A Santa Ceia do Senhor


“Pois a minha carne é verdadeira comida, e o meu sangue é verdadeira bebida.” João 6:55.

Em se tratando da Santa Ceia, é importante que nos relembremos do que diz a Confissão de Fé de Westminster.

CAPÍTULO XXVII - DOS SACRAMENTOS

I. Os sacramentos são santos sinais e selos do pacto da graça, imediatamente instituídos por Deus para representar Cristo e os Seus benefícios e confirmar o nosso interesse nEle, bem como para fazer uma diferença visível entre os que pertencem à Igreja e o resto do mundo, e solenemente obrigá-los ao serviço de Deus em Cristo, segundo a Sua Palavra. Rm 6:11; Gn 17:7-10; Mt 28:19; 1 Co 11:23, 10:16, 11:25-26; Ex 12:48; 1 Co 10:21; Rm 6:3-4; 1 Co 10:2-16.

II. Em todo o sacramento há uma relação espiritual ou união sacramental entre o sinal e a coisa significada, e por isso os nomes e efeitos de um são atribuídos ao outro. Gn 17:10; Mt 26:27-28; Tt 3:5.

III. A graça significada nos sacramentos ou por meio deles, quando devidamente usados, não é conferida por qualquer, poder neles existentes; nem a eficácia deles depende da piedade ou intenção de quem os administra, mas da obra do Espírito e da Palavra da instituição, a qual, juntamente com o preceito que autoriza o uso deles, contém uma promessa de benefício aos que dignamente o recebem. Rm 2:28-29; 1 Pe 3:21; Mt 3:11; 1 Co 12:13; Lc 22:19-20; 1 Co 11:26.

IV. Há só dois sacramentos ordenados por Cristo, nosso Senhor, no Evangelho: O Batismo e a Santa Ceia. Nenhum destes sacramentos deve ser administrado senão pelos ministros da Palavra legalmente ordenados. Mt 28:19; 1 Co 11:20, 23-34; Hb 5:4.

V. Os sacramentos do Velho Testamento, quanto às coisas espirituais por eles significados e representados, eram em substância os mesmos que do Novo Testamento. 1 Co 10:1-4.

Isso posto, vamos estabelecer uma coisa, nosso princípio de fé: Jesus é Deus, e portanto, tudo que Jesus falou foi Deus que falou porque Jesus e o Pai são um.

1 - A Santa Ceia do Senhor nos garante certeza de salvação
João 6: 51. Eu Sou o Pão Vivo que desceu do Céu; se alguém comer deste Pão, viverá para sempre; e o Pão que Eu darei pela vida do mundo é a Minha carne. 52. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode Este dar-nos a Sua carne a comer? 53. Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o Seu Sangue, não tereis vida em vós mesmos.

Sabemos que a Santa Ceia em si não salva, porém o próprio Senhor disse essas Palavras. Portanto, entendemos que não é o tomar a Santa Ceia o motor da salvação, mas seu resultado. Os que creem participam da comunhão, e sua participação é o resultado de terem sido alcançados pela graça. Os que creem tomam a Santa Ceia porque temem o Senhor que diz que se alguém não comer a carne e beber o Sangue do Filho do Homem não tem vida em si mesmo. Sabemos que Cristo dá a vida eterna, e cremos que o participar da Santa Comunhão nos confirma interiormente quem somos, somos filhos de Deus, e nos vemos obrigados, encorajados e induzidos amorosamente à santificação, sem a qual não podemos participar dessa comunhão que é Santa.

2 - A Santa Ceia do Senhor nos dá garantia de vida eterna, e é condição para ressuscitarmos para a glória
João 6: 54. Quem come a Minha carne e bebe o Meu sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia.

A Bíblia é clara em afirmar que todos os seres humanos ressuscitarão no Último Dia, sendo que os salvos ressuscitarão para a vida eterna e os ímpios para a condenação eterna. A promessa de Jesus é que a participação na Santa Ceia é garantia da ressurreição para a vida eterna. Como num ajuste periódico de contas e reafirmação do Pacto dos que foram lavados e remidos no Sangue da Cruz, a Santa Ceia retifica e ratifica os votos que a Ele fizemos, firmados em Sua promessas que são eternas e não passarão.

3 - A Santa Ceia do Senhor é vital para nos fortalecer espiritualmente
João 6: 56. Quem come a Minha carne e bebe o Meu Sangue permanece em Mim e Eu nele. 57. Assim como o Pai, que vive, Me enviou, e Eu vivo pelo Pai, assim, quem de Mim se alimenta, também viverá por Mim.

Creio que esse é o século do desânimo, jamais vi tantos crentes desanimados, apáticos, mundanizados e até caídos. Por quê será? Certamente por não viverem em perfeita comunhão com Deus. A participação coerente na Santa Ceia é garantia de fortalecimento e renovação espiritual. Quando comemos o pão e bebemos o cálice estamos nos alimentando de Cristo e fortalecidos nEle e em Seu poder. Não participar da Santa Ceia causa enfraquecimento na fé e vulnerabilidade aos ataques do mundo, da carne e do diabo.

Conclusão

A - Observe a reação dos discípulos de 66 a 71.

B - O que a Santa Ceia significa para nós?

C - O que a Santa Ceia significa para você?

D - Por que tantos crentes não se incomodam e não tomar a Santa Ceia?

E - Vivemos a época da "coisificação" do espiritual, é a espiritualização das coisas.

Soli Deo Gloria!!!

IPNA, Culto Vespertino 01/10/17
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo.

Comentários