O ENCONTRO EM EMAÚS



“Porventura, não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” Lucas 24:32.

A morte de Jesus abalou a fé de todos os seus seguidores. Na madrugada da sexta-feira, o dia de Sua prisão, Judas O traiu os outros onze fugiram. Na manhã do terceiro dia (domingo) quando as mulheres foram ao sepulcro com aromas para embalsamar o corpo de Cristo, ao encontrarem a pedra removida ficaram surpresas, e atemorizadas quando o anjo lhes falou acerca da ressurreição do Messias (Mc 16:1-8). Os discípulos também estavam atemorizados e todos ficaram surpresos, e alguns até céticos, quando o Senhor Jesus apareceu a eles (Lc 24:36-43). Certamente todos os fatos recentes: a prisão, o julgamento, o martírio, a crucificação e a morte de Jesus, abalou a fé daqueles primeiros irmãos. 

Não os critiquemos... Muitas vezes na vida nós também vamos ficar atemorizados diante das circunstâncias e situações que enfrentaremos. Convém nos prepararmos para que não sejamos pegos de surpresa quando isso suceder a nós. Se eles se abateram por ver o Mestre sendo humilhado, torturado e assassinado injustamente, nós nos abatemos por muito menos. Aqueles primeiros irmãos, apesar de suas fraquezas, revelaram-se no futuro serem verdadeiros heróis da fé, porque foram restaurados por Jesus. A obra de Jesus, sua morte e ressurreição, tem esse poder, essa magnificência, de restaurar-nos e transformar-nos.

EXPLICAÇÃO

Emaús era uma aldeia que ficava distante de Jerusalém cerca de 11 Km. Foi no caminho entre Jerusalém e Emaús que Jesus veio ter com eles na tarde daquele domingo. Não sabemos ao certo quem são eles, sabemos somente o nome de um deles, Cléopas (vs.18). A Bíblia não revela o nome do outro, mas a experiência deles tem muito a nos ensinar, pois podemos traçar um paralelo entre a caminhada deles e a nossa caminhada de vida. 

ARGUMENTAÇÃO

O texto gira em torno do encontro de Jesus com esses irmãos, e o fato de que eles não O reconheceram. Talvez o fato do dia estar declinando, escurecendo, tenha afetado a visão deles. Mas a Bíblia nos mostra algo mais. Eles não reconheceram Jesus principalmente porque:

1 – SEUS OLHOS ESTAVAM FECHADOS (vs.16)

Certamente a memória da Cruz de Jesus estava latente em suas mentes. Se assistir um filme traz para nós tamanha comoção, imagine o que foi que eles sentiram ao ver tudo aquilo... 

Não deixemos que os problemas da vida, as lutas e dificuldades, tapem nossos olhos. Uma pessoa com os olhos vendados está sujeita a tropeçar e cair; a queda deles naquele momento foi não reconhecer quem estava ao seu lado. Não permitamos que isso venha a ocorrer conosco. A Bíblia é um farol que ilumina nosso caminho “Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra, e luz para os meus caminhos.” Diante das lutas e tribulações, por pior que sejam, devemos sempre reconhecer a presença de nosso Senhor a nos consolar e fortalecer.

2 – SEUS CORAÇÕES ESTAVAM INCRÉDULOS (vs.25)

A incredulidade fez com que eles ainda que cientes das Escrituras, não cressem que Jesus fosse o Messias (19-21). A incredulidade fez também com que não cressem nos relatos dos primeiros discípulos que foram ao sepulcro e o encontraram vazio (22-24). Nota-se o ceticismo em suas palavras...

Não podemos deixar que a incredulidade entre em nosso coração. Precisamos sempre pedir ao Senhor que nos ilumine a mente e nos fortaleça na fé, pois pior do que não conhecer a Palavra de Deus, é conhecer e duvidar. 

3 – SEUS CORAÇÕES NÃO ARDIAM MAIS (vs.32)

O verbo “arder” significa queimar, estar aceso. A indagação daqueles homens era por que o coração deles não estava ardendo quando Jesus estava com eles. Esse fogo que há dentro de nós é o que nos mantém vivos na fé, alegres, avivados! É o fogo de Deus, o fogo do Espírito Santo que nos santifica e nos renova na presença de Deus. Isso não é emocionalismo ou manipulação mental, trata-se de um fogo espiritual que vem de Deus e que nos mantém vivos espiritualmente. É com esse fogo, que é o poder do Espírito de Deus, que Jesus nos batiza quando recebemos a salvação. É o selo da promessa com o qual fomos selados para o dia da redenção. Aqueles irmãos estavam com seus corações insensíveis à presença de Jesus...

Não podemos deixar que o fogo do Espírito se apague dentro de nós. O lixo do pecado precisa ser removido para que as chamas espirituais nos incendeiem interiormente. Quantos crentes há que não sabem o que é ser cheio do Espírito Santo, quantos que sequer conseguem distinguir e sentir a presença de Cristo.

As lutas e tribulações podem nos enfraquecer, mas podem também nos fortalecer. Que seja esse o momento em que vamos buscar mais a presença de Deus do que em qualquer outro tempo. Que seja esse o tempo em que vamos orar mais do que antes. Enfim, que ao passarmos pelos momentos sombrios da vida estejamos em santificação e na busca da presença de Deus, para que o nosso coração permaneça aceso e ardente diante dEle.

A AÇÃO DE CRISTO EM EMAÚS
Apesar daqueles irmãos estarem em situação de tamanha fragilidade, incrédulos, entristecidos, com seus olhos fechados espiritualmente, Jesus Se compadeceu deles e agiu transformando tudo em bênção.

Jesus aproximou-Se deles (15);
Jesus andou com eles;
Jesus falou com eles e os exortou (25-27);
Jesus atendeu ao pedido deles quando O CHAMARAM PARA FICAR COM ELES (29);
Jesus revelou-Se a eles no partir do pão (31).

A história terminaria triste não fosse a graça e a bondade de Deus. Cristo veio ao encontro daqueles irmãos com o intuito de restaurá-los, e foi exatamente isso que Ele fez, aproximando-Se deles (15); andando com eles, apesar de sua ignorância; exortando-os (vs.25-26); ficando com eles quando Lhe pediram (29); revelando-Se no partir do pão (30-31).

Aqui houve algo maravilhoso na vida daqueles irmãos: uma restauração espiritual aconteceu, seus olhos foram abertos, o coração deles foi aceso, iluminado novamente, eles se levantaram e no mesmo momento retornaram para Jerusalém e contaram aos irmãos tudo que lhes havia acontecido.

CONCLUSÃO

A indagação daqueles servos nos impressiona: “Porventura, não nos ardia o coração, quando Ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as Escrituras?” (38).

Se desejamos ser restaurados pelo poder de Deus necessitamos:

- Receber em amor e submissão as exortações de Jesus.
- Convidar Jesus a entrar em nossa vida, nosso coração, nossa casa, e permanecer conosco.
- Participar da Santa Ceia é um ato de fé no qual somos renovados constantemente, desde que participemos em espírito de santidade, e não em pecado.
- Pedir a Ele que faça arder os nossos corações de novo, e de novo, e de novo...
Certamente nossos olhos se abrirão e iremos contar a outros irmãos aquilo que Cristo fez em nossas vidas. O crente que não tem nada a compartilhar precisa reavaliar sua vida espiritual.

Que possamos sempre viver nessa perspectiva de vida, pois o nosso Cristo está vivo, Ele ressuscitou!!!

Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
IPB Nova Aliança, Culto de Páscoa 16/04/17
Rua Álvares Fagundes, 102, Americanópolis, São Paulo
Soli Deo Gloria!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

IPB EM FOCO - SIMONTON E AS BASES DO PRESBITERIANISMO NO BRASIL