VIDA CRISTÃ ABUNDANTE (6) O TESTEMUNHO CRISTÃO


“Amado, não imites o que é mau, senão o que é bom. Aquele que pratica o bem procede de Deus; aquele que pratica o mal jamais viu a Deus.”  3 João 11.

TEXTOS PRELIMINARES
Js 3:1-6; Sl 1:1-6; Mt 5:13-16; 18:6-9; 18:15-20; 1 Co 6:12-20; 2 Co 6:14-7:1

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

1 – Sou um representante de Jesus e de Sua Igreja.
A partir do momento que assumi o compromisso com o Reino de Deus, tenho que zelar com mais cuidado de minhas atitudes, pois estarei sendo seu representante aqui na Terra.

O nome de Deus e o da Igreja podem ser desvalorizados a partir do momento em que afirmo que sou cristão e vivo como se não o fosse (Rm 2:24).

Assim, a evangelização é prejudicada, pois não adianta convidarmos nossos queridos para nos seguirem, se o que cremos não alterou a nossa vida.

2 – Alguns pecados são mais notórios e levam a juízo.
Foi o que disse o apóstolo Paulo em 1 Tm 5:24; isto é, há certos tipos de comportamentos que escandalizam mais que outros. Por exemplo: os ímpios não estão acostumados a ver um cristão “suicidando-se” com o cigarro. Ver uma pessoa fumando é mais fácil do que ver uma pessoa com o coração cheio de inveja e amargura. A inveja é um pecado horrível, mas não se manifesta com facilidade, como outros tipos de comportamento nocivos e contrários à Palavra de Deus. Mt 18:6-9 fala-nos da gravidade do escândalo.

3 – Cuidado com o diabo, ele é sutil.
Nosso arqui-inimigo aproveita, com facilidade, cada oportunidade para tentar escandalizar o nome de Jesus. Temos que ter cuidado, muita vigilância, para resistirmos ao inimigo. É possível resisti-lo, conforme nos diz Tiago 4:7.


SEGREDOS IMPORTANTES
A – Fuja das más companhias
No Salmo 1 temos bons conselhos para resistirmos ao pecado, evitando as más companhias: não andando segundo os seus conselhos, não se detendo em seus caminhos, e nem se assentando com os escarnecedores. Há um ditado popular que diz: “quem anda com porco, come farelo, e quem anda com morcego, acaba dormindo de cabeça para baixo”. Um outro dito popular muito sábio também diz: “me diga com quem tu andas, e eu direi quem tu és”. Em 1 Co 15:33 lemos:

“As más conversações corrompem os bons costumes”.

Faça amizades sólidas no meio do povo de Deus, ande com o povo de Deus.

B – Evite o tempo ocioso
Dizem que “mente vazia é oficina de satanás”. Davi caiu em adultério em um dia em que o povo saiu para a batalha, e ele ficou ocioso no palácio. Sem estar trabalhando, ou lendo um bom livro, ou praticando algum esporte, viu uma mulher se banhando e gastando tempo na visão do mal, logo concebeu um plano para pecar (2 Sm 11:1-5). Leia a Bíblia, leia bons livros (cristãos de preferência, peça orientação ao pastor na escolha), estude, trabalhe, etc., mas não deixe a mente vazia.

C – Acima de tudo, fortaleça o seu espírito
Na guerra da carne contra o espírito, a carne sempre obterá vitórias, se ela estiver mais alimentada do que o espírito. Leia a Bíblia, ore, participe ativamente dos trabalhos da igreja.

Nunca esqueci a história do homem que possuía dois gatos, um branco e um preto. O gato preto era forte e sempre que brigavam o gato branco apanhava muito, sempre saía arranhado, sangrando, humilhado. Um dia, aquele homem resolveu prender o gato preto debaixo de um balaio e ali o deixou sem comida durante dois ou três dias. Para o gato branco ele deu uma super-alimentação. Ao soltar o gato preto, houve uma nova luta, mas desta vez o gato preto foi derrotado.

As derrotas e fracassos na vida espiritual, muitas vezes acontecem porque alimentamos mais a carne e menos o espírito. Em 1 Jo 2:14 vemos uma ligação da força com o guardar a Palavra de Deus:

“Filhinhos, eu vos escrevi, porque conheceis o Pai. Pais, eu vos escrevi, porque conheceis aquele que existe desde o princípio. Jovens, eu vos escrevi, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e tendes vencido o maligno.”

D – A disciplina na Igreja
Se a Igreja tolerar o pecado, não o combatendo, ela perde a sua identidade, não glorifica a Deus, e aos poucos, vai morrendo. É necessário que haja disciplina na Igreja, mas feita com amor e misericórdia, tendo como base o que Jesus estabeleceu em Mt 18:15-18.

Se você viu um irmão vivendo fora dos padrões estabelecidos pela Palavra de Deus, procure-o isoladamente, para conversar com ele. Ore por ele, procurando ajudá-lo a vencer tal dificuldade. Se ele não o ouvir, convide mais uma pessoa da Igreja para ajudá-lo a ir ter com ele, tentando levá-lo a entender a verdade. Somente depois de um trabalho cuidadoso e pessoal é que o caso deve ser comunicado à liderança da Igreja, para disciplina do mesmo, caso não tenha existido arrependimento.

E – Alguns textos que ajudam a entender o “porquê não”
Alguns afirmam que não tomam bebida alcoólica, ou não fumam, ou não freqüentam bailes, porque a igreja proíbe, a velha frase “a minha religião não permite”. Mas não é simplesmente assim, na verdade é a Bíblia que nos exorta a evitarmos tais práticas. Vejamos:
•    Bebidas alcoólicas – Pv 23:29-35; 1 Co 6:9,10.
•    Fumar é comprovadamente uma forma de suicídio, pois danifica o corpo, como o álcool – 1 Co 6:19,20; 3:16,17.
•    Materialismo – 1 Tm 6:8-10; Hb 13:5,6.
•    Bailes, o mesmo que orgia, desordem, desperdício – 1 Pe 4:1-6. É o início de outros males (Sl 42:7), pois sempre atrai a prostituição, a bebedeira, as drogas, etc.
•    Roupas indecorosas. Lembramos que o adultério começa com o olhar impuro, o qual é atraído pela provocação – Mt 5:27,28; 1 Tm 2:9.
•    Sexo fora do casamento – 1 Co 6:15-18.
•    Inimizades, ódio – Mt 5:23,24,43-48.

CONCLUSÃO
É inconcebível a idéia de que um ser humano que esteja com Jesus, ainda viva escravizado pelo pecado, pois em João 8:32-34 encontramos a afirmativa de Jesus:
“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão e jamais fomos escravos de alguém; como dizes tu: Sereis livres? Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.”

É necessário buscarmos forças em Deus para podermos brilhar neste mundo pervertido

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO E DEBATE
1 - A afirmativa: “o que importa é a minha vida com Deus, não tenho que dar satisfação a ninguém”, procede ou é incoerente?
2 - Quais os comportamentos cristãos mais criticados pelos ímpios?
3 - É possível uma pessoa viver intimamente com Jesus, e ser escrava do vício?

Extraído e adaptado da revista "Nova Vida" de autoria do Rev. Simontom César de Araújo.
Estudos bíblicos, discipulado, IPB de Brasilândia, julho 2016.

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários