Dez Verdades Sobre o Evangelho, a Igreja e Missões



“E será pregado este Evangelho do Reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” Mateus 24:14.

1- O Evangelho de Deus é supracultural e transtemporal. Suficiente para comunicar a Verdade de Deus a todo homem, em todas as culturas, em todos os tempos e em todas as organizações sociais, seja uma aldeia remota ou uma megacidade (Mt 24:14; Jo 3:16; At 1:8).

2- O Evangelho não é apenas a Verdade, mas também o poder de Deus. A mensagem bíblica é profundamente confrontadora e transformadora, atingindo e transformando o homem em todos os níveis de sua existência, inclusive o cultural (Rm 1:20; At 17:18-32; At 8:12-23; Gl 1:16).

3- O Evangelho começa em Deus e fala sobre a Sua salvação. O Evangelho não é a mensagem da Igreja sobre Deus, mas de Deus sobre a salvação da Igreja. A mensagem do Evangelho não é a Igreja e seus feitos, mas Jesus Cristo, Sua morte e ressurreição (Rm 1:1-2,16 e 15:16; Ef 2:14-22).

4- O homem, em pecado, está distanciado de Deus e totalmente carente de Sua graça e salvação. O Evangelho convida o homem a compreender que está perdido e arrepender-se dos seus pecados (Gn 2:17; Is 59:2; Rm 1).

5- A Igreja é a comunidade dos redimidos, originada em Deus e pertencente a Deus. Não foi formada para agradar aos desejos e preferências de homens, mas para agradar e obedecer a Deus (1 Co 1:1-2; Ef 4:11). 

6- A Igreja não é uma comunidade alienante. Os redimidos por Cristo são homens e mulheres comuns, pais e filhos, professores, funcionários e chefes, pessoas normais que vivem e levam o Evangelho onde estão (1 Co 6:12-20).

7- A Igreja é uma comunidade sem fronteiras, portanto fatalmente missionária. É chamada a proclamar Jesus perto e longe, em todos os lugares e prioritariamente entre os que pouco ou nada ouviram do Evangelho (Mt 28:18-20; Rm 15:20).

8- A vida da Igreja, quando obediente às Escrituras, é um grande testemunho para o mundo perdido. É necessário que viva o que prega, que demonstre no dia a dia aquilo que confessa nos cultos públicos (Jo 14:26; 16:13-15).

9- A primeira missão da Igreja não é proclamar, mas morrer. Somente morrendo para nossos pecados e desejos viveremos para Cristo e Seu Reino (Gl 2:20; 1 Pe 2:9).

10- A missão maior da Igreja é glorificar a Deus. Nessa caminhada é preciso que a Igreja se “desglorifique” para de fato glorificar ao Senhor (Sl 108:5; Fp 1:11; Rm 16:25-27).

Por: Ronaldo Lidório. O autor é pastor presbiteriano e missionário ligado à Agência Presbiteriana de Missões Transculturais (APMT). Serviu por nove anos no noroeste africano, entre o povo konkomba-bimonkpeln, como plantador de Igrejas e tradutor do Novo Testamento. É autor de 15 livros, entre eles “Introdução à Antropologia Missionária” e “Comunicação e Cultura” (Edições Vida Nova). Atualmente é missionário na selva amazônica. (Texto extraído e adaptado de http://ronaldo.lidorio.com.br/wp/).

Boletim IPNA 18/02/18
Igreja Presbiteriana Nova Aliança
Rua Álvares Fagundes, 107, Americanópolis, São Paulo.

Comentários