SERPENTES CONGELADAS


“Atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando vos perturbe, e, por meio dela, muitos sejam contaminados.” Hebreus 12:15.

Conta uma antiga fábula que em um período de intenso inverno, certo agricultor encontrou uma serpente congelada à beira do caminho. Ao ver o “pobre bichinho”, aquele homem ficou tão penalizado que resolveu levá-la para o interior de sua casa, e lá chegando colocou a víbora ao lado do fogão de lenha, que ainda tinha algumas brasas acesas, para que ela se aquecesse. Aconteceu que ao se aquecer a serpente o atacou, e ele teve que matá-la.

Essa estória nos faz pensar em sentimentos que já deveriam estar superados, e esquecidos; mas tal como serpentes congeladas, são levados para dentro de corações, e ali são abrigados e aquecidos. Sentimentos que crescerão e atacarão, causando grande dano e destruição (Hb 12:15; Pv 6:16-19). Como uma serpente congelada, a amargura guardada no coração se fortalecerá e crescerá, aprisionando, envenenando e contaminando a muitos. 

Mas mesmo que a amargura esteja enraizada dentro do seu coração, ainda há esperança, pois Cristo veio para libertar de toda amargura (Jo 8:32) os que nEle creem. Receba a libertação que Cristo dá! Jesus nos deixou uma preciosa promessa: “Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” (Jo 14:27). 

No mundo a amargura reina é e enaltecida por corações sem paz e cheios de trevas e morte. Mas a paz que Cristo nos dá excede a todo entendimento, e é uma paz real! Isso não é conto ou ficção! Essa paz é tão forte e poderosa, que além de nos abençoar e alegrar, pode fluir de dentro de nós como uma fonte a jorrar para a eternidade. Essa paz tem o poder de saciar almas sedentas! (Jo 4:14; 7:38). Mas, para que isso seja uma realidade, é necessário que toda amargura seja arrancada e extirpada de dentro do coração. Assim como Deus nos perdoou, nós TEMOS QUE perdoar a todos (Mt 6:12; Lc 6:37; Cl 3:13). Não abrigue dentro do coração sentimentos amargurados que além de se fortalecerem e causarem grande dano, ainda contaminarão a muitos. Ao contrário disso, deixe que a paz sobrenatural de Cristo, essa paz divina, real e verdadeira, lhe preencha de tal modo que não haja espaço para nenhuma serpente de amargura, ódio, rancor e tristeza. Rejeite todo sentimento de amargura e flua a paz de Cristo!

Deus te abençoe e te guarde!

Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
IPNA, pastoral boletim e Culto Matutino 30/04/17
Igreja Presbiteriana Nova Aliança
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL