CONHECER PARA OBEDECER

Por: Pb. José Vicente

Deuteronômio 11:18-25 


A obediência a Deus é fundamental na vida do cristão. Em toda a Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, somos exortados à obediência. Há, porém, uma questão: para obedecer, é necessário ter conhecimento quanto às ordens, aos mandamentos, caso contrário, não saberemos o que Deus requer de nós.

É como se uma criança, sem nunca ter sido avisada pelos pais, resolvesse brincar com o notebook do pai e acabasse quebrando o equipamento ao deixá-lo cair. Os pais nunca lhe disseram que não poderia utilizar aquele objeto para brincadeiras. Ela viu o equipamento, achou-o interessante e resolveu experimentá-lo. Como os pais poderão chamá-la de desobediente, se não havia sido dada ordem sobre aquilo para ela pudesse obedecer?

Entretanto, se os pais anteriormente haviam dito à criança que aquele equipamento pertencia ao pai e ela não deveria nele mexer, e mesmo assim ela contrariou as ordens, então será o caso de classificá-la como desobediente, e será justa a repreensão, assim como justo será o castigo.

Deus sempre exigiu que seu povo fosse obediente, mas não fez como o pai que não dá a conhecer ao filho a sua vontade, antes, Ele declarou abertamente quais eram os Seus mandamentos, e ordenou que fossem relembrados ao povo continuamente, a fim de que ninguém utilizasse o pretexto da ignorância para ser infiel.
 

Hoje, muitos cristãos vivem de maneira errada, desobedecendo reiteradamente aos mandamentos de Deus. Vários desses cristãos conhecem claramente a Palavra de Deus, e mesmo assim permanecem no erro. Outros pecam por não conhecerem a Palavra, e acabam fazendo coisas que desagradam a Deus.

Esclareça-se, porém, que nenhum cristão pode alegar ignorância para se ver livre das consequências da desobediência. Isto porque Deus determinou aos Seus servos no passado que escrevessem os seus estatutos, e hoje todo cristão tem acesso a eles, pois estão registrados na Bíblia.

Assim, quem ignora os mandamentos do Senhor age com negligência, pois tendo em suas mãos as Escrituras, deixa-as relegadas a segundo ou terceiro plano, apenas acumulando poeira na estante ou servindo para exibição no caminho para o templo, carregada sob o braço para passar a impressão de que ali está um crente genuíno.

Deus determinou que o seu povo adotasse algumas atitudes essenciais que ajudariam na obediência aos seus mandamentos.

1) Ter a Palavra entranhada em nosso ser (v. 18) 

No versículo 18 Deus ordena: “Ponde, pois, estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma”.
 
Coração, como sabemos, não se refere literalmente ao órgão que bombeia o sangue para todo o corpo humano, mas simboliza o centro das emoções e da vontade. Alma representa o nosso ser. A Bíblia diz que nós somos almas viventes. A alma é nossa identidade interior, nosso eu.

A Palavra de Deus não deveria apenas ser ouvida e lida pelos israelitas, mas eles deveriam assimilá-la de tal forma que ela fizesse parte de sua vida, que estivesse sempre em sua memória, como parte de seu próprio ser.

Da mesma forma, também nós não podemos nos limitar a ler a Bíblia, mas devemos buscar impregnar nosso ser com a Palavra. Os mandamentos de Deus devem estar em nossa memória, de forma que influenciem nosso viver diário.

A Palavra deve influenciar nossas vontades, nossos sentimentos, nossa conduta.

Trata-se de um conhecimento que traz vida, que nos conduz ao crescimento em santidade.

O salmista disse: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmo 119.11).

 
Quando se guarda a Palavra de Deus no coração, nossa consciência, com a ação do Espírito Santo, dá o sinal de alerta diante de atitudes contrárias aos mandamentos do Senhor.

2) Manter a Palavra sempre à nossa vista (vv. 18 e 20)
A Palavra de Deus sempre deve ser objeto de leitura e meditação. Mesmo quando não estamos com a Bíblia nas mãos podemos encontrar meios de lembrar o que Deus diz.

Nos versículos 18 e 20 Deus ordena que os israelitas atem os mandamentos na mão, na testa, que escrevam nos batentes das casas e portas, como uma forma de estar continuamente vendo e se lembrando dos mandamentos do Senhor.

Os judeus criaram tefilin (filactérios) que são atados à mão, se prolongam pelo braço e vão até a testa, contendo duas caixas de couro, quadradas. Cada caixa contém a transcrição de quatro textos das Escrituras. Uma caixa fica próxima ao coração, e a outra, na testa.

Além disso, eles usam a mezuzá, que é um objeto colocado na ombreira das portas, do lado direito, e contém pergaminho com trechos das Escrituras.

Assim, sempre que passarem por uma porta verão a mezuzá e se lembrarão do seu compromisso de honrar os mandamentos de Deus, além de lembrarem que a sua casa é dedicada a Deus.

Devemos cultivar o hábito de sempre ter em casa, no trabalho ou onde estivermos pequenos lembretes da Palavra de Deus, de forma que sempre os vejamos e nos lembremos da vontade de Deus para nossas vidas.

3) Ensinar aos filhos (v. 19)
Deus ordenou que os israelitas ensinassem aos seus filhos tudo quanto havia sido ordenado ao povo. Os filhos deveriam saber quem é Deus, o que ele havia feito em favor de Israel e contra os inimigos, quais os mandamentos que ele ordenara por meio de Moisés, as promessas que Ele fez e as advertências.

Os filhos deveriam ser ensinados no caminho da obediência a Deus, desde cedo, para que pudessem receber do Senhor as bênçãos prometidas, livrando-se dos sofrimentos causados pela desobediência.

Os pais sempre foram incumbidos por Deus de cuidar da instrução dos filhos com todo o zelo possível, e essa obrigação persiste até os dias atuais.

Todos os pais cristãos estão sob a ordem divina de cuidar para que seus filhos sejam instruídos no caminho de Deus. Esse ensinamento deve começar desde cedo, quando os filhos são crianças. Os pais devem ensinar os filhos a:
       a) Orar
       b) Ouvir a Palavra de Deus
       c) Ouvir testemunhos da ação de Deus relatados pelos pais
       d) Ler a Palavra de Deus
       e) Observar a Palavra de Deus

Vejamos algumas passagens bíblicas onde essa ordenança é repetida:

“Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” (Deuteronômio 6.6-7)

“Quando teu filho, no futuro, te perguntar, dizendo: Que significam os testemunhos, e estatutos, e juízos que o SENHOR, nosso Deus, vos ordenou? Então, dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó, no Egito; porém o SENHOR de lá nos tirou com poderosa mão. Aos nossos olhos fez o SENHOR sinais e maravilhas, grandes e terríveis, contra o Egito e contra Faraó e toda a sua casa; e dali nos tirou, para nos levar e nos dar a terra que sob juramento prometeu a nossos pais.O SENHOR nos ordenou cumpríssemos todos estes estatutos e temêssemos o SENHOR, nosso Deus, para o nosso perpétuo bem, para nos guardar em vida, como tem feito até hoje.  Será por nós justiça, quando tivermos cuidado de cumprir todos estes mandamentos perante o SENHOR, nosso Deus, como nos tem ordenado.” (Deuteronômio 6.20-25)

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.” (Provérbios 22.6)

“E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor.” (Efésios 6.4)

“E que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito” (1 Timóteo 3.4,12)

“Não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do SENHOR, e o seu poder, e as maravilhas que fez.” (Salmo 78.4)

Assim como nós devemos ter a Palavra de Deus arraigada em nosso ser, é nossa obrigação plantar a Palavra nos filhos, procurando com todo o zelo firmá-los no caminho do Senhor, para que tenham vida plena na Presença de Deus e não sejam atingidos pelas consequências da desobediência.

Infelizmente, nos dias atuais parece que nem todos os pais cristãos estão preocupados em ensinar aos seus filhos sobre a Palavra de Deus. Há pais que não se importam de deixar os filhos dormindo até tarde aos domingos, em vez de criar neles o hábito de irem à Escola Bíblica Dominical, onde aprenderão a Palavra de Deus.

Muitos pais têm dó de acordar os filhos para irem à EBD, mas sentem remorso ao permitirem que os filhos fiquem até altas horas na rua, na companhia de amigos, indo a bailes e frenquentando ambientes que não são aconselháveis.

Os pais devem ser os principais influenciadores na vida dos filhos, mas nos dias atuais quem ficou com a função de influenciar crianças, adolescentes e jovens foi a televisão, a internet, os amigos, a sociedade, etc.

O exemplo dos pais vai refletir na vida dos filhos. O ensino dos pais tem que ser constante para os filhos. Um filho é diferente do outro. As personalidades são diversas. Nem todos responderão igualmente aos ensinos ministrados pelos pais. Porém, se, ao crescerem, os filhos se desviarem, os pais devem ter a consciência tranquila de terem feito tudo o que o Senhor ordenou que fizessem.

Conclusão

Para obedecer a Deus precisamos conhecer os Seus mandamentos, e isto é possível através do conhecimento da Palavra de Deus.

Devemos estar sempre vigilantes para que a Palavra do Senhor esteja impregnada em nosso ser, assim como é nosso dever ensinar aos filhos a guardarem os preceitos de Deus.

Se formos obedientes a Deus, nós e nossas famílias seremos abençoados, conforme prometeu o Senhor.

Que Deus nos incline o coração a buscar a Sua Presença e andar nos Seus Caminhos.

O Pb. José Vicente é advogado e membro da IPB de Porecatu / PR.


Nas Profundezas da Simplicidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT