Cobiçar é Pecado?

Imagem relacionada

“Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo.” Êxodo 20:17.

O décimo mandamento fecha com primazia as Verdades de Deus para o Seu povo. É Deus preservando os Seus do mal. A cobiça em primeiro momento parece inofensiva, mas é terrivelmente mortal e tem a capacidade de aprisionar os que se deixam seduzir por ela. No entanto, o Senhor Deus, em Sua infinita misericórdia e amor, nos previne desse mal. A cobiça é um sentimento excessivo direcionada principalmente à riqueza material, o amor pelo dinheiro e pelos prazeres humanos; tais sentimentos alcançam o coração e descontrolam profundamente quem alimenta tal prática. A cobiça anda junto com o egoísmo que é um sentimento humano que se caracteriza pela vontade de possuir somente para si tudo o que existe, e nunca leva em consideração as necessidades dos outros. Neste mandamento Deus proíbe cobiçar a casa, mulher, servo e serva, animais e qualquer outra coisa (Dt 5:21, 2 Sm 11 e Pv 31:10). Deus quer trabalhar em nossos corações o contentamento pleno daquilo que possuímos (Hb 13:5). Precisamos ter um coração que se alegra com as vitórias e conquistas das pessoas que estão à nossa volta (Rm 12:15, Fp 2:4, 1 Co 13:4-6).

Quando alimentamos a cobiça em nossos corações não conseguimos ver as coisas boas que Deus tem feito em nós, e nas pessoas que estão a nossa volta. Devemos parar de ficar olhando o que não temos, para olhar aquilo que temos. Pois, quem não cuida do que tem, nem isto terá. O contentamento faz parte da vida de um verdadeiro cristão (1 Co 10:10). Quantas vezes você agradeceu a Deus por tudo o que você tem? É Deus quem nos dá todas as coisas, sem Deus não teríamos condições nenhuma de ter ou receber algo. Uma das características de quem cobiça é de nunca estar satisfeito com o que tem.

Certa feita um grande empresário ao comprar o seu iate, estava navegando e estava muito satisfeito com sua compra. No entanto não demorou para passar do lado dele outro iate maior e com muito mais recursos do que o dele. No mesmo instante este homem ficou insatisfeito com a sua compra. Talvez o nosso drama não seja com o tamanho do nosso “iate”, contudo devemos aprender: (a) ser felizes com o que Deus nos dá; (b) nunca abandonar o desejo sincero de progredir; (c) deixar as reclamações de lado; (d) sempre focar o nosso coração em Deus e em Sua maravilhosa obra. Que Deus te abençoe, um ótima semana a todos!

Extraído do Boletim da IPB Parque das Nações.
IPNA Boletim e Culto Matutino, 03/09/17
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários