A VINDA DO REI DOS REIS

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
Terceira IPB de Barretos / SP
Culto Vespertino 05.12.10


TEXTO BÁSICO - ZACARIAS 9:9
“Alegra-te muito, ó filha de Sião; exulta, ó filha de Jerusalém: eis aí te vem o teu Rei, justo e salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de jumenta.”

INTRODUÇÃO
Monarquia é um tipo de regime político que reconhece um monarca (rei / rainha) como chefe do Estado. Segundo a Wikipedia existem hoje no mundo cerca de 44 monarquias, países que são governados por reis, ou que ainda tenham os mesmos ainda que seja por simples tradição. Alguns exemplos de monarquias: Reino Unido, Austrália, Suécia, Noruega, Dinamarca, Canadá, Japão, Espanha, Bélgica, Mônaco e Holanda. O nosso país já foi uma monarquia no passado, governado por reis e rainhas portugueses, até que em 15 de novembro de 1889 o Brasil se tornou uma república.

A história das monarquias é marcada pelos bons e maus reinados que as governaram. Se existem os bons, obviamente muitos monarcas reinaram com maldade, impondo o medo e o ódio. Inclusive isso é uma realidade em diversas regiões da África, ainda nos dias de hoje. No Brasil não foi diferente, muitos rei que aqui viveram não deixaram boas memórias.

Quando estudamos a história de Israel, vemos que história por lá também foi marcada por bons e maus reinados, basta lermos os Livros dos Reis para vermos como o caráter de cada rei marcava o seu reinado. No texto em foco, porém, encontramos uma referência profética a Cristo, o Rei dos Reis. A mensagem dessa noite é sobre Ele, Seu caráter e Seu reinado.

EXPLICAÇÃO
O retorno dos judeus à Palestina, após o cativeiro babilônico, aconteceu durante o reinado de Ciro (538 a.C.) que por decreto ordenou o retorno deles. Dario subiu ao trono por volta de 522 a.C. e confirmou o decreto de Ciro. O livro do profeta Zacarias é contemporâneo desse rei Dario (520-518 a.C.). Nessa época o povo de Israel não tinha um rei, mas vivia sob os olhos atentos dos reis persas.

É nesse contexto que Deus falou através de Zacarias, trazendo ânimo e encorajamento a esta nação. Cerca de cinco séculos antes do nascimento de Cristo, Deus já falava acerca de Sua vinda. Certamente Deus também fala conosco, nos fortalecendo e encorajando em meio às nossas lutas.

ARGUMENTAÇÃO
Como já vimos anteriormente, o povo de Deus passava por um período de muito desânimo, apatia e dificuldades, que marcaram a reconstrução do templo, dos muros, e de toda aquela nação. Apatia, desânimo e dificuldades são sintomas de quem está sofrendo em meio às tribulações e desafios da vida, momentos em que a nossa fé é colocada a prova.

A mensagem de Zacarias fala de um Rei, um Rei diferente, um Rei que governaria a nação e a vida de cada um deles, sem usurpação, sem malignidade, sem espoliação, mas de um modo totalmente diferente dos reis da Terra. Esse é o Senhor Jesus, o Rei dos reis, que viria um dia.

Sabemos que Ele já veio, cumpriu a Sua obra redentora, subiu aos Céus e em breve voltará para nos buscar.
Aguardamos ansiosamente o Seu retorno. Mas Ele já habita entre nós, está conosco todos os dias, e nos governa soberanamente. O modo como Ele governa revela o Seu caráter, a Sua pessoa. É acerca desse Rei maravilhoso que iremos refletir nessa noite. 

Conforme descrito pelo profeta Zacarias, Ele é...

1 – JESUS, O REI JUSTO
O profeta Zacarias nos fala que Ele é um Rei justo. Isso significa que Ele governa com justiça = de conformidade com o direito, com equidade e bondade. O que sabemos acerca da justiça? De onde provém esse conceito? De Deus, que é a fonte de toda justiça, retidão e equidade.

Os nossos conceitos de justiça, o que é certo e o que é errado, não podem estar calcados nos valores que o mundo nos apresenta, mas em Jesus Cristo que é o nosso exemplo, modelo e padrão de justiça.

Se os reis daquela época governavam com malignidades e injustiças, o profeta fala que viria um Rei que estaria acima desses conceitos e valores. Um Rei justo e reto que faria a coisa certa.

Sabemos que Ele veio para ser a nossa justiça, Ele levou sobre Si na Cruz os nossos castigos e punições, trazendo para nós o perdão e a graça. Basta apenas crer e receber o seu perdão, a Sua justificação. Será que você já recebeu o perdão que Ele quer te dar? Saiba que somente através do Sangue de Jesus é que você poderá receber o Seu perdão e a Sua justificação.

A exemplo dEle também devemos viver com justiça, dentro dos princípios estabelecidos em Sua santa e bendita Palavra. A Bíblia nos revela no Salmo 1 que existem dois tipos de pessoas: os justos e os ímpios. Num tempo de tanta iniqüidade e injustiças, de qual desses dois grupos você faz parte???

Num tempo onde o pecado reina com tanta força, precisamos ser firmes em nossas convicções e em nosso proceder.

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe.” Efésios 4:29a.

“1   Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; 2   e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. 3   Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; 4   nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. 5   Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.” Efésios 5:1-5.

2 – JESUS, O REI SALVADOR
O povo estava triste e abatido por causa do medo e da insegurança que sentiam, por causa do poderia militar da pérsia que ainda os dominava. Então, o profeta Zacarias fala da parte de Deus, que esse Rei seria o Salvador e libertador de Seu povo.

Assim como no passado o povo tentou a Deus no deserto quando sentiram saudades das cebolas e da carne que comiam no Egito, certamente alguns do povo sentiam também saudades da Babilônia, do tempo em que eram escravos. Você já pensou o que é isso? Ser livre e sentir saudades da escravidão? Pois era o que muitos deles sentiam.

A fome e o medo são as maiores provas pelas quais uma pessoa pode passar. Quando essas coisas alcançam uma pessoa, ou uma nação, os seus princípios e valores são postos na mais dura prova. Essa é a razão de muitas guerras: o medo e a opressão.

O povo carecia de um Salvador, alguém que os libertasse de seus mais terríveis inimigos. Que grande semelhança conosco, que também precisamos de um Salvador, que nos liberte de nossos inimigos interiores e exteriores, alguém que nos sacie a fome, seja do corpo ou da alma, e arranque de nós o medo e a opressão.

Os maiores inimigos do ser humano: o pecado, a morte e o diabo. O nosso Salvador é real! Ele já veio, e derrotou todos os nossos inimigos. Ele nos perdoou e nos libertou de nossos pecados! Ele vive e reina em nossas vidas, e nos dá a vida eterna, a morte já foi derrotada, pois Ele ressuscitou. E nós dependemos total e inteiramente dEle. Sem Ele nada somos, sem o Seu perdão e a Sua graça estaríamos totalmente perdidos.

E você, já recebeu o perdão e a libertação que esse Rei Salvador dá de graça a todo aquele que nEle crê? Abra hoje o seu coração e receba a salvação e a libertação que Ele quer te dar.

3 – JESUS, O REI HUMILDE
Certamente a arrogância predomina na vida e no governo dos reis do mundo. Hoje se fala tanto e direitos humanos, temos os meios de comunicação que num momento mostram qualquer coisa que aconteça do outro lado do mundo, mas imagine um tempo em que nada disso existia, onde a usurpação e a maldade daqueles homens era algo implacável.

O profeta Zacarias fala-nos que o nosso Rei Jesus é um Rei humilde, e a prova disso era o modo como Ele entraria em Jerusalém: montado em um jumentinho. Será que podemos imaginar o Criador do universo montado em um jumentinho? Quanta humildade! Ele nasceu em uma manjedoura, andou a pé pelos desertos poeirentos da Palestina, e depois de tudo que fez e ensinou, ainda foi traído, humilhado, torturado, crucificado e morto.

Quantas provas de humildade Jesus nos deu! Quantas lições, quanto testemunho! Não foi sem razão, Ele estava nos ensinando o modo pelo qual devemos viver neste mundo de pecado, onde predomina a soberba e o orgulho.

Temos um Rei que é humilde, mas que é santo. Ele jamais compactuou com o pecado, jamais fez “vistas grossas”, jamais se calou diante da iniqüidade. Ele não suporta a iniqüidade e lançará no inferno todos aqueles que desprezam a Sua salvação.

Não podemos confundir humildade com conivência ao pecado. Não podemos nos calar quando vemos a iniqüidade, principalmente se for dentro de nossa casa, no seio da nossa própria casa. Um dia prestaremos contas. Antes importa agradar a Deus do que aos homens, a quem mais amamos? Josué disse com propriedade: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24:15). Seja esse também o nosso proceder.

“Aos que Me honram honrarei, mas os que me desprezam serão desmerecidos.” 1 Sm 2:30b.

“Não entristeçais o Espírito no qual fostes selados.” Efésios 4:30.

“34   Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. 35   Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. 36   Assim, os inimigos do homem serão os da sua própria casa. 37   Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; 38   e quem não toma a sua cruz e vem após mim não é digno de mim.” Mateus 10:34,38.

Não percamos mais oportunidades de anunciar o Evangelho. Honremos ao Senhor. Sejamos humildes como humilde é o nosso Rei Jesus. Mas sejamos justos, como Ele é.

CONCLUSÃO
“Alegra-te e exulta”. Essas são as palavras do início de Zc 9:9. Toda aquela tristeza e amargura do povo deveria sair de seus corações com a esperança da vinda do Messias. Eles não precisavam mais ficar tristes e desanimados, porque o Rei dos reis viria.

Na nossa caminhada é comum nos abatermos também quando as dificuldades surgem. Que possamos viver na dependência dEle, que é o nosso Rei.

Que a Sua justiça possa nos dar a paz necessária, através da justificação do perdão de nossos pecados.

Que a Sua salvação alcance todos os níveis de nossa vida, trazendo vida e libertação das prisões da alma.

Que a Sua humildade nos inspire e nos constranja a sermos humildes, sem contudo esquecermos da justiça.

Dezembro é o mês em que se comemora o Natal, o nascimento de Jesus. Mas Natal na nossa vida é todo dia, isto é, não relembramos dessas verdades apenas em dezembro, mas vivemos firmados nelas.

Que a mensagem da vinda do Rei dos reis possa nos guiar, iluminar, animar e fortalecer.

SOLI DEO GLORIA!!!

Material de apoio:
ABA - A Bíblia Anotada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL