ESTÁ CONSUMADO!

3ª IPB de Barretos / SP – 02.04.10
Culto Vespertino Especial da Paixão de Cristo


TEXTO BÍBLICO - João 19:28-42
“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.” João 19:30.

INTRODUÇÃO / EXÓRDIO
Qual é o valor de uma alma? Essa pergunta pode soar um tanto estranha aos ouvidos do homem natural. Mas as pessoas entendem melhor se dissermos: qual é o valor de uma vida? Infelizmente para o mundo uma vida, ou uma alma (vida), pode não vale praticamente nada (hospitais lotados, sistema de saúde falido, o descaso das autoridades). Nas ruas a violência é tanta que a vida não vale mais nada mesmo, mata-se pelas coisas mais banais, acaba-se com a vida e o futuro de tantas famílias e tantas crianças por mero egoísmo. Mas para Deus, a vida de Seus eleitos vale muito! Para salvar o Seu povo de seus pecados e suas terríveis conseqüências, Deus enviou o Seu próprio Filho para pagar o preço. O valor dessas almas está ligado diretamente ao que Ele fez para salvá-las: Ele morreu por essas almas.

EXPLICAÇÃO
Nesta sexta palavra o Senhor Jesus faz uma declaração fundamental para a fé cristã: ESTÁ CONSUMADO. “A pior prova, a de suportar no lugar do Seu povo o juízo de Deus contra o pecado, estava superada.” (BEG). A palavra em grego que aparece aqui é "tetelestai" que significa “liquidado, pago”. Está consumado = está pago.

Segundo o site Bíblia On Line, recibos de impostos em papiro foram encontrados com a palavra grega "tetelestai" escrita neles, o que significa "liquidado, pago". 


Portanto, esta palavra de Jesus, "está consumado", é de profundo significado para todo aquele que nEle crê.

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES
O que significa a morte de Jesus Cristo? Muitas coisas. Vamos trabalhar em cinco lições acerca do significado deste precioso sacrifício que Ele realizou naquela cruz, em Sua extrema benevolência, e as conseqüências na vida de todo aquele que nEle crê. O que significa o "está consumado" na hora de sua morte de Jesus?

1 –  O nosso resgate
A morte de Cristo pagou o preço da penalidade pelo pecado.
“Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.” Mt 20:28.
“O qual se deu a Si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo.” 1 Tm 2:6.

O pecado tem uma penalidade a ser cumprida (paga), e essa penalidade é a morte eterna. No caso dos crentes Cristo pagou este preço no lugar deles.
“Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Rm 6:23.

2 – Nossa reconciliação com Deus  

A posição do mundo em relação a Deus foi modificada pela morte de Cristo, de tal modo que agora, todo aquele que nEle crer será salvo.
“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.” 2 Co 5:18,19.

“A reconciliação envolve uma mudança de relacionamento, pois nossos pecados já não são imputados contra nós (vs. 19). Devemos agora anunciar a outros essa mensagem da graça de Deus.” (ABA).

“... todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.” Atos 2:21.
“A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.” Rm 10:9,10.

3 – A propiciação perfeita
“Propiciação = o sacrifício de Jesus, de Si mesmo e a Sua morte, para cumprir a justiça divina e obter a reconciliação entre Deus e os homens.” (PEB).
A justiça de Deus foi satisfeita com a morte de Cristo.
“E Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo.” 1 Jo 2:2.
“Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados.” 1 Jo 4:10.
“Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?” Hb 9:14.
“E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.” Hb 9:22.
“Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” Hb 9:28.

4 – A expiação dos nossos pecados 

Cristo morreu no lugar de pecadores, Ele é o nosso substituto na cruz.
“Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Co 5:21.
Aqui está o coração do Evangelho: o Salvador sem pecado algum assumiu os nossos pecados para que possamos ter a justiça de Deus.

“Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne.” Rm 8:3.
A palavra “semelhança” é fundamental para o entendimento do texto, pois indica que Jesus era genuinamente humano, mas não era um homem pecaminoso, pelo contrário Ele era (e é) totalmente SANTO, na mesma essência de Is 6:3 onde lemos:
“E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.”

Jesus foi à cruz em nosso lugar, por compaixão, mas sem nenhuma sombra, mancha ou semente de pecado.
“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” Hb 4:15.

5 – A maior prova de amor  

O sacrifício de Jesus é a maior prova do amor de Deus por nós. Qual o preço de uma alma para Deus? O preço do sangue de Seu próprio Filho unigênito. Como diz o cântico “você tem valor!” Esse valor é muito maior do que prata ou ouro ou riquezas, o valor que os filhos de Deus tem é o sangue de Jesus. Para que os seus filhos pudessem ser salvos o Senhor pagou o maior preço, deu a maior prova de amor: a vida do Seu Filho, Jesus Cristo.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” Jo 3:16.
“Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” Rm 5:8.

É incompreensível para nós esse amor de Deus, esse amor que Cristo demonstrou ao se entregar, sofrer tanto, e morrer em nosso lugar para nos salvar. Cremos e aceitamos por fé essas verdadeiras revelações que Deus faz em Sua santa e bendita Palavra.

CONCLUSÃO  

Ao consumar (terminar) a sua obra na cruz Jesus LIQUIDOU, isto é, PAGOU totalmente o preço do nosso pecado, o preço da nossa salvação, do nosso perdão, O PREÇO DA NOSSA ALMA. Ele nos comprou com o Seu próprio sangue para que pudéssemos habitar os Céus com Ele um dia. E não somente nos Céus, mas desde já, AGORA, somos o Seu povo, o rebanho do Seu pastoreio. Portanto não estamos mais sozinhos, pois temos Cristo habitando conosco para sempre, junto conosco e dentro de nossos corações.

“Como escaparemos nós se negligenciarmos tão grande salvação?” Hb 2:3a.

Temos dado o devido valor que o sacrifício de Jesus tem? Vivemos hoje na sociedade em geral uma crise de integridade, uma crise de caráter, e a igreja não está imune a isso. Refiro-me a santificação que o Espírito Santo promove na vida dos verdadeiros crentes, os verdadeiros servos (as) de Deus.

Hebreus 10:29-31; 38-39
“29 De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça?
30 Porque bem conhecemos aquele que disse: Minha é a vingança, eu darei a recompensa, diz o Senhor. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.
31 Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo.
38 Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele.
39 Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma.”

É natural que a chegada da Páscoa traga aos nossos corações comoção e alegria, mas necessário é que esse sentimento se traduza em vida prática, através de ações de santidade, amor e comunhão, para com Deus acima de tudo e semelhantemente para com o nosso próximo (1º família, 2º igreja, 3º o ser humano em geral).

Sejamos fortes e valorosos na obra do Senhor e na comunhão preciosa, pois no Senhor o nosso trabalho e esforço jamais será em vão – 1 Co 15:58.

Material de apoio:
ABA – A Bíblia Anotada;
BEG – Bíblia de Estudo de Genebra
PEB – Pequena Enciclopédia Bíblica.

S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT