A RESSURREIÇÃO DE JESUS É RESTAURADORA

IPB de Porecatu / PR - Culto Matutino Especial da Ressurreição de Cristo 12.04.09
3ª IPB de Barretos / SP - Culto Matutino Especial da Ressurreição de Cristo 04.04.10


TEXTO BÍBLICO – Marcos 16:1-8
“Ele, porém, disse-lhes: Não vos assusteis; buscais a Jesus Nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram.” Marcos 16:6.

INTRODUÇÃO / EXÓRDIO
Todos os cultos são especiais, todas as nossas horas devocionais são especiais, todos os nossos dias vividos na presença de Deus são especiais. Porém algumas ocasiões são mais especiais que os dias e ocasiões comuns: nosso aniversário, o aniversário de casamento, o aniversário de nossos filhos, o aniversário de nossa Igreja, etc. Eu pessoalmente tenho procurado lembrar sempre de algumas datas importantes para mim, e que ficarão sempre em minha lembrança como dias especiais: o dia da minha conversão, o dia do meu batismo, o dia da minha profissão de fé, o dia da consagração pastoral, etc. O dia de hoje também é muito especial para todos nós, pois apesar de não sabermos o dia exato do fato ocorrido, sabemos que o significado da Páscoa é singular para todos os crentes. Este dia se reveste de significado para todos nós, pois em uma manhã como esta, Jesus ressuscitou, saiu do sepulcro vencedor, Ele venceu a morte, RESSUSCITOU.

Essa verdade é maravilhosa demais para nós todos que cremos, glória a Deus. Mas, quando o culto acabar, quando esta festa santa terminar, como sairemos desse templo? O que vamos fazer quando retornarmos para nossos lares? Como viveremos diante de tão grandiosa revelação? Agraciados por Deus com a fé viva, como temos vivido no mundo? Somos diferentes dos espíritas, idólatras e pagãos do mundo? Mas em quê? Para muitos crentes, o significado da Páscoa não faz muita diferença, e isso ocorre porque eles vivem uma fé teórica e não prática. Não podemos nos contentar em viver uma fé simplesmente contemplativa, filosófica, teória... A ressurreição de Cristo produzirá certos efeitos na vida de todos aqueles que crêem.

(Existem momentos em que nós precisamos tanto de uma renovação das nossas forças. Momentos em que estamos tristes, abatidos, desanimados e somente Deus pode nos alegrar, levantar e reanimar. São situações em que pessoas e palavras não resolvem, e somente o amor e o poder de Deus são capazes de nos fortalecer).

EXPLICAÇÃO
Quando o Senhor Jesus morreu na cruz Ele realizou completamente a obra para a qual Ele se encarnou. Ele pagou o preço dos pecados do povo de Deus, servindo de propiciação e sacrifício, satisfazendo completamente a lei de Deus naquela rude cruz. Tudo isso para nós é muito bonito e elevado, mas coloque-se no lugar dos discípulos do Senhor... Para eles certamente não foi nada fácil encarar a cruz e ver pregado nela o Senhor Jesus. Eles viram também quando o Seu corpo foi envolvido em um lençol e depositado em um túmulo (Mc 15:46). Agora eles estavam entorpecidos pela dor, abatidos pelos sentimentos de angústia, tristeza, desânimo e desesperança. Observando a Bíblia Sagrada podemos dizer que a ressurreição de Jesus é restauradora, porque ao ressuscitar Jesus lhes restaurou a PAZ, a ALEGRIA, o ÂNIMO e a ESPERANÇA.

ARGUMENTAÇÃO / DIVISÕES

Quais são as implicações diretas e imediatas da ressurreição de Jesus na vida de seus servos? Por que podemos afirmar que A RESSURREIÇÃO DE JESUS É RESTAURADORA?

1 – Ao ressuscitar Jesus lhes restaurou a PAZ.
O sofrimento dos servos do Senhor era tanto, eles estavam tão angustiados devido à morte do Mestre amado que eles já não tinham paz. É então que o Senhor Jesus se apresenta a eles, ressuscitado e diz:
“Paz seja convosco” Lc 24:36.

Ele já os havia avisado antes mesmo da sua prisão, em João 14:27 que a Sua paz não é uma paz semelhante à paz que o mundo dá, sujeita às circunstâncias. A paz que Ele dá é uma paz verdadeira, duradoura, paz que vence a dor e o sofrimento.
“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” João 14:27.

Como você está hoje? Vivendo essa realidade da paz que Cristo dá independente da situação? Ou angustiado (a) diante dos seus problemas e dificuldades? Sabemos que cedo ou tarde iremos passar por crises e sofrimentos, a questão é COMO iremos passar pos essas situações. Sábio é aquele que se prepara através da comunhão com o Príncipe da Paz, Jesus Cristo (Isaías 9:6).

2 – Ao ressuscitar Jesus lhes restaurou a ALEGRIA.
Em Mc 16:10 vemos o estado em que os discípulos estavam. Imagine o sentimento de tristeza que havia no coração daquelas irmãs, que conforme lemos em Mc 16:1 compraram aromas para embalsamar o corpo do Senhor Jesus. E quando foram ao sepulcro fazer isso naquele domingo cedinho, a preocupação delas naquele momento, era quanto à pedra que havia sido colocada à porta do sepulcro. Foi quando se depararam com o sepulcro já aberto, e viram o anjo que disse que Jesus já houvera ressuscitado (vs. 6). O texto diz que elas ficaram surpresas e atemorizadas (vs. 5). Pergunta: não seria o caso delas terem ficado alegres e maravilhadas? Por que essa reação?

Quando estamos tristes podemos facilmente perder o foco da nossa vida. O foco naquela situação era a ressurreição do Senhor e não o seu embalsamamento. Talvez seja por isso que elas reagiram tão estranhamente, todos tinham perdido o seu foco por causa da tristeza da alma.

Quando Jesus ressuscitado apareceu no meio deles a Bíblia diz em Lc 24:41 que:
“E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?”

O sentido do texto é que a alegria deles era tanta que eles ficaram atônitos, tão alegres que estavam. O Senhor Jesus lhes restaurou a alegria.

Todos nós sabemos que a vida não é um mar de rosas, mas certamente uma muitos tem uma forte tendência para a depressão e tristeza quando os momentos difíceis vem. Certamente quando tudo vai bem é mais improvável que alguém fique triste, mas devemos resistir mais a esse sentimento tão avassalador que é a tristeza. Talvez essa seja uma característica do mundo moderno, pois segundo dizem alguns observadores, os consultórios de psicólogos nunca estiveram tão cheios, e os livros de auto-ajuda nunca venderam tanto.

Você é uma pessoa triste? Lembre que a alegria do Senhor é a nossa força (Ne 8:10) e que a vontade de Deus é que nos alegraremos não nas coisas do mundo mas nEle (Fp 4:4).

3 – Ao ressuscitar Jesus lhes restaurou o ÂNIMO.
Aqueles servos do Senhor estavam tão desanimados que já pensavam em retornar à sua antiga vida de pescadores e abandonar a carreira da fé. Mas o Senhor Jesus os chamara para serem pescadores de homens (Mt 4:19) e eles acreditaram no chamado, deixaram tudo para serem pregadores do Evangelho como o Mestre amado. Mas agora, depois da Sua morte tudo havia mudado e eles estavam tão desanimados que já davam sinais de desistência da obra para a qual haviam sido chamados.

- O DESÂNIMO MANIFESTA-SE NA DESISTÊNCIA. É o que vemos em João 21 quando Simão Pedro, Tomé, Natanael, os filhos de Zebedeu, Tiago e João, e mais dois discípulos, passam a noite pescando, e Jesus vem e manifesta-se a Eles e lhes reanima a fé.

- O DESÂNIMO MANIFESTA-SE NA INCREDULIDADE e é fortalecido nela. A falta de fé era uma realidade que eles estavam vivendo naquele momento. Isso fica claro na reação de surpresa e temor das mulheres em Mc 16:5,8 quando viram que Jesus não estava mais no sepulcro. Quando Maria Madalena contou que Jesus havia se manifestado a ela, no vs. 11, os companheiros de Jesus não acreditaram nela. Em João 20:25 Tomé chega a dizer que só acreditaria que Jesus estava vivo de novo se não só O visse, mas teria que apalpar suas cicatrizes, aí então ele acreditaria. E Jesus o repreendeu em Jo 20:27 dizendo: “Não sejas incrédulo, mas crente”.

Jesus lhes restaurou o ânimo e em Mc 16:15 lhes deu esta ordem:
“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.”

4 – Ao ressuscitar Jesus lhes restaurou a ESPERANÇA.
A desesperança tinha tomado conta daqueles irmãos. É o que notamos na conversa de Jesus com os homens no caminho de Emaús em Lucas 24:21
“E nós esperávamos que fosse Ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.”

Mas Jesus revela-se a Ele trazendo de volta a esperança perdida, é o que nota-se em Lc 24:32 quando dizem:
“Disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?”

E naquela mesma hora da noite eles voltam a Jerusalém para contar aos outros o que lhes acontecera (vs. 35).

Mas Jesus ressuscitou e mudou a vida daqueles servos. Basta imaginarmos Pedro pregando em Atos 2:14ss com intrepidez e fé, e o resultado é a conversão de quase 3000 almas (vs. 41). Era outro Pedro, totalmente renovado em sua esperança.

O mesmo notamos na vida e na obra de todos os outros discípulos que agora estavam dispostos até a morrer por sua fé se assim fosse necessário, como ocorreu com Estevão em Atos 7 que morreu apedrejado por causa de sua pregação e sua fé em Cristo. E no vs. 60 ele diz:
“E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.”

Diz o dito popular que “a esperança é a última que morre”, mas morre. No entanto a esperança do crente tem nome: JESUS. E em 1 Pe 1:3 nos é dito que a nossa esperança é uma VIVA ESPERANÇA, isto é, a esperança do crente não morre jamais.

CONCLUSÃO
Como estamos nessa manhã?
Angustiados ou em paz?
Alegres ou tristes?
Animados ou desanimados?
Em desesperança ou esperançosos?

Que a ressurreição de Jesus traga para o coração de cada um de nós e faça aumentar cada dia mais a PAZ, a ALEGRIA, o ÂNIMO e a ESPERANÇA.

Que as lutas do dia a dia jamais venham a ofuscar o brilho da ressurreição de Cristo. Que isso seja uma realidade na vida de cada um, e extensivamente em cada família e na vida da igreja como um todo.

S.D.G.

Material de apoio:
ABA – A Bíblia Anotada;
BEG – Bíblia de Estudo de Genebra
PEB – Pequena Enciclopédia Bíblica.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

O CRENTE E O CARNAVAL