COMO DEVEMOS LIDAR COM A BÍBLIA

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP

Culto vespertino – 25.04.10

TEXTO BÍBLICO – ESDRAS 7:10
“Porque Esdras tinha disposto o coração para buscar a Lei do SENHOR, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus juízos.”


(Clique na imagem e baixe um lindo papel de parede). 

EXÓRDIO / INTRODUÇÃO
A igreja evangélica brasileira passa hoje um grande crescimento numérico, crescimento este que é muito suspeito do ponto de vista bíblico. As verdades da Palavra de Deus estão sendo desprezadas por muitos daqueles que se dizem pastores, bispos e até apóstolos, e que pregam um Evangelho “light” sem muitas exigências e ensinamentos acerca do pecado e seus malefícios, antes ensinam a teologia da prosperidade que enfatiza apenas a busca de bênçãos de Deus. O crescimento que observamos em muitos contextos é um tipo de crescimento forçado, irreal, sem compromisso com a Palavra, onde as pessoas continuam vivendo como se vive no mundo, onde o pecado e costumes contrários à Palavra de Deus permanecem na vida das pessoas. Não é este o tipo de crescimento que desejamos para a nossa Igreja, antes, desejamos o crescimento que acontece de dentro para fora, ou seja, a partir de um coração compromissado com a Palavra de Deus.

O crescimento de uma igreja depende em grande parte de sua liderança. O modo como ela se desenvolve, o aprendizado do povo de Deus, a participação, o acompanhamento familiar e espiritual, o trabalho da comunidade, o cuidado com a casa de Deus, a disciplina em amor e misericórdia na vida da igreja, enfim, tudo passará pela liderança da igreja. Por isso temos falado sobre a necessidade de nós, líderes, sermos homens e mulheres de Deus, que se entregam de corpo e alma à obra santa do Senhor, e que procuram ser modelados de acordo com os padrões estabelecidos na Palavra de Deus.

É nessa busca de conhecimento e de recursos para o crescimento da igreja que iremos hoje, mais uma vez, estudar acerca deste homem de Deus, chamado Esdras, um líder notável, que deu à Palavra de Deus a prioridade, o primeiro lugar na sua vida.

EXPLICAÇÃO
Quem foi Esdras? Ele foi um sacerdote, escriba, cronista (um dos possíveis autores dos livros das Crônicas) e conselheiro do rei quanto aos assuntos dos judeus nativos. As narrativas de Esdras foram escritas para ENCORAJAR o povo de Deus, que havia retornado do exílio, revelando-lhes que, embora Israel ainda estivesse sob o domínio persa, o seu Deus soberano estava dando prosseguimento à sua obra redentora e restabelecendo o verdadeiro culto entre eles. (BEG). Nesse sentido, essa foi talvez a grande obra de Esdras, o restabelecimento do verdadeiro culto a Deus. Isso tem tudo a ver conosco, igreja do século XXI, uma vez que vivemos numa época em que a Palavra de Deus tem sido tão menosprezada por tantas igrejas, tantos crentes e tantos líderes.

ARGUMENTAÇÃO
Esdras foi um homem corajoso, estudioso da palavra de Deus, esforçado e abençoado por Deus. Hoje iremos falar dessa relação de Esdras com a Palavra do Senhor, e a proeminência que essa relação teve em toda a sua vida e ministério.

Primeiramente a Bíblia nos ensina que Esdras “tinha disposto o coração” para a Lei do Senhor. Esdras não ficou esperando algum tipo de revelação ou sensação, mas tomou uma atitude com relação à Palavra de Deus, ELE DISPÔS O SEU CORAÇÃO. O que significa disposição? Muitos pensam que se trata de sentir vontade, mas a palavra o sentido dessa palavra é muito mais amplo, trazendo para si a responsabilidade da atitude. Segundo o dicionário Priberam da língua portuguesa o sentido da palavra "disposição" é:

 
1. Ato ou efeito de dispor. 2. Colocação. 3. Estado (de saúde, de ânimo). 4. Predisposição, tendência. 5. Habilidade, queda, bossa. 6. Desembaraço. 7. Ordem, determinação. 8. Intenção. 9. Emprego, uso. 10. Determinação legal. 11. Senhorio, domínio.

Ter disposição é sentir vontade ou desejo de fazer algo sim, mas também é ação, desembaraço, determinação, intenção. Foi o que aconteceu com Esdras, ele não aguardou sentir vontade, mas dispôs ele mesmo o seu coração. Como o ser humano é fraco, muitas vezes agimos de acordo com a vontade do nosso coração, mesmo sabendo que aquilo não nos fará bem. Nesse caso estamos à mercê dos nossos próprios pensamentos e vontades, diferente daquilo que a Bíblia requer de nós, que o nosso coração esteja totalmente entregue à vontade de Deus, conforme Provérbios 23:26 abaixo:
“Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos se agradem dos meus caminhos.”

Esdras, portanto, dispôs o seu coração, isto é, exercitou a sua vontade, se esforçou, dedicou-se a isso. Esdras tinha uma disposição excelente, disposição essa que não era apenas teórica mas que se manifestou em três ações. Vejamos quais ações são essas.

1 – Esdras dispôs o coração para buscar a Lei do Senhor
 

Essa foi a primeira disposição excelente do coração de Esdras. Entendemos que, buscar a Lei do Senhor é essencialmente buscar conhecê-la. No contexto atual, a Lei do Senhor é a sua Palavra. O conhecimento da Palavra de Deus passará essencialmente pela leitura, estudo, freqüência às reuniões, cultos, escolas dominicais, etc. Esdras buscava o conhecimento da Palavra de Deus, ele dispôs o seu coração para buscar a Lei do Senhor.
“Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”  Mateus 6:33.
 
Não pense que buscar a Lei do Senhor é fácil, é algo extenuante, que não coaduna com nossa natureza humana. Buscar a Lei do Senhor é espiritual, é elevado, é santo. Não conseguiremos alcançar esse conhecimento se não houver santidade, amor, pureza e o apartar-se do mal. Não basta buscar a Lei do Senhor com a mente, é necessário busca-la de todo o coração.
“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.”  Jeremias 29:13.

Moody disse a famosa frase:
“Ou este livro o afastará do pecado ou o pecado o afastará desse livro”.

 Precisamos buscar o conhecimento da Palavra do Senhor em nossas vidas, para isso precisamos dispor o nosso coração, temos que educar nosso coração, forçar nosso coração, ensinar o nosso coração a buscar o Senhor.

2 - Esdras dispôs o coração para cumprir a Lei do Senhor
 

A segunda disposição excelente do coração de Esdras, foi para o cumprimento da Lei do Senhor. O conhecimento da Palavra de Deus apenas não basta. O simples conhecimento pode nos tornar mais endurecidos do que antes, uma vez que agora sabemos aquilo que agrada e o que desagrada a Deus. Agora conhecemos aos seus mandamentos, atributos e juízos. Por isso que o conhecimento não pode estar alienado da prática. É preciso praticar, viver, cumprir a Lei do Senhor.

A Bíblia nos diz que Esdras dispôs o seu coração para cumprir a Lei do Senhor. Isso significa que ele era um homem piedoso, cumpridor da Lei do Senhor. Esse é um bom exemplo para nós, hoje em dia a prática dos mandamentos, que é a expressão da vontade do Senhor, tem sido negligenciada. Precisamos se homens e mulheres de Deus, zelosos com a sua Lei, com seus mandamentos. Não podemos negociar em cima do que é da vontade de Deus. Deus disse, está dito, e ponto final, não se discute, se cumpre.

Certamente é um ponto difícil de se cumprir, pois exige de nós toda transparência, todo esforço, todo o nosso coração. Por isso que a Bíblia diz que Esdras dispôs o seu coração também para cumprir a Lei do Senhor. Em seu contexto as dificuldades seriam muito maiores que hoje, pois como vimos na mensagem anterior, o povo havia deixado o Senhor e agora seguia outros princípios de vida. Certamente na igreja sentimos a benção de Deus e o fortalecimento da comunhão, façamos uso dessa bênção, não deixemos que o esfriamento espiritual nos atinja.

A prática da palavra de Deus é sinônimo de espiritualidade, e amadurecimento da fé. Mas se tivermos o conhecimento e não a prática, seremos piores que os incrédulos e os selvagens que jamais ouviram o Evangelho, e não foram tocados pela graça de Deus.

3 - Esdras dispôs o coração para ensinar os estatutos e juízos do Senhor
 

A terceira disposição excelente do coração de Esdras, era para trabalho do ensino da Lei do Senhor. Sabemos o que isso significou naquele contexto: o restabelecimento do verdadeiro culto ao Senhor, que havia sido esquecido. Como sacerdote e escriba, Esdras era responsável por essa área tão importante na vida do povo de Deus. O conhecimento que ele possuía não morria nele, mas ele se preocupava em servir ao Senhor, ensinando ao povo o que a Palavra de Deus dizia. Esdras apenas transmitia ao povo aquilo que ele próprio tinha aprendido em sua caminhada com o Senhor.

Em nosso contexto, temos vários meios para exercer o ensino da Palavra de Deus. Não pense que é privilégio do pastor, qualquer pessoal pode ser usada por Deus para comunicar o conhecimento da Palavra de Deus. O pastor é aquele que Deus chamou para exercer essa função, mas um dia o pastor não foi um pastor, ele era um membro da igreja que disse, juntamente com Isaías e milhares de milhares de irmãos em toda a história da Igreja, em todo mundo:
“Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por Nós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.”  Isaías 6:8.

Mas aqui temos base, não somente para o ensino, mas para todo tipo de trabalho que é exercido na vida da igreja. O exercício do ministério do ensino é um trabalho muitas vezes árduo, e Esdras se dispôs ao trabalho do ensino.

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” Marcos 16:15.

Uma vez que a ordem de ir e evangelizar é para toda a Igreja, então todos os crentes, de algum modo estão envolvidos nesse ministério do ensino. Você pode não ser pastor, presbítero ou professor, mas se é um (a) servo (a) de Deus então já está engajado nessa obra. Evangelizar essencialmente é falar do amor de Deus, do perdão dos pecados, do caminho da salvação. Observe que nesse contexto todo crente tem o dever de ENSINAR a verdade aos seus amigos, parentes e amigos.

Esdras dispôs o seu coração para o trabalho do ensino. Assim, não importa qual é o seu ministério na vida da igreja, em nosso contexto, todos se devem se comparar a Esdras em sua disposição para o exercício profícuo de seus respectivos ministérios.

CONCLUSÃO
Certamente o exemplo de Esdras é marcante. Num tempo em que as pessoas haviam se desviado do verdadeiro culto ao Senhor, mais do que em palavras, ele demonstrou com a sua vida o que é prestar um verdadeiro culto a Deus. Ele levou o povo a uma restauração espiritual porque ele vivia a verdadeira espiritualidade.

O que marca a trajetória desse homem de Deus de modo inexorável, implacável, imparcial, é a sua disposição de coração. Assim como Esdras, não podemos ser guiados por nosso coração, mas num ato de disciplina e de força de vontade, devemos dispor o nosso coração ao Senhor.

Sejamos seus imitadores na DISPOSIÇÃO para:
•    buscar a Palavra de Deus
•    cumprir a Palavra de Deus
•    ensinar a Palavra de Deus.


SOLI DEO GLORIA!!!

Material de apoio:
ABA - A Bíblia Anotada
BEG - Bíblia de Estudo de Genebra
PEB - Pequena Enciclopédia Bíblica (O.Boyer).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL