Como Dialogar de Forma Eficaz, Produtiva e Útil


“Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo,
porque somos membros uns dos outros.” Efésios 4:25.

Necessitamos nos comunicar bem. A boa comunicação é uma arte!

A boa comunicação é básica em qualquer relação seja ela social (família, igreja, vizinhos, etc.), profissional ou espiritual. É vital para que haja confiança, credibilidade, e sem isso as relações terminam, morrem, e vai surgir um distanciamento, uma divisão, uma separação.

O surgimento da boa comunicação – “E disse Deus”

Inicialmente vemos em Gênesis que Deus é o criador da comunicação - Gn 1:3a, 5a, 6a, etc. Ele é o primeiro comunicador, “disse Deus” e “falou Deus” aparece a todo tempo. Também encontramos a comunicação entre a Trindade 1:26a “façamos” nos mostrando que a comunicação existe desde antes da criação do homem. A comunicação de Deus com o homem se inicia em 1:28 quando Deus falou com o ser humano pela primeira vez – ALELUIA! PORQUE DEUS FALA CONOSCO!!! O Evangelho pode ser entendido a partir deste princípio: Deus falando com o homem, e o homem respondendo a Deus. Infelizmente muitas vezes nós não estamos suficientemente atentos ao que Ele está nos falando, não nos damos conta da preciosidade que temos em nossas mãos, a Bíblia... Talvez em seu íntimo muitos ainda não a veem verdadeiramente como PALAVRA DE DEUS, senão buscariam conhecê-la, eles a devorariam. Existe hoje uma grande quantidade de crentes que estão raquíticos espiritualmente por não conhecerem a Bíblia e que se transformaram numa massa de pessoas facilmente manipuláveis por interesseiros. Vemos a necessidade de uma nova reforma protestante no Brasil, pois nota-se o surgimento de um terceiro povo “cristão” – os evangélicos. As igrejas históricas tradicionais, onde nós presbiterianos nos incluímos, já é considerado o segmento dos PROTESTANTES, que se destaca por preservar as doutrinas reformadas como base de interpretação das Sagradas Escrituras.

A serpente e a má comunicação

Mas encontramos também o inimigo se comunicando de modo errado confundindo, enganando, causando separação, destruindo as relações – Gn 3:1,3. ATENÇÃO: O DIABO AINDA EXISTE!!! Temos que nos precaver pois ele é mestre em confundir – Jo 8:44; 10:10 – mas não fanatize, nem tudo é o diabo. Podemos neutralizar suas artimanhas não por meio de fórmulas mágicas e “varinha de condão” mas através do exercício prático da Palavra de Deus.
Entendendo a boa comunicação

- A importância do transmissor e do receptor.
- Falar antecede o fazer, se você fala e não faz está mentindo. Se houve algum empecilho comunique-se e busque uma solução inteligente.
- Os pressupostos da boa comunicação: sinceridade, verdade, amor, respeito, carinho, generosidade, compaixão, temor a Deus.

Empecilhos à boa comunicação

- Ausência dos pressupostos citados acima, que nesse caso já é problema de caráter.
- Cacofonia - o que eu falo não é o que você ouve. Posso estar me comunicando mal, mas o problema pode ser o receptor 
- Precipitação - desatenção, julgamento, pré-conceito.
- Monólogo - somente uma das partes fala (demais).
- Interrupção - o silêncio usado como arma. Se a comunicação é essencial no casamento é preciso tomar cuidado com quem você vai se desabafar.
- Ironia - quando se brinca com as palavras e o jeito de falar.
- Acidez - a ira vocalizada causa mal estar e irritação. TAMBÉM pode ser causada por stress ou outros problemas de saúde.
- Perder o foco - falta de objetividade.
- Chocarrice - linguagem de duplo sentido, palavreado chulo (exemplos).

Os meios de comunicação virtual ajudam ou atrapalham?

Auto-teste - como temos nos comunicado?

Desenvolvendo a boa comunicação

Como mudar esse quadro e se prevenir? A comunicação inteligente, respeitosa e harmoniosa é o cerne de um relacionamento familiar saudável. Podemos dar vida ou matar o relacionamento dependendo da maneira como nos comunicamos. A Palavra de Deus diz que “a morte e a vida estão no poder da língua” (Pv 18.21). Muitos conflitos dentro do lar são gerados por uma comunicação deficiente. Analisemos o fruto do Espírito Santo (Gl 5:22-23) na perspectiva de gerador da comunicação.

Princípios para a boa comunicação

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” Tiago 1:19.

1 - Aprender a ouvir com mais atenção. Todos nós temos necessidade de alguém que nos ouça. Tiago diz que devemos estar prontos para ouvir (Tg 1:19). Quem ama tem tempo para a pessoa amada; busca agradar a pessoa amada, bem como, compreender a pessoa amada. Assim, quando nos dispomos a ouvir, demonstramos que a outra pessoa tem valor e prioridade para nós. Agindo assim, estaremos construindo pontes de contato e pavimentando a estrada de uma comunicação saudável.

2 - Aprender a falar com mais amor. Uma comunicação harmoniosa depende da capacidade de falar a coisa certa, na hora certa, da maneira certa, com a pessoa certa, e com a motivação certa. Às vezes pecamos não a respeito do que falamos, mas como falamos. A maneira de dizer é tão importante quanto o que se diz. Tiago diz que devemos ser tardios no falar (Tg 1:19), e Paulo alerta para o fato de que devemos falar a verdade em amor (Ef 4:15). Se não tomarmos cuidado, poderemos ferir com a nossa língua a pessoa que mais amamos. Lembremos sempre que o amor tem que ser a base de tudo: 

“Acima de tudo isto, porém, esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.” Cl 3:14.

3 - Aprender a elogiar com mais generosidade. O elogio sincero é um bálsamo para a alma e um tônico para o coração. Um elogio sincero vale mais do que mil críticas. Um ditado chinês diz que apanhamos mais moscas com uma gota de mel do que com um barril de fel. Temos necessidades emocionais que precisam ser supridas, e Deus instituiu a família para que pudéssemos ajudar-nos uns aos outros. É na família que devemos cultivar um ambiente gostoso de comunhão, amizade e afeto, onde sejamos valorizados pelo que somos e não apenas por nosso desempenho e sucesso. Devemos reafirmar nosso amor uns pelos outros dentro do lar, sendo aliviadores de tensões e bálsamos do Céu na vida uns dos outros. Rm 13:7 “A quem honra, honra”.

4 - Aprender a perdoar com mais compaixão (Mt 6:12; Lc 6:37). Não há família perfeita nem relacionamentos perfeitos. Todo relacionamento familiar precisa de renúncia e investimento. Toda família precisa exercer o perdão, pois sem perdão não há relacionamentos saudáveis. Todos nós decepcionamos as pessoas e elas nos decepcionam. As pessoas têm a capacidade de nos ferir. Nós sofremos mais por causa de relacionamentos do que por causa de outros problemas. Pessoas roubam mais nossa alegria do que circunstâncias. Por esta razão, precisamos aprender a perdoar assim como Deus em Cristo nos perdoou. O perdão deve ser imediato, completo e incondicional. Pelo perdão somos libertos e curados. Através do perdão temos a oportunidade de recomeçar e reconstruir uma relação quebrada. O perdão nos ajuda a fechar feridas, tapar brechas e a construir novos sonhos (Ef 4:26). Como a graxa nas engrenagens de uma máquina, ou como o óleo no motor do carro, o perdão faz com que a comunicação (relacionamento) continue funcionando bem.
5 - Aprender a cultivar um relacionamento de intimidade com Deus. O casamento deve ser um cordão de três dobras, onde Deus É a parte mais forte e aquEle que une as outras duas dobras (Ec 4:12). O salmista diz que se Deus não edificar a casa em vão trabalham os que a edificam (Sl 127:1). A maior necessidade da família é da presença de Deus. O casamento e todo o relacionamento familiar precisa estar edificado sobre uma relação pessoal e íntima com Deus. Nada nem ninguém pode substituir a presença de Deus na família. Podemos ter dinheiro, sucesso e muitas conquistas, mas sem Deus, tudo isso é chocho, vazio e triste. É a presença de Deus que dá sentido e sabor ao relacionamento conjugal e familiar. As orações não podem se interromper (1 Pedro 3:7).

Conclusão

Protegendo o lar com atitudes práticas:
- O casal nunca deve tratar seus assuntos mais íntimos na presença dos filhos.
- O casal jamais deve deixar para tratar no dia seguinte um assunto de hoje, agora. 
“Não se ponha o sol sobre a vossa ira” Ef 4:26.
- O casal jamais deve sequer FALAR em separar-se, pois não há problema que não tenha uma solução (Mc 10:9).
- Se o clima esquentar, dê um tempo até acalmar, antes que perca o controle.
- Muito cuidado com o testemunho, as paredes têm ouvidos e os vizinhos também!
- Os pais jamais deve falar dos defeitos de seu cônjuge para os filhos.
- Um cônjuge jamais deve falar de seu relacionamento (íntimo) para terceiros, mesmo os pais.
- Os pais devem aprender a manter o controle em qualquer situação.
- Os pais devem falar com amor, mesmo que tenham que elevar o tom de voz para com seus filhos.
- Os filhos jamais devem elevar o tom de voz para com seus pais.
- Os filhos jamais devem falar dos defeitos de seus pais e irmãos a terceiros.

Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
Soli Deo Gloria!!!

Igreja Presbiteriana de Americanópolis
Encontro de Casais Com Cristo 01/07/17.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO