AS SETE PALAVRAS DA CRUZ DE CRISTO - 3ª PALAVRA

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
3ª IPB de Barretos / SP - Culto Vespertino 20.03.11
IPB de Porecatu / PR - Culto Vespertino 02.04.09


TEXTO BÍBLICO – João 19:26,27
“26 Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
27 Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.”


INTRODUÇÃO / EXÓRDIO
As três primeiras palavras da cruz de Cristo revelam o Seu amor e compaixão para com as pessoas. Como vimos no domingo passado as duas primeiras palavras e hoje estaremos refletindo na terceira palavra, que na verdade está dividida em duas partes, a primeira delas é dirigida a Maria e a segunda a João, o “discípulo amado”.

EXPLICAÇÃO
Este “discípulo amado” é João o próprio autor do Evangelho de João. Em todo o Evangelho de João sempre encontramos essa expressão “discípulo amado” que certamente foi um meio que João escolheu para referir-se a si mesmo. Essa expressão não deve ser interpretada como se ele fosse um tipo de "servo predileto". Deus não tem servos prediletos, ele não nos vê assim. Certamente Ele tem Seus escolhidos para determinadas tarefas, isso é claro. Mas o que se nota nos 12 é que João era um daqueles que andava mais próximo de Jesus. Assim também o Senhor Jesus nos diz que Deus PROCURA os verdadeiros adoradores, que O adorem em espírito e em verdade (João 4:23).
 

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES 
“Mulher, eis aí teu filho” ... “eis aí tua mãe.”  

O vs. 25 nos diz que algumas pessoas estavam ali ao pé da cruz de Cristo nos momentos finais de sua vida. Jesus vê sua mãe e ao lado dela o discípulo João. Nesse momento Ele se preocupa o futuro deles, o que nos sugere que Maria provavelmente fosse viúva. Não há nenhuma menção ao nome de José, por isso que tornou-se firme essa idéia.

A primeira parte dessa palavra de Cristo é dirigida a Maria: “Mulher eis aí teu filho” foi uma palavra de consolo para aquela que o gerou, criou e cuidou. É importante ressaltar que chamar a própria mãe de “mulher” não era uma forma grosseria de se tratar em aramaico, mas era normal. A segunda parte dessa palavra de Cristo é dirigida a João, o discípulo amado: “Eis aí tua mãe” foi uma palavra de responsabilidade onde ele incumbiu João de cuidar de Maria. Que gloriosa responsabilidade foi aquela.

Nessa palavra o Senhor Jesus dois grandes mandamentos.

1 – Cumpriu ao mandamento “honra teu pai e tua mãe” - Êxodo 20:12
Honrar aos pais não é apenas respeitar no modo de tratar, falar, etc. É sim, pois o filho (a) crente não pode jamais falar com seus pais como se falasse com uma pessoa qualquer. A ordem de Deus é “honra”! Muitos filhos crentes se esquecem disso. Mas honrar não é apenas isso, tratar bem com as palavras. Honrar também é cuidar, amar, fazer-se presente. Vivemos numa época em que se faz exatamente o oposto em muitas famílias.


Muitas vezes quando estamos em meio às nossas dificuldades, acabamos falhando no cumprimento de alguma de nossas responsabilidades. Talvez até justifiquemos tal falha pelo fato de estarmos passando por tais e tais sofrimentos. Mas com Jesus não foi assim, pois mesmo na cruz Ele cumpriu seu dever de filho, cuidando de sua mãe que ali estava. Temos cumprido devidamente os nossos deveres como filhos?

Havia um jovem que para se ver livre de sua mãe, alugou uma casa para a ela morar. Todos os meses ele levava uma cesta básica para ela, até que um dia ao chegar lá notou que a casa estava trancada. Precisaram arrombar a porta e encontraram a velhinha morta já há vários dias.
Em Mc 7:11 Jesus repreendeu os judeus que consagravam alguma propriedade como ao Senhor (corbã) simplesmente para não terem que dispor daquele bem para suprir as necessidades de seus pais. Eles “jeitosamente” invalidavam o mandamento de Deus. Honrar os pais é cuidar, ainda que nos custe alguma coisa, e se não nos custar nada, será que temos dado o devido valor?

Jesus cumpriu todos os mandamentos; devemos cumprir os mandamentos de Deus para a glória de dEle. 


2 – Cumpriu ao mandamento "Amarás a teu próximo..." - Mt 19:19; 22:39
Neste momento de terrível sofrimento Ele ainda pensou nos outros... Por natureza nós somos muito egoístas, estamos sempre pensando em nós mesmos e naquilo que nos agrada. Jesus nos dá uma grande lição quando pensou nas pessoas mesmo estando na cruz. Este é o exemplo máximo de altruísmo.

Precisamos pensar nas pessoas que estão em nosso derredor. A Palavra de Deus nos manda amarmos ao nosso próximo como a nós mesmos. O que temos feito para cumprir este mandamento? Certamente precisamos exercer a sabedoria que vem do Senhor para não cairmos nas mãos de aproveitadores, mas não podemos ficar parados, inertes, acomodados.

"...façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé." Gl 6:10b.

"Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo." Gl 5:14.
 
Ali, naquela Cruz, em meio a todo o Seu sofrimento, Jesus pensou também no discípulo amado, João. Não temos todas as informações, mas conjecturamos: seria ele órfão? Talvez não tivesse em seu lar a figura maternal. Jesus lhe disse: "eis aí tua mãe". Não sabemos todos os detalhes, mas sabemos que o Senhor amou os Seus servos até o fim!

CONCLUSÃO 

É importante explicar que não somos "mariólatras", isto é, não adoramos Maria. Vemos Maria como uma serva de Deus, uma irmã que Deus escolheu para uma missão. Isso não faz dela uma pessoa especial no sentido de ser digna de adoração e devoção. Ela apenas foi privilegiada com uma missão extremamente importante. Jesus demonstrou seu cuidado para com Maria pois Ele tinha esse dever como homem, filho.
 

Como temos agido para com nossos pais? A Bíblia nos ordena honrarmos aos pais e o Senhor Jesus nos deu Seu exemplo mesmo na hora da morte.

Que sejamos guiados por Ele para que jamais sejamos endurecidos, que sejamos sempre sensíveis para com nosso próximo, especialmente aos irmãos na fé.

Material de apoio: Bíblia Vida Nova, Bíblia Anotada e Bíblia de Genebra.

S.D.G.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL