NOSSO ALVO EM COMUM (2) COMPLETAR A CARREIRA


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Porto Ferreira / SP

EBD 22 anos de organização da IPBPF 14.04.13

TEXTO BÁSICO – 2 TIMÓTEO 4:7B
“Combati o bom combate, COMPLETEI A CARREIRA, guardei a fé.”


INTRODUÇÃO
Existem muitas pessoas que não terminam o que começam, iniciam algo e não completam. A falta de determinação e perseverança é uma questão ligada ao caráter das pessoas. Infelizmente muitos há que iniciam algo e não completam, não terminam. Basta observarmos quantos casamentos acabam na lua de mel (ou de fel?), ou nos primeiros meses ou anos de convivência. Na área profissional então nem se fala porque é grande o número de pessoas que assumem um compromisso e não cumprem. Na Igreja as coisas muitas vezes tendem a piorar ainda mais. Quantos desistem da vida cristã assim que surgem os primeiros obstáculos ou provações? Quantas vezes prometemos algo para o Senhor e rapidamente nos esquecemos? A nossa Profissão de Fé é um exemplo claro disso... Promessas feitas diante de Deus e dos homens, caem por terra tão facilmente quando se tem essa característica de caráter. Muitos estão desistindo do Caminho... Desistindo da Igreja, o Corpo Vivo de Cristo... Desistindo de Cristo...



Costumamos dizer que quem não termina o que começa é negligente ou irresponsável, age infantilmente, etc. Mas também notamos que essa é uma das fases no caminho da maturidade, que se caracteriza justamente em assumir e honrar seus compromissos.

Em se tratando da vida espiritual, A CARREIRA CRISTÃ, existem algumas semelhanças e peculiaridades, como veremos a seguir.

Como vamos terminar?

EXPLICAÇÃO
Paulo demonstra sua alegria em dizer que havia completado a sua carreira cristã. É de suma importância lembrarmos que quando escreveu essa carta, Paulo estava preso (1:8; 2:9), e a maioria dos amigos o havia deixado (4:10,11). Mas apesar disso tudo, e estando no final de sua vida, ele estava tranqüilo, e regozijando-se, certo de haver atingido o alvo, a meta proposta por Deus. (Leia o sermão “A Carreira Cristã” do Rev. Hermisten Maia, http://www.monergismo.com/textos/santificacao/carreira_crista.htm).

Mas afinal o que é a CARREIRA Cristã? Quando Paulo diz que havia completado a sua CARREIRA, a que ele se refere?

ARGUMENTAÇÃO 

Entendemos que a carreira é o decurso da vida. Assim sendo, carreira cristã significa VIDA CRISTÃ, ou seja, a caminhada com Cristo aqui na face da Terra, mantendo-se fiel a Ele, cumprindo a vontade de Deus durante o tempo e nas circunstâncias permitidas por Deus. Obviamente inclui-se aqui o ministério pessoal que cada crente tem, de acordo com seus talentos e dons. A carreira tem começo, meio e fim.
 

Início = novo nascimento;
Meio = a nossa caminhada;
Fim = o término da jornada.

De que necessitamos para a complementação de nossa CARREIRA diante de Deus? 


1 – CHAMADO DE DEUS / VOCAÇÃO 
Ninguém veio a Cristo porque simplesmente quis, teve vontade ou, porque escolheu este Caminho PARTINDO DE SI MESMO. A vida cristã é resultado único da eleição divina; depende do chamado misericordioso e eficaz do Senhor nosso Deus. Nós queremos, temos vontade e escolhemos esse Caminho SIM, mas tudo isso aconteceu porque Deus nos escolheu primeiro, nos amou primeiro, e tocou em nossos corações nos concedendo a FÉ!

Falando acerca da vocação cristã, Paulo escreveu aos filipenses usando a expressão:
 

“...prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”  Filipenses 3:14b.

A vida cristã tem início com o chamado irresistível de Deus. Deus nos escolheu na eternidade, e amorosamente nos predestinou para sermos dEle.
 

“...assim como nos escolheu, nEle, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante Ele; e em amor nos predestinou para Ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade...”  Efésios 1:4-5.

Deus é eterno, mas também é o Senhor do tempo e interage no tempo. Ele não está alheio à nossa realidade de vida, e por isso nos chamou no tempo determinado por Ele, na hora certa, do jeito certo, com santa vocação, exclusivamente por sua graça.
 

"...que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos..."  2 Timóteo 1:9.

 “Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus.”  1 Coríntios 1:26-28.

1.1 - SINAIS DA VOCAÇÃO DE DEUS 


- Sentir o chamado de Deus. “Eis que estou a porta e bato...” Apocalipse 3:20a.
- Ter passado pelo Novo Nascimento, conforme João 3:3ss.
- Fé em Deus. A fé é um dom (presente) de Deus. A fé não é de todos.
- Amor a Deus. Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro.
- Temor de Deus. Servi a Deus com temor e tremor.
- Confirmação em amor. O amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo.
- Desejo pelo leite espiritual. Desejai ardentemente o leite espiritual.
- Tristeza pelo pecado cometido. “Restitui-me a alegria da tua salvação...” Sl 51:12a.
- Busca de uma vida coerente com a vocação.
“Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados.” Efésios 4:1.
- Busca constante de confirmação da vocação.
“Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.”  2 Pedro 1:10,11.

Na vocação de Deus, vemos a concretização do Seu propósito sábio, amoroso e eterno:
 

“...nEle, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquEle que faz todas as coisas conforme o conselho da Sua vontade”  Efésios 1:11.

2 – SANTIFICAÇÃO NA GRAÇA DE DEUS 

Continuaremos sendo pecadores até o fim desta existência terrena, até o dia em que entraremos na glória celestial e seremos revestidos da glória de Deus. Lá viveremos eternamente sem o problema do pecado. Mas para lá entrarmos precisamos completar a CARREIRA CRISTÃ que nos está proposta, e para isso precisamos nos santificar.

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”  Hb 12:14.

“A doutrina da santificação pode ser definida como o ato sobrenatural que se inicia com a regeneração, consistindo no progressivo abandono do pecado em direção a Deus.” (Hermisten M.P. Costa, O Pai Nosso: A Oração do Senhor, SP, Ed.Cultura Cristã, 2001).

Nós não somos perfeitos, nem o seremos, enquanto estivermos neste modo de vida terreno; mas, buscamos a perfeição; caminhamos em sua direção. Paulo declara:
 

“Não que eu o tenha já recebido, ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma cousa faço: esquecendo-me das cousas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.”  Filipenses 3:12-14.

O pecado continuará em toda a nossa peregrinação terrena a exercer influência sobre nós; por isso, qualquer conceito de perfeccionismo espiritual que declare que o crente não mais peca, é anti-bíblico. A Palavra de Deus ensina enfaticamente que nós pecamos, mesmo após o nosso novo nascimento, conforme.

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-Lo mentiroso, e a Sua Palavra não está em nós. Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.”
1 João 1:8-2:2.
 
Mas existe uma diferença crucial entre aquele que teme a Deus e necessita de Sua graça para manter-se limpo, e aquele que vive na prática do pecado. Esse jamais conheceu a Deus.

“Todo aquele que permanece nEle não vive pecando; todo aquele que vive pecando não O viu, nem O conheceu.Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus.”  1 João 3:6,9.

O crente verdadeiro vive de modo diferente. O nosso maior testemunho é a nossa vida. Alguém disse que enquanto as nossas palavras falam, nossos atos gritam.

“Ora, sabemos que O temos conhecido por isto: se guardamos os Seus mandamentos. Aquele que diz: Eu O conheço e não guarda os Seus mandamentos é mentiroso, e nEle não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a Sua Palavra, nEle, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nEle: aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar assim como Ele andou.”  1 João 2:3-6.

O que nos distingue da nossa antiga condição é que não mais temos prazer no pecado; podemos até dizer que o pecado é um acidente de percurso na vida dos regenerados, que lhe causa tristeza de alma e de coração. Quando confessou a Deus o seu pecado, Davi suplicou com tristeza: 


“Restitui-me a alegria da tua salvação...”  Salmos 51:12a.
 

Antes o pecado comandava o nosso pensar e agir, agora ele ainda pode nos influenciar, é verdade, todavia não reina em nossas vidas. "O pecado deixa apenas de reinar, não, contudo de neles habitar.” João Calvino, As Institutas, III.3.11.

“Ainda que o pecado não reine, ele continua a habitar em nós e a morte é ainda poderosa.” João Calvino, Efésios, São Paulo, Paracletos, 1998, p. 44.

John Murray (1898-1974) ilustra bem este ponto: “Há uma total diferença entre o pecado sobrevivente e o pecado reinante, o regenerado em conflito com o pecado e o não-regenerado tolerante para com o pecado. Uma coisa é o pecado viver em nós; outra bem diferente é vivermos em pecado. Uma coisa é o inimigo ocupar a capital; outra bem diferente é suas milícias derrotadas molestarem os soldados do reino.”  John Murray, Redenção: Consumada e Aplicada, São Paulo, Editora Cultura Cristã, 1993, p. 162.

Isto indica a necessidade do convertido adquirir novos hábitos pela prática da verdade em amor.


“Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo”  Efésios 4:15.

A graça de Deus é didática, educadora, ensinadora; a CARREIRA CRISTÃ é um aprendizado.
 

“Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniqüidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras. Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze.” Tito 2:11-15.

Deus age através das Escrituras, corrigindo-nos e educando-nos na justiça para o nosso aperfeiçoamento. 


“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.”  2 Timóteo 3:16,17.

Ao povo da Aliança que se desviara do caminho do Senhor, Este lhe diz: “Aprendei a fazer o bem” (Isaías 1.17). A santificação é justamente isto; um santo aprendizado guiado pelo Espírito, tendo como constituição normativa e legislativa do nosso pensar, agir e sentir, a Palavra de Deus. Portanto, a santificação envolve uma nova “alfabetização” espiritual guiada pela Palavra de Deus.

"A santificação é um processo contínuo pelo qual Deus, por Sua misericórdia, muda os hábitos e o comportamento do crente, levando-o a praticar obras piedosas" A. Booth, Somente pela Graça, São Paulo, PES, 1986, p. 44-45.

2.1 - ATITUDES SANTIFICADORAS = ABNEGAÇÃO
 

ESQUECER “....esquecendo-me das coisas que para trás ficam ....” Filipenses 3:13.
 

DESEMBARAÇAR-SE “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta.” Hebreus 12:1.

Jesus nos advertiu que o Caminho é estreito, não vamos conseguir passar por ele carregando o peso do pecado... Ou deixamos esse peso para trás ou não conseguiremos percorrer o Caminho.

CONCLUSÃO  


Os vocacionados por Deus devem viver em busca constante da santificação, com toda perseverança e súplica, como um sinal claro e visível dessa vocação, podemos dizer que nada poderá nos separar do amor de Cristo.

“Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”  Romanos 8:38,39.

Deus fez a sua parte, agora cabe a nós cumprir fielmente aquilo que Ele requer de nós, nossa fidelidade e obediência é a confirmação de que Ele habita em nós, pelo seu Espírito, e que nos capacita, por sua graça, a viver de conformidade com sua vontade.

“Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.”  Apocalipse 2:10b.

Essas palavras de Cristo, ditas a João na Ilha de Patmos, foram dirigidas inicialmente à Igreja de Esmirna, mas retratam as provações e sofrimentos que a Igreja Primitiva e Medieval sofreu, e as atrocidades que passaram por sua fé em Cristo. O que nós sofremos hoje, aqui no ocidente, é NADA se comparado com o que aqueles servos de Deus passaram.

Deus nos ajude a sermos fiéis até a morte, completando fielmente a nossa carreira em Cristo Jesus. Amém!


 

SOLI DEO GLORIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT