tinha por Mestre o Príncipe da Paz, conviveu com Ele por três anos praticamente dia e noite, e ainda assim conservava marcas do velho homem. Pedro reagiu violentamente (Jo 18:10-11) decepando a espada de Malco, o servo do sumo-sacerdote. Humanamente entendemos a atitude de Pedro, mas o que ele fez foi totalmente errado. E Pedro que era um homem de extremos, assim que pôde fugiu, e poucas horas depois negou Jesus três vezes.

A violência não procede de Deus! Procede sim da nossa natureza humana decaída, e de satanás. Nossa ira não produz a justiça de Deus (Tg 1:20). Se temos que nos irar, nos iremos contra o diabo, nos iremos com o nosso próprio pecado, e não contra os nossos irmãos, nem contra o nosso próximo. E que essa "ira santa" produza não a violência, mas atitudes transformadoras.

 A REAÇÃO DE JESUS. Como sempre Jesus surpreendeu! Mais uma vez!

1º - Repreendeu Pedro dizendo:

"Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão." Mateus 26:52.

2º - Fez o seu último milagre de cura.

"Mas Jesus acudiu, dizendo: Deixai, basta. E, tocando-lhe a orelha, o curou." Lc 22:51.

3º - Até o final de Sua vida Ele não deixou de amar, até Seus inimigos! Amor prático, não só de palavras, mas de ação. Como é o nosso amor na prática? Não sejamos como os que amam só de palavras; nem como os que amam e ajudam somente os seus amigos, somente os que os amam.

Jesus cumpriu todos os mandamentos. Aqui ele estava cumprindo Lc 6:24 que diz:

"Digo-vos, porém, a vós outros que Me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam"

4º - Se fosse para ser violento, Jesus teria Seus métodos. Bastava Ele pedir e o Pai mandaria não apenas um anjo para salvá-Lo, mas MAIS DE 72.000!

"Acaso, pensas que não posso rogar a Meu Pai, e Ele Me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos?" Mt 26:53.

5º - Jesus entregou-Se espontaneamente (Jo 18:3-8).
Foi para isso que Ele veio, a Sua prisão já estava prevista e predeterminada. Somente assim Ele poderia nos salvar, e salvar todo o povo de Deus!

"Ninguém a tira de Mim; pelo contrário, Eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de Meu Pai." João 10:18.

Saibamos lidar com as situações em que algum tipo de violência, seja de palavras ou ações, se manifeste contra nós. Não vamos reagir como Pedro, pegando em armas; nem como todos os discípulos que fugiram e deixaram o Mestre na hora mais difícil. Mas sejamos como Cristo que não perdeu o controle da situação, não reagiu na carne, mas submeteu-Se à vontade do Pai.

CONCLUSÃO
Como temos agido em nossos dias? Se nós estivéssemos ali, como agiríamos?
De qual lado estamos? Quem somos nós na história?

Vigiaríamos ou dormiríamos; permaneceríamos ao Seu lado ou fugiríamos; saudaríamos o Mestre com amor e adoração, ou O trairíamos? Meditemos nisso, pois não há como voltar no tempo, mas a sua história, A  NOSSA HISTÓRIA, está acontecendo agora!

Nós também poderemos enfrentar diversos tipos de abandono, traição e violência. Como reagiremos? Sigamos o exemplo de Jesus, que é tremendo!

- Ele foi abandonado, mas jamais abandonou! Se você já deixou Jesus de lado alguma vez na vida, volte enquanto há tempo, pois Ele é misericordioso e rico em perdoar!

- Foi traído, mas jamais traiu! Não seja um tipo de Judas. Não traia Jesus, não troque Seu amor, comunhão e salvação por nada desse mundo. Não vale a pena... Nada se compara ao amor de Deus.

- Foi tratado com violência, mas amou Seus opressores! Saibamos reagir com sabedoria e amor diante das situações mais complicadas. Busquemos a sabedoria que vem de Deus, a mansidão que caracteriza os que verdadeiramente têm comunhão com Cristo.

Material de apoio:
Bíblia de Estudo de Genebra 

Bíblia Vida Nova
Dicionário Michaelis
Pequena Enciclopédia Bíblica.



SOLI DEO GLORIA!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT