A Verdade Que Liberta (2) Conhecer a Verdade


“E conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.” João 8:32.

Relembrando, no contexto de João havia um momento filosófico chamado GNOSTICISMO, certamente composto por pessoas que buscavam “uma” verdade para si. Esse era um “movimento sincretista religioso-filosófico da Antiguidade que pretendia salvar o homem por meio de um conhecimento especial. O gnosticismo penetrou o cristianismo, absorvendo várias de suas doutrinas, rejeitando outras. Constituiu diversas seitas heréticas, que representaram séria ameaça à ortodoxia nos séculos II e III.” (Dicionário Michaelis).

Hoje em dia os agnósticos terão diversas versões da verdade para tratar da vida, o mundo e tudo que nele há. Alguns dirão que a criação divina é obra da “mãe natureza”, ou “mãe gaya”, que segundo eles é um espírito que há no planeta e que deve ser reverenciado. Mas isso não é religião? Sim, claro, xamanismo! (https://pt.wikipedia.org/wiki/Gaia_(mitologia)). Observe como satanás usa muitos disfarces para desviar a atenção das pessoas. O que o diabo não quer é que você conheça de perto a Verdade que é Jesus.

Friedrich Nietzsche um dos fundadores do modernismo disse: “Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas”. Ele foi um filósofo do século XIX, nascido na atual Alemanha, o queridinho dos educadores de esquerda. Para ele e toda a sua gente, seus seguidores e lacaios, isso é a verdade, uma ideologia pela qual eles estão prontos a darem suas próprias almas, (“ôps”, vidas). Mas veja o que Alister McGrath diz acerca disso no livro “Paixão Pela Verdade”:

“As oposições do pensamento e da cultura de nosso tempo ao evangelicalismo, se fortaleceram no “modernismo”, um “estado de espírito” surgido no início do século XX, que tem como base o pensamento de Nietzche (1844) que decretou a “morte de Deus”, acreditava que “tudo pode ser dominado e controlado”, e ensinava que rejeitar as tradições era elementar para se alcançar a emancipação de toda forma de servidão intelectual ou social. O teólogo humanista Feuerbach (1804) declararou a divinização da própria humanidade, que para ele deveria ser vista como “deus”, e “as origens da experiência religiosa interpretada como ‘Deus’ se acham na alienação sócio-econômica”. Contudo, foi esse “deus humanista” que fez surgir aberrações como o nazismo e o stalinismo, dois dos regimes mais opressores da história humana, onde milhões foram trucidados em programas de genocídio que até hoje estarrecem a humanidade. Portanto, o evangelicalismo tem todo direito (e dever) de questionar o pensamento modernista como uma cultura ilusória e opressora, através da qual o poder humano e sua busca se tornam a influência que controla e governa. Em contraposição ao humanismo, a autoridade de Jesus não é algum tipo de escravização, mas “um compromisso libertador para com Quem nos livra de sermos escravos da opressão de um mundo faminto por poder”.”

Na primeira mensagem dessa série vimos que a Verdade absoluta da Palavra de Deus é real e que podemos confiar plenamente nela. O que é a Verdade?
A Verdade é a Palavra de Deus
A Verdade é pessoal - Jesus é a Verdade
A Verdade é relacional
A Verdade surte efeitos.

Dando prosseguimento falaremos hoje acerca do conhecimento da verdade, pois Jesus disse: “Conhecereis a Verdade” (João 8:32). 

É necessário que haja a busca e permanência na Verdade, que torna tal pessoa livre da escravidão do pecado. A salvação não é obtida por meio do mero conhecimento intelectual, como imaginavam os gnósticos, mas por meio de um relacionamento vital com Jesus Cristo, e do compromisso com a verdade que Ele revelou (Jo 18:37). (BEG).

“Então, lhe disse Pilatos: Logo, Tu és Rei? Respondeu Jesus: Tu dizes que sou Rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da Verdade. Todo aquele que é da Verdade ouve a minha voz.” João 18:37.

Como Pilatos não acreditava em Jesus logo Lhe fez a pergunta: “O que é a verdade?” (38b). Note a influência do pensamento filosófico já naquele período.

A pergunta que se faz é: você conhece a verdade? Deseja conhecer mais e mais essa Verdade?

Uma coisa é pensar que se conhece algo, e outra coisa bem diferente é conhecer de fato. O conhecimento real da Verdade divina passa por alguns estágios fundamentais, biblicamente falando. Necessitamos mais que nunca firmar nossas convicções na Palavra de Deus, pois a Igreja passa por uma crise das mais terríveis de sua história, que é justamente o desconhecimento da Verdade.

Argumentação

Conhecer a verdade é sustentar o ensino de Cristo, que é a Verdade (Jo 14:6). 

"Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6.

O conhecimento da Verdade passa por algumas etapas primordiais.

1 - Kerigma = proclamação, pregação, anúncio, ensino

A ordem de Cristo é o que move a Igreja em direção ao mundo. Um mundo que pensa que conhece a Verdade – Jesus, mas não O conhece de acordo com as Sagradas Letras. Mas todos nós que fomos alcançados pela Verdade, somente fomos alcançados porque alguém anunciou o Evangelho para nós.

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” Mc 16:15.

“Como, porém, invocarão aquEle em Quem não creram? E como crerão naquEle de Quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” Romanos 10:14-15.

“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela Palavra de Cristo.” Rm 10:17.

2 – Fé / conversão / batismo / profissão de fé

Ao ouvirmos a mensagem fomos tocados por Deus de tal maneira, sobrenaturalmente, que passamos a crer nessa mensagem, a Verdade! Como já lemos hoje em Ef 2:8, “a fé é um dom de Deus”; dom = presente. E esse dom / presente, nos é dado gratuitamente pela graça de Deus. Graça = favor imerecido.

Fé é atitude de vida, comportamento e decisão.

“Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.” Mc 16:16.

“Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR?” Is 53:1.

"Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus" Mateus 10:32.

2.1 – Arrependimento

Este é dos efeitos do conhecimento da Verdade. Fruto da fé, o arrependimento é o sinal visível de que algo aconteceu no coração daquele que foi alcançado pela Verdade. O arrependimento dos nossos pecados nos leva diretamente para os braços amoroso de Cristo que nos perdoa e nos transforma. Arrependimento = metanóia = transformação.

“Metanóia é uma palavra de origem grega (μετάνοια , metanoia) e significa arrependimento, conversão (tanto espiritual, bem como intelectual), mudança de direção e mudança de mente; mudança de atitudes, temperamentos; caráter trabalhado e evoluído.” (Wikipédia).

Ainda como sinal da legítima conversão, o novo nascido na fé deseja ser batizado e confessar a sua fé publicamente, ser membro da Igreja local e participar da comunhão do Corpo de Cristo. Ele se esforçará por isso, como a criança recém-nascida deseja o leite materno ele desejará alimentar-se da verdade.

A necessidade do arrependimento para se chegar ao conhecimento de Deus e nEle permanecer.

“Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judeia e dizia: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos Céus.” Mateus 3:1-2.

“Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o Reino dos Céus.” Mateus 4:17.

“Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus.” João 3:3.

"Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século." Mateus 28:19-20.

2.2 – Santificação e crescimento espiritual

Esse é um nível de conhecimento pelo qual passamos a maior parte da nossa vida espiritual. É aqui que muitos se destacam com um crescimento maravilhoso e desenvoltura na obra de Deus. Mas é também nesse estágio que muitos fracassam. A grande crise pela qual a Igreja no mundo todo passa atualmente, se dá justamente pela falta do crescimento no conhecimento de Deus. A santificação é essencial na vida do crente, sem ela ninguém verá o Senhor, seja aqui na Terra como no Céu (Hb 12:14). Sem santificação não há fruto, a vida se torna um deserto espiritual, os relacionamentos se desgastam, o mundo se torna atraente, o diabo engana, o crente se enfraquece, tropeça e cai. A santificação nos levará, por exemplo, a buscar separar um tempo especial para o Senhor em nosso dia a dia. A santificação nos impulsionará à prática dos mandamentos. A santificação nos atrairá às Escrituras, onde reside a fonte de toda a Verdade.

“Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.” Mateus 22:29.

“Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal.” Hebreus 5:12-14.

“Se vós permanecerdes na Minha Palavra, sois verdadeiramente Meus discípulos. E conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará.” João 8:31-32.

3 – Glorificação / Vida Eterna

Após uma vida pautada pela busca do crescimento espiritual através do conhecimento da Verdade, após o cumprimento da missão para a qual fomos chamados, testemunhando e vivenciando o Evangelho, chega então o momento de uma super-promoção, o momento em que os servos de Deus adentrarão as moradas eternas e receberão de Deus o conhecimento máximo da Verdade. Naquele dia, isentos do pecado e de seus malefícios, revestidos pela glória do Pai, contemplaremos o Senhor e O conheceremos nitidamente.

“Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.” Mateus 5:8.
“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” 2 Coríntios 3:18.
“Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque haveremos de vê-Lo como Ele é.” 1 João 3:2.
“Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. [...] Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.” 1 Coríntios 13:9-10,12.

Ver também Apocalipse 22:1-7.

Conclusão

“Multidões, multidões no Vale da Decisão! Porque o Dia do SENHOR está perto, no Vale da Decisão.” Joel 3:14.

Naquele dia somente os que conheceram a Verdade serão elevados ao Céu. Os que rejeitaram a Verdade em seus corações serão julgados. 

Aplicação prática

Que você não fique “em cima do muro”, indeciso (a), sem tomar uma atitude, mas que volte o seu coração para Deus, e busque conhecer de fato a Verdade (Jesus) através de todos os passos que foram ensinados hoje. O que lhe falta para conhecer a Verdade que é Jesus Cristo?

A promessa é fiel: “A VERDADE VOS LIBERTARÁ”.

Material de apoio: 
ABA - A Bíblia Anotada
BEG - Bíblia de Estudo de Genebra
BVN - Bíblia Vida Nova.

Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
Soli Deo Gloria!!!

IPNA culto vespertino 25/06/17
Igreja Presbiteriana Nova Aliança
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO