A PALAVRA DO MESTRE - OS NOSSOS CAMINHOS X OS CAMINHOS DE DEUS

Por: Rev. Nelson França

“Mas disse Eu a seus filhos no deserto: Não andeis nos estatutos de vossos pais, nem guardeis os seus juízos, nem vos contamineis com os seus ídolos. Eu Sou o SENHOR, vosso Deus; andai nos Meus estatutos, e guardai os Meus juízos, e praticai-os” Ezequiel 20:18-19.
 
Quais são os estatutos que norteiam a sua vida?

É fato que a vida do homem é regida por leis, leis estas que lhe servem de parâmetro para as suas escolhas e decisões, e também de limites para mantê-lo dentro dos princípios estabelecidos pela referida lei.

A questão é: qual a fonte de onde essas leis ou estatutos procedem? O povo de Deus, desde os dias de Moisés, sempre teve consciência de quais seriam os estatutos que deveriam observar; e sabiam muito bem que eles procediam de Deus, e que isto por si só os tornavam autoridade sobre as suas vidas. Entretanto, tudo isso não impediu que muitos do povo tivessem como base de vida os seus próprios pensamentos e valores, deixando assim de lado, os princípios estabelecidos por Deus para que seguissem.

É esse comportamento que se observava no viver dos judeus nos dias do profeta Ezequiel. Segundo a exortação contida em Ez 20:18, os mais antigos haviam deixado os estatutos de Deus e estabelecido os seus próprios estatutos. É óbvio que esses estatutos contrariavam as regras que Deus estabelecera.

Vemos ainda nesse mesmo verso que os filhos, ou seja, a geração seguinte estava seguindo esses estatutos, e não os de Deus. Diante do que no verso 19, Deus os exorta a seguir os Seus estatutos e juízos.

O ensino de tudo isto para nós é evidente: não importa a procedência das ideias, pensamentos ou valores que nos norteiam, sejam vindo dos nossos pais, esposo (a), família, da cultura em que estamos inseridos ou até mesmo de um anjo vindo do Céu, se eles não estão em conformidade com a Palavra de Deus, eles devem ser rejeitados (Gálatas 1:8).

Muitas questões devem ser levantadas como: quais os princípios, e sua fonte, que nós estamos usando na educação de nossos filhos; no estabelecimento do que é certo ou errado; na emissão de uma opinião ou juízo; quanto ao que me convém ou não; se algo me é lícito ou não?

Muitos, no seu viver diário, já não consideram o que Deus orienta sobre o que escolhem, aprovam ou praticam. É claro que isto não terminará bem!

Que Deus abençoe e nos ajude a andar conforme a sua Palavra.


 
O Rev. Nelson é Pastor da IPB de Praia Grande / SP.

SDG - A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT