IDENTIFICANDO AS DUAS NATUREZAS DO MESSIAS


“Eis que conceberás e darás à luz um Filho, a Quem chamarás pelo nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; Deus, o Senhor, Lhe dará o trono de Davi, Seu pai; Ele reinará para sempre sobre a casa de Jacó, e o Seu reinado não terá fim. Então, disse Maria ao anjo: Como será isto, pois não tenho relação com homem algum? Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá com a Sua sombra; por isso, também o Ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus”. Lucas 1:31-35.

Os atributos de Cristo superam nossas perspectivas e pensamentos, Ele É Deus. A Sua natureza revela-Se através das descrições que são feitas ao Seu respeito nas Sagradas Escrituras. Segundo a Bíblia era necessário que Ele viesse dentro algumas normas que traduzem em grande parte para nós Quem de fato Ele É. O Cristo-criança foi identificado através de Suas duas naturezas: Homem e Deus.

1. Ele seria Filho de Maria, o que O tornaria completamente humano (1:31)
Para cumprir cabalmente a obra da redenção, o Messias precisou encarnar-Se. Se não fosse perfeitamente homem Ele não poderia levar sobre Si as culpas dos homens lá na Cruz do Calvário. Nos identificamos com Cristo em Sua natureza humana, Ele É perfeitamente homem. O Seu ato de encarnação foi totalmente voluntário e revela o grande amor que Ele tem por nós.

1.1 - Ele seria também o Filho de Davi, o que Lhe concederia linhagem real (1:32). A identificação de Jesus como descendente de Davi era também essencial para o cumprimento das profecias a Seu respeito. Ele É Rei nos Céus e na Terra, o Filho de Davi tem dupla linhagem real. Ele não era um homem comum, mas descendente do Rei Davi, e Filho do Rei dos reis.

2. Ele seria Filho do Altíssimo, o que O tornaria completamente divino (1:32)
Jesus não poderia salvar ninguém se não fosse santo e gerado do próprio Deus. Antes de ser Filho de Maria, Jesus é o Unigênito Filho do Altíssimo Deus. A Sua natureza divina o identifica como sendo o próprio Deus encarnado, Ele É perfeitamente Deus. A Sua obra é perfeita e nos revela a redenção que Deus propõe e executa na vida de Seus eleitos. Nossa salvação depende exclusivamente dEle, que a consumou na Cruz.

2.1 - Ele levaria o título de Filho de Deus, o que Lhe concederia igualdade com o Pai em todas as coisas (1:35). Os milagres que Ele realizou e a vida ilibada, totalmente santo e sem nenhum tipo de pecado nos revelam que Ele É o Filho de Deus. É disso que tratam os versículos de João 20:30-31, conforme abaixo:
“Na verdade, fez Jesus diante dos discípulos muitos outros sinais que não estão escritos neste Livro. Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus É o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em Seu nome”.

CONCLUSÃO

Ao encarnar-Se Jesus deixou a glória que tinha na eternidade ao lado do Pai, e tornou-Se Homem, não um homem comum, mas o Homem-Deus. Assim Ele pôde cumprir o mandato do Pai, que consistia em morrer no madeiro para poder redimir o povo de Deus de seus pecados. Deus O honrou e Lhe deu o Nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos Céus, na Terra e debaixo da Terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo É Senhor, para glória de Deus Pai (Fp 2:9-11).

Por: Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
Culto vespertino 20/12/15.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL