SOLUÇÕES “FÁCEIS” PARA PROBLEMAS DIFÍCEIS

Pastoral Boletim 23.09.12

“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios...” Salmo 1:1a.

É notório o fato que várias situações de difícil solução, vividas por cristãos fiéis, são aparentemente resolvidas pelos que não têm temor a Deus. Vejamos alguns exemplos disto: se no casamento, os que não creem não sentem mais o amor, se divorciam; se não estudaram para as provas na escola ou faculdade, eles colam; se não se sentem devidamente valorizados por seus empregadores, com consciência tranquila “matam” o serviço ou conseguem um atestado médico “fajuto” e ficam dias de licença; se não se sentem correspondidos por seus cônjuges nas suas expectativas conjugais, arranjam um (a) amante e nem se sentem culpados; se o seu carro apresenta um defeito sério, eles “podem” vende-lo, sem sentir-se no dever de revelar o problema ao comprador. No caminho deles, tentação e pecado, são traduzidos apenas por oportunidades, conveniências, acidentes, etc.

Dificuldades como estas mencionadas acima, não são exclusivas dos que não creem verdadeiramente em Jesus. Muitos cristãos sinceros vivem afetados por elas, pressionados por pessoas e pelo próprio coração a aliviar-se de alguma (e porque não dizer de qualquer) forma, do peso e desconfortos que tais situações lhes causam.

É exatamente neste momento que as Palavras iniciais do Salmo 1, devem nos servir, primeiramente de alerta, pois assim como uma luz necessária que de certo modo pode incomodar, tais Palavras nos oferecem orientação clara quanto às decisões que devemos e não devemos tomar. Em segundo lugar, estas Palavras são estimuladoras, pois nos declaram "felizes" (bem-aventurados), independente de obtermos ou não as soluções desejadas por nós do nosso jeito e no nosso tempo, mas tão somente pelo fato de NÃO ANDARMOS nos conselhos dos ímpios.

Tristemente temos visto em nossos dias muitos cristãos se renderem às soluções fáceis que os conselhos dos ímpios oferecem. A razão disso é que o caminho do bom conselho, em geral exige esforço, obediência e renúncia; enquanto o conselho dos ímpios aponta para “atalhos” rápidos, simples e confortáveis, porém que conduzem à morte (Sl 1:6).

Não se iluda, a fonte de todo bom conselho é a Palavra de Deus.

O autor, Rev. Nelson França, é pastor da IPB de Praia Grande / SP.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT