FAMÍLIAS CONSISTENTES E FLEXÍVEIS

Por: Pr. Sergio Leotto

"Ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. Filhos obedeçam a seus pais... Pais não irritem seus filhos"; "...cuidando de sua própria família e retribuindo o bem recebido de seus pais e avós, pois isso agrada a Deus." Efésios 5:33; 6:1-4; 1 Timóteo 5:4.
 


Uma das qualidades das famílias saudáveis, segundo o psicólogo e Pr. Jorge Maldonado, é que elas “têm estruturas consistentes e flexíveis”. Segundo Maldonado, as famílias necessitam saber quem está no comando, quais são as regras e os limites, quem provê, educa e disciplina aos filhos, quem cuida dos enfermos etc. A consciência desta estrutura familiar será de vital importância em momentos de transição, vulnerabilidade e crise, tão comuns aos dias de hoje. 

As famílias vivem entre duas forças simultâneas e aparentemente contraditórias: ESTABILIDADE e MUDANÇA. Ainda que em permanente busca de equilíbrio, as famílias saudáveis são as que têm estruturas que dão estabilidade e ao mesmo tempo, têm suficiente flexibilidade para acomodar as novas e contínuas mudanças. 

Exemplo: imagine uma família, cujo sustento venha de cinco pessoas que trabalham; ela passa por um momento de estabilidade e tem um determinado padrão de vida. Quando três destas pessoas perdem seus empregos (instabilidade), a família precisa fazer rapidamente mudanças (cortar gastos, parar com atividades, mudar costumes, etc), até que o desemprego acabe. Esta é uma família SAUDÁVEL, pois foi flexível no momento da crise, sem perder os valores básicos de: autoridade dos pais, respeito mútuo, solidariedade etc. 

As famílias menos funcionais, têm demasiada ou pouca estrutura, os pais usam a coerção, enfatizam as más condutas, focam-se nos fracassos, no controle e no castigo. Quando passam por mudanças ou crises, não há uma clara liderança e desenvolvem a ansiedade e confusão. 

Já que as mudanças sempre existirão em nossas vidas, a flexibilidade permite que a mudança seja aceita e processada. A capacidade que uma família tenha de fazer ajustes, quando são necessários, sempre será um sinal de saúde. 

A habilidade do casal negociar e renegociar soluções de forma conjunta, é mostra de flexibilidade e maturidade. A rigidez de um casal tende ao estresse, à desunião e à enfermidade. Mas o casal flexível, ao contrário, se transforma numa forte coalizão onde o poder e a liderança são compartilhados de acordo com a necessidade. 

Também está presente à estrutura de uma família saudável, a noção de pertencer a uma rede de parentes, a um grupo étnico particular, a uma herança cultural específica, a uma comunidade de fé.

Conexões com parentes, com a comunidade, redes de apoio, incluindo a família da fé, são uma espécie de “rede salvadora” em momentos de tensão, adversidades e crises. 

Famílias saudáveis enfrentam os problemas da vida, sem perder sua estrutura básica. São flexíveis, fazem ajustes e aprendem com as dificuldades. Sua família está saudável?

Visite o site do Pr. Sergio e Magali Leoto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT