O MINISTÉRIO CRISTOCÊNTRICO DO ESPÍRITO SANTO

O MINISTÉRIO CRISTOCÊNTRICO DO ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo é chamado na Bíblia de:
- Espírito do Pai – Mt 10:20; Lc 11:13; 1 Co 6:19; 1 Ts 4:8;
- Espírito do Filho – Gl 4:6; Fp 1:19; 1 Pe 1:11;
- Sendo enviado por Deus – At 5:32;
- Pai – Jo 14:26; Gl 4:6;
- E Filho – Jo 15:26.

Após a conclusão do ministério terreno de Cristo, Sua morte, ressurreição e ascensão o Espírito Santo foi derramado sobre a igreja At 2:1-4 e continua o seu ministério apontando para Jesus Cristo – Jo 7:39; Jo 14:26; 16:7-14.

A AÇÃO PROGRESSIVA DO ESPÍRITO SANTO NA OBRA DA GLORIFICAÇÃO DE CRISTO Jo 16:14; Rm 8:30; 10:17; 2 Pe 1:5-7
A obra do Espírito Santos é progressiva, passo a passo Ele atua na vida de Seus escolhidos.
O Espírito Santo é chamado de “Espírito da Graça” em Zc 12:10 e Hb 10:29 porque é Ele quem aplica a graça de Deus aos pecadores eleitos, conduzindo-os progressivamente à imagem de Cristo. Esse ministério tem início quando o Espírito nos leva a aceitar a mensagem de perdão dos nossos pecados.

1 – Levando ao conhecimento da verdade

1 Co 12:3; Jo 15:26; 16:13,14; Mt 16:16,17; 1 Jo 5:6
- criando situações – o exemplo de Filipe em At 8:26,29,39;
- concedendo a fé ao ouvir o Evangelho - Rm 10:17; At 9:31; 10:44; 13:48.

2 – Gerando a consciência do pecado
- arrependimento - Mc 1:15; 6:12; At 2:38; 2 Co 7:10; 2 Pe 3:9;
- e a confissão sincera do Senhorio de Cristo, como resultado de um conhecimento pessoal e um coração transformado pelo Espírito Santo – na conversão, no batismo, na profissão de fé, e na vida diária - 1 Jo 1:9; Rm 10:9,10; Mt 10:32.

3 – Conduzindo à glorificação do Senhor Jesus Cristo

Sl 50:23; 1 Co 6:20; 1 Pe 2:12
- através de seu testemunho em santificação - Hb 12:14; 2 Ts 2:13; Jo 17:17;
- transformação - Rm 12:2; 2 Co 3:18;
- libertação de pecados - Jo 8:32; 2 Co 3:17;
- capacitação – dons, ministérios -
- revelando, guardando e proclamando a Sua Palavra e seus princípios - Jo 16:14; Mt 5:16; 28:19,20; Jo 17:20; At 1:8;
- O Espírito dirige a igreja na glorificação de Cristo ensinando a obediência - 1 Sm 15:22; Jo 14:15-26 *15,21,23*; 15:14; Rm 16:19,26; Hb 5:9 - que é proveniente da fé, conforme o exemplo de Jesus em João 17:4. É através da obediência que a igreja glorifica a Cristo – Jo 17:9,10.

Desse modo fecha-se um ciclo onde o pecador convertido, outrora em pecado ouviu a pregação do Evangelho e agora ele próprio passa a pregar o Evangelho da graça de Deus.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Sem as obras da Trindade jamais seríamos salvos pela graça. A graça de Deus que é personificada em Cristo é apenas um lado das obras redentoras do Deus Trino. Toda a Trindade está comprometida na salvação do seu povo, tendo cada uma das Pessoas da Santíssima Trindade, conforme o Conselho trinitário, um papel fundamental.

A Obra do Espírito é distinta da obra do Pai e do Filho, porém não é independente. A Trindade opera cojuntamente, tendo o mesmo propósito eterno: a glória de Deus através da salvação do povo eleito (Is 43:7; Ef 1:6; 1 Pe 2:9,10).

A Obra do Espírito torna efetivo em nós aquilo que Cristo realizou definitivamente na cruz. Podemos afirmas que sem as operações do Espírito, o ministério sacrificial de Cristo não teria valor para o homem. É o Espírito quem nos comunica as bênçãos celestiais em Cristo Jesus. Calvino afirmou corretamente que é necessário que Cristo habite em nós para que compartilhe conosco o que recebeu do Pai. Ele conclui dizendo que: “O Espírito Santo é o elo pelo qual Cristo nos vincula efetivamente a Si” (João Calvino, As Institutas, III.1.1. Em outro lugar declara: “Sabemos que nosso bem, nossa alegria e repouso é estar unidos ao Filho de Deus” (Juan Calvino, Sermones Sobre La Obra Salvadora De Cristo – pg 23).
Cristo cumpriu perfeitamente as demandas da lei e adquiriu todas as bênçãos que envolvem a salvação. A obra do Espírito consiste em aplicar os méritos de Cristo aos pecadores, capacitando-os a receberem a graça da salvação. Somente por meio do Espírito “recebemos todos os bens e dons que nos são dados em Jesus Cristo” (Catecismo de Genebra, perg. 91).

A Palavra nos ensina que o Espírito Santo é o Espírito de Cristo (Gl 4:6; Fp 1:19); por isso a presença do Espírito em nós é a presença do Filho (Rm 8:9). Quando evangelizamos, o fazemos confiantes de que Deus, pelo Espírito, aplicará os méritos de Cristo no coração dos escolhidos.

E na eternidade estará a igreja de Deus, jubilosa, que Ele comprou com Seu próprio sangue e preservou até o fim (At 20:28; Is 43:7; Ef 1:3-14; 2:6,7).

Assim, sem o Espírito Santo não haveria igreja, nem culto, visto que sem Ele jamais cantaríamos “espiritualmente” e jamais entenderíamos a Palavra ou oraríamos com discernimento. Sem o Espírito nunca poderíamos ter declarado de forma sincera: “Senhor Jesus” (1 Co 12:3). O Espírito é o agente do culto e o seu alvo. Adoremos e sirvamos ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

***SOLI DEO GLORIA***
IPB de Praia Grande / SP
Escola Dominical 26.08.07 e 02.09.07
Fonte: Revista Expressão – Século 21 Atualidades – A Igreja Em Seu Contexto – Lição 10 – Editora Cultura Cristã (ampliado).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT