ELE TE HUMILHOU!



Deuteronômio 8:1-3

“Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR viverá o homem.” Deuteronômio 8:3.

É muito estranho para os nossos padrões de pensamento entender que Deus nos humilha, e mesmo assim Ele É bom, amoroso, perfeito. Estranho porque esses padrões que influenciam nosso pensamento não provém da Palavra de Deus, mas de conceitos, filosofias e ideologias humanas e distantes da revelação de Deus ao homem, a Bíblia. Deus pode nos humilhar sim, e não tem nenhum problema nisso, pelo contrário, se for o método escolhido por Ele para nos ensinar, disciplinar, orientar e guiar, que assim seja. Será o melhor, porque o que provém dEle é sempre o melhor! O nosso Deus É Santo, Santo, Santo! Se Ele nos humilhar será com santidade que fará isso, e será para:

1 - Nos ensinar a cumprir Seus mandamentos (vs.1a). O cumprimento das Leis de Deus está ligado diretamente à nossa submissão e humildade. Se não formos humildes jamais obedeceremos. Um breve conhecimento do AT já nos mostra a dimensão do orgulho e dureza de coração do povo de Israel. Nós não somos muito diferentes deles, por isso Deus também nos humilha para quebrar nosso orgulho e nos ensinar a obediência na escola da fé e da submissão. 

2 - Que sejamos abençoados - “vivais, vos multipliqueis, entreis e possuais a terra” (vs.1b). Naquele contexto essa era a maior bênção que o povo de Deus deveria almejar. O cumprimento dos mandamentos, era o pré-requisito para que eles fossem um povo abençoado. Era necessário que eles vivessem vencendo os perigos; se multiplicassem, tornando-se um povo numeroso; entrassem e possuíssem a Terra Prometida. Assim também, Deus trabalha em nossa vida para que sejamos alcançados por bênçãos celestiais.

3 - Nos lembrarmos de tudo que Ele fez por nós (vs.2a). O esquecimento de Quem Deus É e tudo que Ele fez e faz é uma das causas do esmorecimento na fé. Ao humilhar amorosamente esse povo, Deus trabalhava em seus corações de modo que eles jamais se esquecessem Quem Deus era na vida deles: o Deus que os tirou do Egito através de grandes sinais e maravilhas, o Deus que abriu o Mar vermelho e destruiu o exército de faraó, o Deus que os alimentou com maná do Céu e água da rocha. Em tudo dai graças”, diz o Senhor. Esquecer-se do que Deus fez e faz, e de Quem Ele É para nós, é sinal de ingratidão, orgulho e altivez de espírito. Lembrar-se sempre faz com que sejamos gratos permanecendo fiéis em todo tempo.  

4 - Nos provar e saber se guardaremos Seus mandamentos (vs.2b). É inequívoca a constatação bíblica de que Deus prova a nossa fé. Observa-se isso desde o Éden. Não cabe ao homem perguntar o por quê, uma vez que Deus É Onisciente, nem tampouco reprová-Lo no coração. Cabe à criatura ser fiel ao Criador, dando-Lhe graças por tudo. Ao ser humilhado o povo de Deus estava sendo provado por Deus, e novamente o teste da fidelidade seria repetido. Guardar os mandamentos de Deus quando tudo nos vai bem é relativamente fácil, mas guardá-los em meio às angústias e tribulações é sinal de fé genuína.

5 - Nos fazer entender que não vivemos só de pão, mas de tudo que procede da boca dEle (vs.3). As coisas materiais e os cuidados com o corpo não podem jamais ter a proeminência em nossa vida. Tudo isso se faz necessário e até certo ponto os cuidados com o corpo são salutares e necessários. Amar a Deus é cuidar de si também, do contrário não é praticada a mordomia do corpo. Porém, a vida é mais que o alimento e o corpo mais que as vestes”, o corpo não pode se tornar um ídolo pessoal. Quanto aos alimentos, o Senhor promete que nada nos faltará, Ele cuida de nós. Se há prazer em comer e beber, e isso é muito bom, melhor ainda é confiar em Deus e saber que dependemos dEle e não das coisas, que as Palavras dEle são mais importantes para nós do que o comer e o beber, que devemos alimentar nosso espírito mais que nosso próprio corpo, porque o corpo passa, mas o espírito não passa jamais.

Conclusão

“Filho meu, não menosprezes a correção que vem do Senhor, nem desmaies quando por Ele és reprovado; porque o Senhor corrige a quem ama e açoita a todo filho a quem recebe.” Hebreus 12:5-6. Se o Senhor nos disciplina é para o nosso próprio bem. A Sua correção vem repleta de amor e misericórdia. Deus É amor, portanto, até quando Deus nos humilha, Ele está nos tratando com paciente amor

Cuidado com a rebeldia, o ódio, a amargura e a vingança. Deus É justo Juiz, e nada foge do Seu comando. Descanse nEle, repouse seu coração nos Seus braços de amor. “A Mim pertence a vingança, Eu retribuirei, diz o Senhor” Rm 12:19b.

Aceitemos as ações de Deus, sejam elas quais forem, pois sempre são benéficas e visam o nosso bem. Aceitemos as repreensões divinas:
“Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir a canção do insensato.” Ec 7:5.

Confie na graça e no amor de Deus em todas as circunstâncias. Paulo à beira da morte disse 2 Tm 4:7-8.

Por: Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
IPB de Brasilândia, culto vespertino 19/06/16.

Soli Deo Gloria!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT