O QUE É MAIS PRECIOSO PARA NÓS - PARTE 1

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 02.05.10 - item 1.1


Texto básico: Atos 20:17-24

20.17   De Mileto, mandou a Éfeso chamar os presbíteros da igreja.  20.18   E, quando se encontraram com ele, disse-lhes: Vós bem sabeis como foi que me conduzi entre vós em todo o tempo, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia,  20.19   servindo ao Senhor com toda a humildade, lágrimas e provações que, pelas ciladas dos judeus, me sobrevieram,  20.20   jamais deixando de vos anunciar coisa alguma proveitosa e de vo-la ensinar publicamente e também de casa em casa,  20.21   testificando tanto a judeus como a gregos o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus [Cristo].  20.22   E, agora, constrangido em meu espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que ali me acontecerá,  20.23   senão que o Espírito Santo, de cidade em cidade, me assegura que me esperam cadeias e tribulações.  20.24   Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus.

EXÓRDIO / INTRODUÇÃO
O que é mais precioso para nós? Existe um conjunto de atitudes que mostram aquilo que é mais precioso para nós, e também quem nós somos, qual nosso objetivo de vida e qual o nosso caráter cristão. São nossas atitudes que de fato revelam o que é mais importante para nós e o que mais valorizamos na vida, e não nosso conhecimento, bens, aparência física, como nos vestimos ou onde moramos. No texto lido aprendemos essa lição com o apóstolo Paulo, pois ele fala claramente de algumas atitudes tomadas por ele, mesmo passando por diversas provações e que mostram o que era mais importante para ele: o MINISTÉRIO recebido do Senhor e o seu cumprimento. Isso era o que havia de mais precioso em sua vida, sem o que a sua vida não teria valor nenhum. Nessa mensagem veremos quais são essas atitudes que provam que o MINISTÉRIO era o que havia de mais precioso para o Apóstolo Paulo, e ao mesmo tempo faremos uma auto-avaliação de como temos nos posicionado diante de um mundo de oportunidades que se nos apresentam dia a dia.Temos dado ao nosso MINISTÉRIO o mesmo valor que Paulo?

EXPLICAÇÃO
O apóstolo Paulo estava sendo levado para Roma onde ia ser julgado e morto. Nesse momento crucial ele manda chamar os presbíteros da igreja de Éfeso para se despedir (vs 17). É um momento muito triste e glorioso que está sendo vivido ali. Triste pois não é uma simples despedida, ele estava indo ao encontro de sofrimentos terríveis (vs 22,23) e glorioso pois este homem de Deus iria testemunhar perante reis e imperadores aquilo que Cristo fizera em sua vida. Ele que outrora fora perseguidor da igreja, agora transformado pela graça divina, estava para pagar com a própria vida o privilégio de ser um seguidor de Cristo. O ápice, ou ponto alto do texto está no vs 24 quando ele declara o valor que o MINISTÉRIO tinha para ele. Em tom de despedida, Paulo fala sobre como havia se portado, isto é, quais haviam sido suas atitudes enquanto estivera no meio deles. Essas atitudes provam que o MINISTÉRIO era o que havia de mais precioso para ele.

Essas palavras de despedida servem de lição para nós também (1 Co 11:1).
“Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.”

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES
Quais são essas atitudes do apóstolo Paulo que mostram o que era mais precioso para ele? Em que se resumia o seu ministério, praticamente falando, junto à igreja? Como ele havia se portado no meio da igreja? No texto destacam-se quatro ATITUDES EXEMPLARES que são verdadeiras lições para nós. Através dessas ações é que Paulo exercera e completara seu MINISTÉRIO.

1 - SERVIÇO - vs 19
A primeira atitude exemplar do apóstolo Paulo naquele contexto foi o serviço. Havia nele uma disposição exemplar para o serviço cristão. Quando falamos em "serviço" precisamos entender bem o seu signifcado. A palavra "servo" significa: escravo, servente, criado, aquele que está sujeito a um senhor. Fomos chamados para servir ao nosso Mestre e Senhor Jesus Cristo. Ao sermos salvos nos tornamos servos do Senhor, e na agenda do serviço do Senhor está o serviço uns aos outros. Quando aprendemos essa grande lição, uma série de barreiras caem por terra, nosso orgulho por exemplo, pois ser servo é uma atitude de vida e não de culto somente, é o caminho da humildade e obediência ao Senhor Deus e amor ao meu próximo. Essa atitude não pode ser confundida com mera religiosidade.Existem algumas verdades fundamentais acerca do serviço cristão.

1.1 Qual a disposição correta para o serviço cristão?
Como temos servido ao Senhor? Altivos ou quebrantados? Alegres ou tristes? Perdoando tudo ou rancorosos? De bom coração ou contrariados? Com os olhos em Cristo ou com os olhos no mundo? Com disposição ou com preguiça? Louvando e glorificando a Deus em todas as situações, ou reclamando de tudo? A atitude correta para o serviço cristão, conforme o testemunho de Paulo, traz em si 3 características: humildade irrestrita, lágrimas e provações. Segundo vs 19 o modo como Paulo servia tinha 3 características: “...humildade, lágrimas e provações.”

1.1.1 A primeira característica para servir conforme o exemplo de Paulo é servir com toda a humildade necessária a um SERVO verdadeiro. O oposto disso é que o orgulho nos impede de sermos bons servos. O verdadeiro SERVO é reconhecido por sua humildade.

1.1.2 Nessa jornada de serviço muitas vezes iremos derramar lágrimas, e devemos estar preparados para isso, se necessário Sl 126:5,6 “Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”. Choramos muitas vezes por não vermos os resultados de nosso esforço e trabalho, outras vezes choramos de quebrantamento em orações fervorosas diante do trono de nosso Pai eterno.

1.1.3 Quando estamos servindo ao Senhor verdadeiramente, podemos até passar por provações, mas encontraremos forças renovadas para enfrentá-las. Vemos isso no testemunho do apóstolo Paulo que passou por tantos sofrimentos e provações sem, contudo, desistir. Não devemos esperar o reconhecimento por nosso trabalho como um prêmio, um pagamento; sabemos que o Senhor que tudo vê nos recompensará.

1.2 Três verdades básicas.
Dentro desse pensamento entendemos que o serviço cristão implica em pelo menos 3 verdades básicas na vida cristã:

1.2.1 Servir ao Senhor é essencialmente obedecê-Lo, e obedecê-Lo é o cumprimento de Sua palavra, Seus mandamentos, fazer Sua vontade. Servir ao Senhor não é ativismo mas obediência, pois podemos estar muito ocupados, inclusive com a obra de Deus, e no entanto permanecermos numa atitude constante de desobediência a Ele, um desserviço, uma deslealdade. Somos alertados em Mateus 7:21-23 "Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade."

1.2.2 Jesus é o nosso exemplo máximo de Servo. Ele é chamado de "o Servo sofredor", Suas atitudes provam isso. Ele estava tão disposto a obedecer a vontade de Deus que orou em Marcos 14:36b "contudo, não seja o que eu quero, e sim o que Tu queres", e Ele foi obediente até a morte e morte de cruz - Fp 2:8. Hoje em dia muitos cristãos desejam ir para o Céu mas não querem fazer essa oração.

1.2.3 Servir ao Senhor é também servir ao meu próximo. A minha disposição de amar e servir a Cristo se revela na mesma disposição em amar e servir ao meu próximo, isso fica claro nos sermões de Jesus quando ele pregou a parábola do Bom Samaritano em Lucas 10:29-37 respondendo a indagação "quem é o meu próximo?"; e também em Mateus 25:31-46 na mensagem sobre o juízo final. Não posso servir a Deus se não me dispuser a servir meus irmãos. A Bíblia nos ordena a prática do amor uns aos outros através do serviço. Novamente ser servo é basicamente cumprir o que a Bíblia manda quando trata da comunhão cristã: respeito, amor, perdão, humildade, ajuda em todos os sentidos. Foi esse o exemplo de Jesus quando lavou os pés dos discípulos, e Ele mesmo disse: João 13:14 "Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros." Paulo escrevendo aos Gálatas também frisou essa realidade: Gl 5:13b "...sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor." Gl 6:2 "Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo."

CONCLUSÃO
Na vida cristã certamente encontraremos muitas lutas e dificuldades. Devemos ter o cumprimento da nossa carreira como o ponto máximo, o fator preponderante de nossa existência. Se assim não for, estamos pecando contra a Palavra de Deus que aqui nos foi exposta. Mas se vivermos a vida cristã desse modo, teremos necessariamente que praticar o serviço cristão, e nessa noite vimos como ele deve ser vivido: com humildade, lágrimas se necessário, e em meio a quaisquer provações que nos sobrevierem, dentro da vontade soberana de Deus. Que nos abençoe e nos guarde, e nos capacite.


S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL