A POSTURA CORRETA NA SANTA CEIA



23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;
24 e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o Meu Corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de Mim.
25 Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no Meu Sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de Mim.
26 Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que Ele venha.
27 Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do Corpo e do Sangue do Senhor.
28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice;
29 pois quem come e bebe sem discernir o Corpo, come e bebe juízo para si.
30 Eis a razão por que há entre vós muitos fracos e doentes e não poucos que dormem.

O modo como nos aproximamos do Senhor para participarmos de Sua mesa, revela o quanto O amamos e honramos. Não se pode tomar a Santa Ceia irreverentemente, sem respeito e temor, pois é o Corpo e o Sangue de Cristo que ali estão representados.

O Apóstolo Paulo trata desse assunto no texto acima, mostrando alguns requisitos espirituais dessa aproximação, a nossa postura correta na Santa Ceia.


1 - ANÚNCIO
26 Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que Ele venha.

Primeiramente precisamos sempre entender que a Santa Ceia tem um teor de anunciação. Ao participar da Santa Ceia o crente está pregando! 

1.1 Evangelismo. Estamos dizendo aos presentes e ao mundo todo, que cremos no sacrifício de Cristo, que temos um pacto, uma aliança com Ele, firmada em Seu Corpo que foi pregado na Cruz, e em Seu Sangue, que foi vertido por nós. Anunciamos que Ele morreu e ressuscitou, vencendo a morte e ratificando o Seu sacrifício, pois se não houvesse ressuscitado tudo seria em vão (1 Co 15:17,20). Ao anunciarmos o que Ele fez em nossas vidas, com nosso exemplo convidamos as pessoas a aceitarem a Sua salvação e fazerem parte dessa mesa abençoadora e salvadora. 

1.2 Escatologia. Na Santa Ceia anunciamos não só o sacrifício vivo de Cristo, Sua morte e ressurreição, mas anunciamos ao mundo que Ele voltará, virá com poder e grande glória, e todo olho O verá (Sl 96:13; Mt 24:27; Lc 21:27; Ap 1:7). Anunciamos o Seu Reino eterno, cheio de glória, justiça, santidade e majestade. Anunciamos que Ele julgará cada um segundo as suas obras, anunciamos que satanás já está derrotado e que será eternamente castigado no inferno de fogo, e com ele todos os que rejeitaram a salvação de Cristo Jesus. Anunciamos que os crentes habitarão o Lar Celestial, com ruas de ouro, mar de cristal, e fundamentos de pedras preciosas, que verão eternamente a glória do Pai e desfrutarão para sempre de Seu poder, Sua presença e Seu Reino que jamais terá fim.

2 - DIGNIDADE
27 Por isso, aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será réu do Corpo e do Sangue do Senhor.

Em segundo lugar é necessário respeito e honra ao Senhor e ao Seu sacrifício. Ninguém em sã consciência zomba de um Juiz de Direito, ou de um Delegado de Polícia. Mas de Deus muitos zombam, dentro e fora de Sua Casa de Oração. Zombam ao não Lhe dar atenção e louvor, ao conversarem e navegarem na internet durante os cultos, zombam ao não prestarem atenção na Palavra, zombam ao tomarem a Santa Ceia por mera religiosidade, em pecado, sem arrependimento e vida no altar de Deus. O alerta é sério: estes se tornam RÉUS do Corpo e do Sangue do Senhor. Aqui é necessário um exercício de fé, assim como na oração do Pai Nosso, quando dizemos: "perdoa nossas dívidas ASSIM COMO perdoamos nossos devedores".

3 - EXAME PESSOAL
28 Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e, assim, coma do pão, e beba do cálice;

Por natureza somos bons em examinar os outros e observar quando as pessoas erraram. Seremos semelhantes aos fariseus se agirmos assim, principalmente se formos maus de coração e pesados no falar, ou se espalharmos os erros alheios gerando contendas, fofocas e maledicências. Muito cuidado, pois o Senhor abomina isso (Pv 6:16-19). Mas há um aspecto positivo nessa observação mútua, uma vez que quem anda na luz do Senhor não tem do que se esconder, pois é na comunhão fraternal que nos policiamos mais, e todos que se isolam caem em tentação e cilada. Em última análise a comunhão existe para sermos ajudados uns pelos outros. Mas aqui, Deus quer que nos examinemos a nós mesmos individualmente. Cada um deve cuidar de si mesmo, de sua fé e da doutrina que tem recebido do Senhor (Rm 14:22; 1 Tm 4:16). A Santa Ceia é um momento de devoção comunitária e exame individual, onde nos julgamos a nós mesmos diante de Deus (1 Co 11:31). Esse exame particular deve ser feito sob os conselhos e orientações do próprio Deus, pois nós, por nós mesmos não somos capazes de nos examinarmos com coerência e imparcialidade (Sl 26:2; 139:23; Rm 8:27).  

CONCLUSÃO

A Santa Ceia é um momento de comunhão e adoração a Deus. Mas também de reflexão, limpeza, lavagem, faxina da alma, mente, pensamentos, coração e sentimentos. É momento de renovação da fé e da aliança com Deus, onde refazemos nossos votos em reverência, amor e temor. Assim somos renovados e anunciamos ao mundo que ainda tem jeito, que ainda dá tempo, basta crer, arrepender-se e converter-se ao Senhor.

Por: Rev. Paulo Sergio Visotcky da Silva
Culto de Louvor e Santa Ceia em 22/02/15
Congregação Presbiteriana do Jardim Pery Alto.

SDG - Somente a Deus dai toda glória!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT