PASTORES SUPER-STARS

"A sabedoria está clamando, o discernimento ergue a sua voz." Provérbios 8:1.

Tenho visto vários posts e comentários sobre cantores gospel e seu estrelismo. Não são todos iguais, e devemos tomar cuidado. Mas hoje gostaria de levantar outra questão, talvez mais séria ainda: os pastores estrelas. O que é isso? São os chamados pastores “medalhões”. Calma, eles são seres humanos (ainda) como qualquer um de nós, simples mortais. Mas na cabecinha deles, parece que se veem como seres superiores, da alta classe, do nível sapiencial mais elevado que os demais, meros mortais.

No passado eles eram mais simples e humildes; viviam, falavam e pregavam em qualquer lugar, mas parece que a fama (e o dinheiro?) lhes subiu para a cabeça. Sim, esse é um detalhe importante: você não os vê pregando em qualquer lugar, tipo “ponto de pregação”, ou uma igrejinha. Eles sempre estão pregando e palestrando em lugares “top”, em meio a multidões, ou seja, há nitidamente uma seleção de onde pisam e falam.

O que me leva a pensar algo tão esdrúxulo, chocante, e esquisito? Fatos que infelizmente eu tenho ouvido e observado ao longo dos anos de ministério, e que muito me entristecem. Falo aqui com temor e tremor, pois sei que sou imperfeito. Mas se não fizer nada para alertar você, sei que estarei pecando por omissão. Também não quero fazer parecer que ninguém presta, pelo contrário, verificando os erros podemos orar pedindo a Deus que transforme Seus servos e nos conduza sempre de volta ao Primeiro Amor.

O que também me incomoda é a falta de discernimento do povo de Deus, a começar em suas lideranças, que dão tanto IBOPE para esses sujeitos. Cadê a simplicidade? Cadê o discernimento e a sabedoria? Deu lugar à idolatria, à demagogia e ao culto do “eu”. Então fique atento (a)!

Geralmente esses são pastores congressistas, você não vê esses “astros” à frente de um rebanho, no dia a dia. Eles são bons de púlpito, são palestrantes, não pastores, no sentido real da palavra. Não que eu seja contra os congressos, já fui em vários. Mas de uns temos para cá eu parei de ir, até porque são caros e tem se tornado elitizados. Mas também porque me cansei de ver palestras, parece que a Igreja tem se engordado da Palavra. Seria bom se esses tais “astros” dos púlpitos chamassem o povo para junto com eles saírem para evangelizar, distribuir folhetos, visitar hospitais, asilos, presídios, etc. Mas eles vão dizer que isso é o trabalho dos pastores... Não disse?

"Sendo forasteiro, não Me hospedastes; estando nu, não Me vestistes; achando-Me enfermo e preso, não fostes ver-Me." Mateus 25:43.

A arrogância no falar é outra de suas características. Uma vez que a humildade foi abandonada, eles criam para si um jeito diferente de falar e muitas vezes tropeçam, usam termos impróprios, falam coisas que jamais um pregador do Evangelho deveria dizer ou escrever. Ah, e um detalhe importantíssimo: quando eles “pisam na bola”, não gostam de ser exortados.

Um desses certa vez disse que ao escrever suas mensagens sentia-se como que “ejaculando espiritualmente” sobre o papel; outro disse que certa obra que a prefeitura fazia era uma “desgraça”: “Aquela desgraça daquela ponte...” Um outro ainda disse que tal conselheiro era um idiota... Tudo isso foi dito de púlpito e está em material publicado na internet. A Bíblia alerta que quem não tropeça no falar é perfeito varão (Tg 3:2) não no sentido da perfeição absoluta, mas ser amadurecido na Palavra de Deus, e assim permanecer. Conheci um que era assim, arrogante, orgulhoso, já havia se tornado um “astro” do rádio e da televisão. Hoje está despojado por adultério. Ainda bem que está despojado, pois há muitos que pecam e continuam em seus postos como se nada houvesse acontecido.

"Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade." Colossenses 2:23.

Creio que pode acontecer de qualquer um de nós tropeçar no falar. A diferença é que quando o pastor fala algo indevido, ou usa um termo que não confere, então pode ser exortado por qualquer irmão, e pedirá desculpas em público também perante a Igreja. Já os medalhões não admitem erros, são orgulhosos e arrogantes, parece que se sentem infalíveis, por isso desprezam a correção.

“Não repreenda o zombador, caso contrário ele o odiará; repreenda o sábio, e ele o amará.” Provérbios 9:8.


Ainda há algo que salta aos olhos: uma relação clara e direta entre o lugar em que aparecem, e o nível da “oferta” que recebem para estar ali. Deixa eu explicar: a oferta é um meio de compensar os gastos de viagem, transporte, alimentação etc. Uma Igreja de 100 a 200 membros não ofertará muito mais que R$ 200,00 para um pregador visitante. Mas e uma Igreja de 2.000 ou 3.000 membros, quanto ofertaria para ter um desses “medalhões” em um culto? 1.000, 2.000, 3.000? Qual profissional ganha R$ 1.000,00 em uma ou duas horas?

"Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores." 1 Timóteo 6:10.

Por um lado todos querem ser abençoados, e quem não gosta, ou não precisa? E se alguém quiser abençoar certamente também será abençoado. Mas eu me refiro ao mercantilismo ministerial, ou seja, o ministério atrelado ao dinheiro. Onde pagar mais esses tais vão sem pestanejar, afinal pregar tornou-se uma fonte de arrecadação poderosa. E eles administram isso com muita esperteza. Certa vez (já faz um bom tempo) a secretária de um desses, disse que o tal só iria se fosse para um público acima de 2.000 pessoas. Então não serviria a Casa de Deus, mas um ginásio ou estádio deveria ser alugado. Lógico que uma oferta seria arrecadada para “pagar” o tal pastor. Hoje esse sujeito está fora do ministério, após adulterar várias vezes caiu na loucura das heresias, mas continua se auto-intitulando “pastor”, e vivendo das ofertas dos que o seguem. E infelizmente, são muitos...

“Deixem-nos; eles são guias cegos. Se um cego conduzir outro cego, ambos cairão num buraco". Mateus 15:14.

Gostaria muito de ver um avivamento na vida desses que são excelentes pregadores. Um avivamento real traz a humildade como seu cartão de visitas.
 

Gostaria de ver esses pregadores descendo de seus pedestais e indo ao encontro dos aflitos, nem que fosse de vez em quando.
 

Gostaria muito de ver esses irmãos indo onde Deus os enviasse, sem levar em conta o nível acadêmico, financeiro, social ou numérico.
 

Gostaria muito de ver esses expoentes do evangelicalismo agindo e vivendo mais semelhantes a Jesus, e não a políticos, artistas, homens de negócio, verdadeiros astros, importantes demais em seus contextos, e inacessíveis.

Tudo que tenho a dizer é: CUIDADO POVO DE DEUS! Não se deixe iludir pela imagem de algum desconhecido na TV, ou pelas palavras de um falso mestre, ainda que seja convincente. Saiba discernir espiritualmente essas coisas e Deus te honrará. Busque a Deus na sua Igreja e em seu lar também, leia a Bíblia, estude e conheça a Palavra de Deus, pois ela iluminará o seu caminho, e Deus jamais permitirá que você caia em alguma cilada.

Não caia no engano do estrelismo, da pompa, dos holofotes. Isso é coisa da mídia, não do Evangelho. Ainda que Deus possa usar a mídia para a divulgação do Evangelho, Ele e só Ele, Deus, continua sendo a nossa prioridade, e não qualquer fulano ou beltrano comedor de arroz e feijão. Não se deixe iludir, não se deixe enganar.

A humildade é o referencial do obreiro fiel...


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
Reflexões do dia a dia.


SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT