A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 25.09.11


TEXTO BÁSICO

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam.” João 5:39.

INTRODUÇÃO
É possível alguém estar perto de uma grande verdade ou de um grande tesouro e não se dar conta disso. Existem diversos relatos de pessoas que viviam literalmente em cima de um tesouro e não sabiam. Outros nasceram com um dom ou aptidão e nunca haviam se apercebido disso, até que descobriram qual era a sua vocação e fonte de realização pessoal.

Muitos judeus, nos dias de Cristo, estavam tão perto dEle, mas não se submeteram a Ele. Viram Suas obras, mas não Lhe deram crédito, pelo contrário atribuíram a belzebu os sinais que Ele realizava. Quando Jesus buscava os perdidos O chamavam de beberrão e amigo de pecadores. Estavam tão perto do Salvador, mas não O reconheceram como Senhor de suas vidas.

O que temos nós em comum com aquele povo? Será que temos reconhecido Jesus como Senhor nosso? E a Sua Palavra, a Bíblia? Temos de fato entendido e crido que ela é a Palavra de Deus? Quantos têm a Bíblia em suas casas ou bibliotecas, apenas como um livro dentre tantos, e ainda não se aperceberam que é a Palavra de Deus que ali está? E quantos estão freqüentando as Igrejas nesse mundo afora, e no entanto não são convertidos? Como ficarão no Dia do Juízo?

O reconhecimento da Bíblia como Palavra de Deus é essencial na carreira cristã, e é sobre isso que vamos falar nessa noite.

A grande descoberta: A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS!

EXPLICAÇÃO

A abordagem peculiar do Evangelho de João. Este é o mais teológico dos 4 Evangelhos. Trata da natureza e da pessoa de Cristo, e do significado da fé nEle. A apresentação que João faz de Cristo como divino Filho de Deus se vê nos títulos que Jesus recebe no livro: “o Verbo de Deus” (1:1); “o Cordeiro de Deus” (1:29); “o Messias” (1:41); “o Filho de Deus” e “o Rei de Israel” (1:49); “o Salvador do mundo” (4:42); “Senhor... e Deus” (20:28). Sua divindade também é afirmada na série de pronunciamentos “Eu Sou” (6:35; 8:12; 10:7,9,11,14; 11:25; 14:6; 15:1,5). Em outros pronunciamentos “Eu Sou”, Cristo deixou implícita e explícita a Sua reivindicação de ser o “EU SOU” – Javé do Antigo Testamento (4:24,26; 8:24,28,58; 13:19). Essas foram as mais fortes reivindicações de divindade que Jesus fez. (ABA).

ARGUMENTAÇÃO
Vamos analisar o que Jesus disse nesse versículo e qual era a atitude daqueles judeus. Nesse exercício tentaremos avaliar qual tem sido nossa postura diante de tão grave assunto.

1 – EXAMINAIS AS ESCRITURAS (vs.39a)

No grego Jesus pode estar dando uma ordem ou fazendo uma afirmação. Mas aqueles homens estudavam as Escrituras de fato. Jesus não disse que eles estavam errados, essa afirmação soa até como um elogio, ou reconhecimento de que pelos menos nisso eles faziam a coisa certa, mas não do modo certo. Eles estudavam as Escrituras do modo errado porque lhes faltavam alguns elementos cruciais para o exame correto da Palavra de Deus. Precisamos examinar as Escrituras do modo certo para não incorrermos nos mesmos erros que os fariseus.

1.1 – Faltava-lhes fé (vs.38,40). É a fé que nos aproxima de Cristo. Nós só queremos nos aproximar de Cristo porque cremos nEle, cremos que Ele é o Filho de Deus, cremos que Ele é o autor da nossa salvação, cremos que Ele habita em nós. Quantos sábios desse mundo conhecem a Bíblia, mas não crêem que ela é a Palavra de Deus? Se todos que conhecem a Bíblia começassem a crer, as Igrejas ficariam lotadas de pessoas cultas. Mas sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11:6), sem fé não conseguimos caminhar por muito tempo, sem fé não tem como ir a Cristo. A Palavra de Deus não permanecia eficazmente na vida daqueles homens porque eles não criam em Jesus (vs.38).

1.2 – Faltava-lhes amor de Deus (vs.42). Examinar as Escrituras com o coração duro é perigoso, pois o coração pode endurecer mais. Se lermos a Bíblia e não amarmos a Deus, o Seu autor, e ao nosso próximo, nosso pecado será maior do que o pecado dos ignorantes, pois agora teremos a ciência do que Deus diz e quer, e isso nos torna mais responsáveis diante dEle. Ao lermos a Bíblia devemos clamar a Deus que inunde os nossos corações com o Seu amor.

1.3 – Faltava-lhes humildade (vs.44). Aqueles homens eram extremamente arrogantes e jactanciosos. O acúmulo de conhecimento sem fé e amor causa esse sentimento de orgulho, de se estar por cima dos outros por haver adquirido o conhecimento. O correto é que na medida em que adquirimos mais conhecimento de Deus a humildade cresça em nós. Assim o maior se torna servo, como Jesus que Se fez Servo. (Ex. de quantos teólogos estão cheios de conhecimento e de orgulho, morrendo e matando Igrejas, e artigo do Rev. Augustus: “O ‘dom’ de matar Igrejas”).

Com qual sentimento e atitude examinamos as Escrituras?

A Palavra de Deus não pode ser desprezada, ela é o nosso alimento. O seu conhecimento é essencial para a sobrevivência na fé e o crescimento da Igreja, espiritual e numérico. Isso é muito simples de se compreender. Por exemplo, quem não se alimenta fisicamente, se enfraquece, adoece e morre. Espiritualmente não é diferente. O crente que não se alimenta da Palavra de Deus definha.

Isso é tão importante que em Atos 17:11 os que examinam a Palavra de Deus são chamados de nobres:
"Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a Palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim."
 
A Igreja precisa ter mais intimidade com a Bíblia, porque ela é a Palavra de Deus! Para isso não basta apenas “dar uma lida” de vez em quando; é preciso examinar, esmiuçar. Necessitamos conviver com esse livro, ser íntimos desse livro, crer nesse livro, amar esse livro.

2 – JULGAIS TER NELAS A VIDA ETERNA (vs.39b)
Não pensemos que os judeus eram totalmente incrédulos. NÃO! Eles acreditavam que a vida eterna estava contida na mensagem escriturística, o que é uma verdade absoluta! Sim a vida eterna está contida na mensagem das Escrituras. Você quer ter a vida eterna? Examine a Bíblia, conheça a Bíblia, creia na Bíblia, pratique a Bíblia, e terás um tesouro no Céu, a vida eterna!

Essa é a mensagem da Igreja, o pendão real, a bandeira real que a Igreja ostenta nesse mundo governado pela morte e escuridão. Mas os que são alcançados pela mensagem contida nas Escrituras e dela se apoderam pela fé, recebem a salvação e a vida eterna.

Testemunho - O engano do espiritismo e a mensagem de salvação.
Certa vez, em conversa com um amigo espírita, um servo de Deus expôs a mensagem da salvação, afirmando a necessidade do arrependimento dos pecados para se alcançar a vida eterna. Este amigo então disse que não acreditava no castigo eterno, mas no amor de Deus. Afirmou também que ele se re-encarnaria quantas vezes fosse necessário até atingir um certo nível de luz e perfeição. O crente então, com a espada do Espírito, passou a explicar para o seu amigo aquilo que a Palavra de Deus revela acerca desse assunto primordial, a mensagem da salvação:

2.1 – Não existe re-encarnação. “(...) aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo" (Hb 9:27). Essa doutrina não condiz com as Escrituras, ou seja, não está na Bíblia, não procede da boca de Deus, é uma mentira que tem enganado milhões de pessoas em todos os tempos. Essa tese suprime a necessidade do arrependimento, e anula o poder remidor do Sangue de Jesus.

2.2 – Deus é amor sim, mas também é justiça. Ele não permitirá que o pecado adentre aos Céus. O amor de Deus é manifesto em Jesus que morreu na Cruz para nos salvar. Mas o inferno é real e todos os que não se converterem de seus pecados serão lançados ali onde ficarão eternamente separados da presença e do amor de Deus, juntamente com o diabo e seus anjos (Jo 3:16; Mt 25:41). 


2.3 – É necessário se decidir e se arrepender dos pecados. Assumindo uma posição de fé e temor a Deus, através da qual a vida é transformada pelo poder da regeneração de Cristo, o que era velho se faz novo. Isso é o que a Bíblia nos ensina acerca dos que se decidem, convencidos pelo amor de Deus, e experimento o novo nascimento e a vida nova que Cristo dá aos que nEle crêem. A partir daí se faz necessário o batismo, a confissão da fé em Cristo, o crescimento espiritual através do aprendizado e da prática das Escrituras, em santificação.

Essa é a mensagem da vida eterna que as Escrituras contém. Mas os judeus falhavam por não irem a Cristo (vs.40), e por isso não tinham a vida eterna. Conheciam as Escrituras, mas não tinham vida.

3 – ELAS TESTIFICAM DE MIM (vs.39c)
Havia um tom de repreensão de Jesus por causa do testemunho dEle e da Sua missão. O provava que Jesus era o Messias, o Arauto da verdade? Quais eram as suas credenciais?

Jesus disse que se Ele testemunhasse acerca de Si mesmo, isso não seria válido para aqueles homens (vs.31). Também disse que não aceitava testemunho humano (vs.33-34), ou seja, esse testemunho não teria valor algum diante de tão grande obra. (O mau exemplo dos falsos pastores que se ungem e uns aos outros).

As credenciais de Cristo: autoridade do Pai, obras, e as Escrituras.

No entanto Jesus afirmou que Outro testemunhava acerca dEle (vs.32); esse Outro que testemunhava acerca de Cristo era o próprio Deus Pai que Lhe concedia autoridade.

As obras de Cristo também testificavam sobre Sua obra. O Pai Lhe conferia poder através do qual Ele realizava todas as Suas obras e sinais (vs.36-37).

As Escrituras também testificam sobre Ele (vs.39c). Aqueles homens, como tantos outros hoje em dia, estavam tão perto da verdade, mas não acreditavam que Cristo fosse Quem as Escrituras dizem que Ele É.

"Porque um Menino nos nasceu, um Filho se nos deu; o governo está sobre os Seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." (Isaías 9:6).

Há uma imensidão de textos messiânicos no VT que atentam acerca do Messias. Os judeus conheciam tais passagens, mas não criam que elas se referiam a Cristo. Tão perto e tão longe ao mesmo tempo.

CONCLUSÃO
Precisamos redescobrir o amor pela Palavra de Deus. Creio firmemente que o legítimo avivamento espiritual do crente, individualmente, e de uma Igreja, coletivamente falando, tem que necessariamente ser firmado nesse compromisso de exame sério, responsável e comprometido com a prática, das Sagradas Escrituras.

Que sejamos tocados por Deus e que a sede e fome da Palavra de Deus seja real em nós.

SOLI DEO GLORIA!!!


Material de apoio:
ABA – A Bíblia Anotada
BVN – Bíblia Vida Nova.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT