ENDIREITA A MINHA VIDA SENHOR


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 07.07.13

“Confia no SENHOR de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas.” Provérbios 3:5-6.

INTRODUÇÃO


Entre Santos e Guarujá existe um canal onde transitam grandes navios de carga, verdadeiros “monstros”, gigantes da engenharia naval, transportando milhões de toneladas dos mais variados tipos de cargas, que vão desde grãos, até maquinários, carros, caminhões, etc. Nesse mesmo canal existe uma linha de barcas que fazem a travessia entre as duas cidades, muitas vezes disputando espaço com esses enormes cargueiros. Quando passam, essas grandes embarcações formam ondas que balançam as barcas, mas elas ficam firmes em sua rota. Comparando o tamanho das barcas com os navios, elas mais se parecem com barquinhos. Com destreza e conhecimento os operadores conduzem as barcas apinhadas de gente, ora balançando, chacoalhando e espirrando a água do mar ao atravessarem as ondas deixadas pelos grandes e impetuosos navios. Outras vezes eles precisam navegar devagarinho ao lado da margem em que estão, até que os “grandões” passem. Eles têm a prioridade de passagem, afinal, quem vai querer competir com algo desse tamanho? Além do mais, não é fácil parar embarcações tão grandes. Mas aquelas barcas continuam seguindo sua rota até chegarem à outra margem no seu destino.

 

Barcas que fazem a travessia entre Santos e Guarujá

Na nossa vida também nos deparamos em diversos momentos com ondas contrárias, deixadas por situações tão impetuosas e fortes, que se comparam com aqueles grandes navios de carga. Nosso barquinho balança, chacoalha, tem horas que parece que não vamos conseguir atravessar tais situações. Tais situações deixam após si um rescaldo de consequências e memórias que muitas vezes nos ameaçam. O problema maior até já passou muitas vezes, mas ainda temos que lidar com as ondas contrárias, que muitas vezes parecem querer nos ameaçar, amedrontar. Há momentos em que é melhor dar um tempo com as preocupações, aquietar-se nos braços do Mestre e esperar que o pior passe até que possamos retomar nossa rota até chegar em nosso destino. Muitas vezes o estrago é grande... Mas o Deus a Quem servimos está conosco, e Ele promete endireitar nossas veredas, nossa vida. E Ele assim o faz, desde que sigamos Seus conselhos.
 

Porta containers

ARGUMENTAÇÃO

Há uma premissa básica nesse texto, que está no final do vs.5 “Ele endireitará as tuas veredas”. A palavra “vereda” significa “caminho estreito” ou simplesmente “caminho”. Aqui no contexto é a nossa própria vida. Os insensatos poderiam perguntar: “Pra que eu preciso disso?” Eles pensam que não precisam de Deus, que está tudo bem com eles do jeito que estão, mas eles estão indo para o inferno e não sabem. Já os crentes verdadeiros dizem com o coração quebrantado: “Senhor, eu preciso de Ti, endireita as minhas veredas, endireita a minha vida”.

Para que haja um real entendimento das Escrituras, e dos mandamentos e ensinos contidos nela, partimos do princípio de que Deus sabe de nossas necessidades, conhece nossas fraquezas e sofrimentos, e por isso Ele quer nos ajudar. Cabe a nós ouvirmos a voz de Deus e atender ao Seu chamado.

Existem três coisas que precisamos aprender para vencermos os grandes desafios e dificuldades da vida, e os rescaldos (consequências) que eles deixam após si, conseguirmos chegar em nosso porto de destino, e termos nossas veredas endireitadas, consertadas. É sobre isso que fala Provérbios 3:4-5; e é sobre isso que refletiremos hoje. O que precisamos ter e fazer para que nossa vida (caminhos, veredas) sejam endireitados por Deus?

1.    FÉ IRRESTRITA
“Confia no SENHOR de todo o teu coração” (Pv 3:4a)
 

Isso é praticar a fé. Mais uma vez o Senhor nos chama a confiarmos nEle. Isso é básico na vida cristã. Mas note que o Senhor quer um tipo de confiança irrestrita. E certamente é uma grande prova confiar nEle de TODO o nosso coração, em todo o tempo. Isso exige de nós resistência ao erro, ao “pecado fatal” (Hino 115 Unido Com Cristo). Não é só um pouco, uma parte, um terço, metade... Deus quer que confiemos nEle 100%, de todo o nosso coração.

A fé está tão ligada à vida que Tiago 2:26 nos alerta que “Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta”. Fé sem obras é morta, portanto confiar em Deus é mais que convicção teórica, é vida. Se não praticamos significa que não confiamos; e por que não confiarmos? Muitas vezes sentimos medo e insegurança de nos lançarmos nos braços amorosos de Deus. O pecado também nos afasta desse confiança em Deus, porque muitos cedem ao desejo de guardar alguma coisa oculta, agasalhada no coração.

O medo e a insegurança são sinais de que a nossa fé (confiança) não está lá essas coisas. Já o pecado escondido pode ser muito mais que uma fraqueza momentânea de coração, mente, e espírito; pode revelar a duplicidade de vida, que é sinal da ausência de conversão verdadeira, legítima.

Fé é para ser praticada, utilizada no dia a dia. Semelhante ao paraquedas, ela pode nos salvar, mas tem que funcionar, e para isso precisa ser verdadeira, legítima. Pode ocorrer de sermos / estarmos fortes ou fracos na fé em variados momentos da jornada da vida (nossas veredas). Essa situação – hora fortes ou fracos – pode ser um sinal de veredas tortuosas, as quais Deus quer endireitar. Há exemplos bíblicos de servos que eram verdadeiras muralhas de fé, mas que em um dado momento ruíram, alguns inclusive logo após vivenciarem grandiosas realizações de fé, como o exemplo do Profeta Elias. Mas Deus sempre levanta Seus servos e endireita as suas veredas.

Então não se assuste se em algum momento da vida as ondas balançarem o seu barquinho e a sua fé. Encare o problema de frente, não fuja da confrontação. Detectou o que está acontecendo? Então agora tome as medidas necessárias para resolver o problema que está abalando a fé, e navegue firme na direção do porto. As ondas virão, claro! Sem novidades até aqui, já sabemos que será assim, que haverão lutas, tentações, seremos perseguidos por causa do nome de Jesus. Mas clamemos de todo o nosso coração, com fé em Deus e conseguiremos chegar ao porto final, ao nosso destino. E não chegaremos derrotados e envergonhados, mas em Cristo podemos vencer todos os obstáculos à nossa fé, com Ele venceremos tudo e permaneceremos inabaláveis.

2.    RENÚNCIA
“não te estribes no teu próprio entendimento” (Pv 3:4b)

 

Estribar-se é apoiar-se, basear-se, fundamentar-se. Entendimento é o ato de entender, a faculdade de conceber e entender as coisas; intelecto, inteligência; capacidade de julgar, entender; compreensão, percepção; interpretação. Quer explicação mais prática? É muito mais fácil tomarmos decisões através daquilo que entendemos acerca da vida, da interpretação (juízo) que fizermos acerca dos fatos que nos rodeiam, do que agirmos pela fé em Deus. Isso é viver uma vida tortuosa, afinal nossa mente é enganosa e os conceitos do mundo estão desprovidos da direção segura e firme do Senhor.

Olha como isso acontece na vida de muitos: domingo, Culto de Louvor, a Palavra de Deus fala aos corações, e a pessoa ora, pede ajuda a Deus, e sai da Igreja disposto a seguir fielmente os conselhos e mandamentos do Senhor. Tudo bem, maravilha! Mas o que ocorre com essa pessoa que rapidamente se desanima e desiste de obedecer tudo que o Senhor lhe ordenou? Por que se esqueceu tão rápido do que prometeu no domingo? Certamente uma das causas é a ausência de renúncia aos seus conceitos, vontades, pensamentos, padrões de vida e comportamento, ou seja, o seu próprio entendimento. E então essa pessoa tão bem intencionada se apoia, fundamenta, baseia-se novamente não na doutrina, não na Palavra da Verdade, mas em si mesmo.

Cuidado com o diabo! A nossa mente é tão sutil que em variados momentos poderemos tentar criar explicações e interpretações próprias acerca até mesmo da Bíblia, para justificarmos o embasamento, ou a fundamentação de quem somos. O inimigo é astuto e voraz, não caia em suas ciladas! Observe a Palavra de Deus pura e simples, confie nela, obedeça-a, pratique-a. Sabedoria é fundamentarmos nossos passos na Rocha inabalável que É Cristo. Isso exige de nós atitude, força de vontade, determinação e RENÚNCIA ao nosso próprio EU, nossas próprias razões, convicções, sentimentos, emoções e pensamentos. Seria muito mais fácil cavar areia e fazer rotos os alicerces de uma casa, do que quebrar pedra, rocha maciça e ali construir nossa morada. Você já aprendeu que nem sempre o caminho mais fácil é o correto, seguro, aprovado e abençoado por Deus? Não? Então está na hora de aprender, não acha?

Tomar decisões assim, por nós mesmos, conforme nossas vontades, convicções, pensamentos ou emoções... Na carne... Trará resultados danosos e prejudiciais; as consequências serão desastrosas, pode ter certeza. Mas em Cristo somos mais que vencedores! Isso é vida tortuosa e Deus quer nos livrar disso. Confiemos nEle, busquemos sempre apoio e fundamento nEle e seremos bem sucedidos.

3.    SUBMISSÃO EM TUDO
“Reconhece-O em todos os teus caminhos” (Pv 3:5a)

 

A vida continua! Agora é “bola pra frente”. Deixe o passado no passado e siga seu caminho com Cristo. Reconhece-Lo é ver que Ele está ali contigo. Se Ele não estiver é sinal que não é o Caminho dEle. Mais uma ver: caminho é vida, jornada, dia a dia. Jesus é o nosso Caminho!

Reconhecer se o Senhor está ou não em nossos caminhos é simples: se está de acordo com a Palavra dEle, é porque está de acordo com a vontade dEle, então está ok, Ele está sendo reconhecido ali. Mas se há algo na nossa vida que está em desacordo com a Palavra dEle é sinal claro de que tal caminho não é dEle.

Note que o texto diz TODOS, ou seja, não são apenas algumas decisões que precisam ter a bênção de Deus, uma parte da vida, um tempo... Deus repete que precisa ser tudo, sempre! Com Deus é tudo ou nada! Acontece, mas não deveria acontecer, de reconhecermos Deus em uma parte de nossa vida, em alguns caminhos. Em outros preferimos manter o controle da situação, das decisões do “reconhecimento”.

Reconhecemos a nós mesmos, o cara da televisão, a moça do telejornal, do site a, b ou c, etc. E Deus? Fica de fora? Então estamos totalmente errados, caminhando em direção contrária a Ele e à Sua vontade, revelada na Bíblia. Por que fazemos assim? Por quê? Além do que já foi dito, creio que muitos ainda não compreendemos perfeitamente que as nossas veredas precisam ser endireitadas, que isso é da vontade dEle, é o plano dEle, é o que Ele quer, e que isso é o melhor para nós, sem sombra de dúvida. Se Deus conserta de um lado e nós estragamos de outro lado, não resolve nunca nosso problema. Assim nossas veredas não se endireitam nunca, sempre ficará uma sobra, um rabicho, um defeito aqui, outro ali, um pecado oculto no lar, outro na mente, um relacionamento ferido com alguém da Igreja, uma palavra que foi “mal dita” com um vizinho, um parente, o filho, a esposa, o pai, o marido; uma conta que não foi paga, uma dívida pendente, etc., etc.

Esses problemas vão se avolumando, o lixo debaixo do tapete aumenta até formar um caroço, depois um calombo, e vai se tornando cada vez mais visível. Assim, volta-se à estaca zero, e o estado de tal pessoa se torna pior do que o primeiro, porque agora se conhece a vontade de Deus, e não se vive. Isso também é vida tortuosa, livre-se disso!!!

O recado de Deus é que Ele quer que O reconheçamos em TODOS os nossos caminhos, TODOS! E não apenas em alguns.

CONCLUSÃO
 

Repassando: ter a vida endireitada é fruto da confiança (FÉ), renúncia e submissão a Deus em tudo, sempre. Fazendo assim, nossas veredas serão endireitadas, haverá real mudança de mente, coração, vontade e comportamento.

A primeira pergunta é: desejamos ter nossas veredas (caminhos, vida) endireitados por Deus, ou estamos contentes e satisfeitos do jeito como está? Os maiores prejudicados por terem uma vida torta, somos nós mesmos, se assim vivermos.

A segunda pergunta é: existe alguém nesse lugar, ou na face da Terra, que seja tão espiritual, tão perfeito, que não tenha nenhuma área de sua vida que necessite do cuidado do Senhor? Obviamente NÃO! Todos somos imperfeitos, pecadores, em um grau maior ou menor, Deus é o Perfeito Juiz. Mas todos temos áreas em nossas vidas que necessitam ser melhoradas, aplainadas, endireitadas.

Deus não quer que nenhum de Seus filhos viva uma vida irregular, torta, antes é a Sua vontade que tenhamos uma vida reta diante dEle. De fato há um avanço excelente quando chegamos à conclusão de que necessitamos ter nossos caminhos endireitados, e desejamos isso de todo o nosso coração.

Se a sua vida está uma bagunça, se as coisas estão fora do lugar, fora da vontade de Deus, se seus caminhos ainda estão tortos, isso significa que o seu futuro ainda é incerto e a insegurança governa seu amanhã. Já é tempo de clamar a Deus de todo o seu coração: ENDIREITA A MINHA VIDA, OH PAI!


Que Deus nos abençoe!



Material de apoio:
A Bíblia Anotada – Editora Mundo Cristão
Pequena Enciclopédia Bíblica, de Orlando Boyer – CPAD.


SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL