Os Patriarcas (2) A Chamada de Moisés



“Perguntou-lhe o SENHOR: Que é isso que tens na mão? Respondeu-lhe: Um bordão.” Êxodo 4:2.

A Chamada de Moisés

Diante de uma grandiosa missão, Deus escolheu Moisés para tirar o Seu povo do Egito e guia-los à Terra Prometida, “que mana leite e mel”. O relato inicia em Êxodo 3 quando o Senhor lhe apareceu em uma sarça ardente e fala com ele através de Seu Anjo. 

No relato de Êxodo 4 a fraqueza de Moisés é gritante. Medo, covardia, sentimento de incapacidade, impotência, falta de fé e confiança, tudo isso brota em seu diálogo com Deus. O que fica evidente em todo o relato é a providente e soberana ação de Deus cuidando de Seu povo, utilizando Seus instrumentos humanos, mesmo falhos e imperfeitos.

1 - Deus chama

Em Sua soberania aprouve a Deus chamar um homem como Moisés e fazer dele um grande líder. Moisés que havia matado um soldado egípcio (porque este espancava um hebreu) e fugido para Midiã (Êxodo 2:11-22). Além de matar um homem, Moisés escondeu o corpo na areia e fugiu, não assumiu seu erro. Moisés era um homem pecador. Se Deus fosse observar apenas as fraquezas de Moisés, jamais o escolheria. Mas os propósitos de Deus são infalíveis, Seus caminhos inescrutáveis, e Seu agir muitas vezes é surpreendente. 

2 - Deus capacita

O Senhor escolheu um homem fraco para fazer a Sua obra, certamente para que ficasse evidente que o poder não estava no homem, mas nEle mesmo, que é o Deus soberano. Assim Ele iria capacitar Moisés para fazer a obra para a qual fora designado. Moisés apresenta três objeções e Deus lhe responde pontualmente.

1ª objeção: “não crerão” - Êxodo 4:1
A resposta de Deus foi que ele seria capaz de fazer três sinais miraculosos: 
Bordão transformado em serpente, e serpente em bordão novamente (Ex 4:2-5)
Mão leprosa e curada novamente (Ex 4:6-8)
Águas do rio transformadas em sangue (Ex 4:9)

2ª objeção: “não sou eloquente, sou pesado de boca e de língua” (Ex 4:10)
Resposta de Deus: “Eu te ensinarei” (Ex 4:11-12)

3ª objeção: “envia outro, menos a mim” (Ex 4:13)
A ira de Deus se acendeu (vs.14a), isso poderia ser a morte de Moisés.
Resposta de Deus: “Eu serei com a tua boca e com a de Arão e vos ensinarei” (vs.14b-17).

Deus é infinito em graça, bondade e amor para com todos os Seus servos. Se não fosse assim, nem Moisés nem ninguém na face da Terra poderia fazer a obra de Deus. Mas louvado seja Deus por Sua grandiosa misericórdia.

Conclusão

A obra é de Deus e Ele não falha nunca. Assim como Ele quis chamar Moisés para fazer Sua obra, mesmo conhecendo quem ele era, Ele também nos tem chamado. Em Sua soberania Deus nos capacita e faz com que fique evidente que a obra é dEle, e que nós somos apenas Seus instrumentos.

Aplicações práticas

1. Não precisamos ter uma experiência de ver a glória de Deus na sarça ardente, já temos a Palavra.
2. Não é sábio fazer objeções a Deus, uma vez que Ele nos chamou vamos fazer a Sua obra. Ficar arranjando desculpas para não fazer a obra de Deus é chamar para si a ira divina. Deus nos livre disso!!!
3. Não precisamos fazer os mesmo sinais que Moisés fez, temos o Espírito Santo habitando em nós e se Ele quiser fazer sinais assim o fará em Sua soberania. Porém, o maior sinal que podemos demonstrar é a nossa vida em santidade.
4. Muitos pregadores modernos demonstram claramente que desejam trazer para si o reconhecimento e a glória que pertence somente ao Senhor. Para isso fazem uso até de falsos sinais. Deus os julgará, mas nenhum crente verdadeiro vai atrás desses falsos profetas.
5. Deus nunca nos deixa sozinhos. Assim como Ele enviou Arão para auxiliar Moisés, também tem colocado muitos irmãos e irmãs em derredor de cada um de nós.
6. A pergunta inicial de Deus deve nos incomodar: “Que é isso que tem na mão?” (Ex 4:2). Podemos não ter muitas coisas e nossas mãos, mas o Senhor é poderoso para nos usar com Seu poder, assim como Ele usou uma a que estava na mão de Moisés.

Soli Deo Gloria!!!

IPNA, culto vespertino 06/08/17
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários