ZELANDO PELA REALIZAÇÃO DA OBRA DE DEUS


NEEMIAS 6:10-14

“10 Tendo eu ido à casa de Semaías, filho de Delaías, filho de Meetabel (que estava encerrado), disse ele: Vamos juntamente à Casa de Deus, ao meio do templo, e fechemos as portas do templo; porque virão matar-te; aliás, de noite virão matar-te.
11 Porém eu disse: homem como eu fugiria? E quem há, como eu, que entre no templo para que viva? De maneira nenhuma entrarei.
12 Então, percebi que não era Deus quem o enviara; tal profecia falou ele contra mim, porque Tobias e Sambalate o subornaram.
13 Para isto o subornaram, para me atemorizar, e para que eu, assim, viesse a proceder e a pecar, para que tivessem motivo de me infamar e me vituperassem.
14 Lembra-te, meu Deus, de Tobias e de Sambalate, no tocante a estas suas obras, e também da profetisa Noadia e dos mais profetas que procuraram atemorizar-me.” Neemias 6:10-14.

"Neemias, em hebraico “conforto de”, ou “confortado por Deus” (YHWH), é um personagem bíblico, figura importante na história pós-exílica dos judeus. Fez erigir os muros de Jerusalém e realizou importantes reformas religiosas exercendo papel fundamental na fixação da lei mosaica. O livro bíblico que traz seu nome, Livro de Neemias, redigido pouco antes dos 300 anos, juntamente com o livro de Crônicas e o livro de Esdras, relata a obra de restauração de Neemias. 

Através de seu irmão Hanani (Ne 1:2; 2:3), Neemias ouviu sobre a condição lamentável de Jerusalém, e encheu-se de tristeza; por muitos dias ficou em jejum, em luto, orando pelo local do sepulcro de seus pais. Finalmente, o rei percebeu a tristeza em sua expressão, e perguntou-lhe o seu motivo; Neemias explicou-o ao rei, que lhe concedeu permissão de ir à cidade e agir lá.


Neemias chegou a Jerusalém no 20º ano do reinado de Artaxerxes I (445/444 a.C.), com um forte séquito que lhe fora fornecido pelo próprio rei, e com cartas para todos os paxás das províncias pelas quais passaria, assim como para Asaf, o mantenedor das florestas reais, ordenando-os a ajudá-lo.

Quando de sua chegada em Jerusalém, Neemias estudou secretamente a cidade à noite, formando um plano para a sua restauração; o plano foi executado com tamanha habilidade e ímpeto que todas as suas muralhas teriam sido finalizadas num período assombroso de cinquenta e dois dias." (Wikipedia).

"O principal tema de Esdras e Neemias é que Deus opera soberanamente por meio de agentes humanos responsáveis a fim de realizar o Seu propósito redentor. O autor desenvolve este tema em Neemias com atenção especial à reconstrução e dedicação das muralhas defensivas de Jerusalém (1:1-7:3; 12:27-43), e à reconstrução de todo o povo chamado “Israel” em seu relacionamento com Deus, baseado na aliança (7:4-13:31)." (Bíblia de Estudo de Genebra).

Neemias tinha inimigos que se opuseram à realização dessa grandiosa obra que Deus lhe havia designado. No Livro de Neemias fica clara a ação malévola de dois personagens: Sambalate e Tobias.

"Sambalate – um nome babilônico que significa “Sin (o deus da lua) dá vida”. Sambalá e os seus descendentes serviram por mais de um século como governadores da Samaria, a área ao norte de Judá. De alguma maneira, ele pode ter adorado do Deus de Israel (2 Rs 17:24-41), visto que os nomes de seus filhos Delias e Selemias, terminam com uma forma abreviada de “Javé”.
Tobias – provavelmente governador de Amom, a leste de Judá. O nome significa “o Senhor é bom”, indicando que ele também pode ter adorado o Deus de Israel (6:17-18; 13:4)." (Bíblia de Estudo de Genebra).

O texto em foco (6:10-14) é focado em um diálogo entre o profeta Semaías e Neemias, que lhe traz um recado, como se fora da parte de Deus, e que poderia colocar toda a obra de Neemias em xeque, caso ele não tivesse o discernimento, a sabedoria e o temor que se espera de todos os servos de Deus.

Nessa mensagem refletiremos acerca de três coisas reveladas nesse texto, que podem atrapalhar a obra de Deus, seu andamento e execução.

1 – MAUS CONSELHOS (vs.10-12)

Maus conselheiros que falam em nome de Deus são extremamente perigosos, pois podem entrar em nossa mente como se Deus falasse através deles. O filtro da Palavra de Deus nos protegerá dos maus conselhos. Boas intenções não bastam, mas o zelo pela Palavra do Senhor nos livrará de todo mal.

Os conselhos de Semaías (vs.10) eram falsos, enganosos, malignos. Ele tentou induzir Neemias a cometer dois pecados: acovardar-se diante de ameaças, e profanar o templo do Senhor. “O ardil desse falso profeta era que Neemias covardemente buscasse asilo no átrio do templo (Ex 21:12-14), mas ele não tinha permissão de entrar no templo, propriamente dito, visto que não era um sacerdote (Nm 18:7).

Além disso, se Neemias se escondesse ele estaria declarando sua desconfiança na provisão do Senhor. Fugir aqui não seria uma estratégia de combate, mas uma declaração de medo do inimigo. A covardia é sinônimo de ausência de fé.

A resposta de Neemias foi pontual e contundente: “Porém eu disse: homem como eu fugiria? E quem há, como eu, que entre no templo para que viva? De maneira nenhuma entrarei.” Ne 6:11.

Quando nos dedicamos à realização da obra de Deus seremos alvo de ataques para que desistamos e não a completemos. Muito cuidado com os maus conselheiros.

2 – IRREVERÊNCIA (vs.10)

Um segundo perigo que o texto nos apresenta é tratar coisas santas sem santidade, um grande perigo em nossos dias. O que Semaías propôs a Neemias era que ele entrasse no lugar consagrado, o átrio do templo, o meio do templo, sem a permissão de Deus para isso. Seria um ato de profanação que pesaria totalmente contra o servo de Deus. Mas Neemias teve temor e sabedoria para não cometer tal pecado.

Infelizmente vivemos em um tempo de muitas profanações, oriundas da relativização.

• A Igreja não é mais vista por muitos, como um local sagrado.
• A Bíblia não vista por tantos outros, como a santa e infalível Palavra de Deus, por isso há um desinteresse absurdo daqueles que não a leem, não a estudam e nem meditam nela.
• A oração não é mais tão necessária para a sobrevivência espiritual, mas tem se tornado um acessório opcional na vida das pessoas. E um acessório cada vez mais ignorado e desprezado.
• O corpo não tem sido resguardado por aqueles que não sabem, ou não creem, que o nosso corpo é santuário do Espírito Santo.
• O amor não tem sido a regra básica dos relacionamentos.
• A mentira, para muitos, não é pecado, quebra do nono mandamento (Ex 20:16) e nem filha do diabo (Jo 8:44), mas é praticada sem crises de consciência.
• O casamento não é mais indissolúvel, exceto pela morte.
• Sonegar o dízimo não é mais roubo a Deus, antes, é praticado por muitos.
• O respeito aos pais e autoridades constituídas por Deus tem sido desprezado sistematicamente.

O resultado de tanta irreverência às Sagradas Escritura não poderia ser outro: esfriamento espiritual, a obra de Deus sendo cada vez mais negligenciada e menosprezada. Igrejas vazias, almas vazias, mentes e corações vazios, dando lugar ao pecado. Festas substituem o estudo bíblico, a oração e o evangelismo. Muitas Igrejas estão morrendo devido à irreverência de grande parte do povo de Deus.

Mas louvado seja Deus, que tem preservado muitos “Neemias”, homens e mulheres corajosos, que não O traíram, não O abandonaram, não O tratam com desdém ou irreverência, mas O amam, O adoram, e O obedecem, aguardando ansiosamente o derramar de Seu Espírito, e as transformações que Ele opera. Aguardando diligentemente a volta do Senhor Jesus, que vem julgar a Terra, julgará o mundo com justiça e os povos com equidade.

3 – VITUPÉRIO, INFÂMIA E VERGONHA (vs.13)

Para vituperar (injuriar, aviltar, desprezar) Neemias, Sambalate e Tobias elaboraram um plano. Para que o plano do inimigo funcionasse, era necessário que Neemias se atemorizasse e pecasse, e assim sua vida causaria infâmia e não a Glória de Deus. Mas louvado seja Deus, que Neemias não caiu nessas armadilhas. 

A realização da obra de Deus não pode ser confundida com ativismo religioso. Temos muito a fazer, mas não há como fazer nada se a comunhão com Deus não for preservada. E somente através dessa comunhão (“intimidade” Sl 25:14) é que podemos vencer os ardis, as sutilezas e armações do maligno. Seu plano continua o mesmo: nos atemorizar, fazendo-nos pecar e causar a infamação do nome de Deus.

"Infamar – Manchar a honra ou a reputação de; desacreditar, difamar. Tornar ou fazer desacreditado. Desacreditar, desonrar." (Michaelis).

Se um servo de Deus se deixar envolver com certas situações, trará sobre si o vitupério, a infâmia e envergonhará o nome de Deus, tornando-se assim inapto para a obra. Em raros casos observa-se uma restauração plena, mas na maioria das vezes o que se nota é o afastamento permanente, o ostracismo, e uma condição de cegueira. Por isso, todo cuidado é pouco!

CONCLUSÃO

Não atravesse a fronteira, o retorno pode ser árduo, lento e doloroso. A graça de Deus é suficiente e eficiente para nos restaurar completamente diante de Sua santa presença. Porém, as marcas do passado permanecerão por muito tempo, e a dependência da graça de Deus será sempre uma constante, e louvado seja Deus por isso. A Sua graça supera nosso entendimento, nos cura e fortalece, fazendo de nós novas criaturas. As memórias do cárcere e do deserto também podem nos ajudar a glorificar a Deus com mais vigor, ousadia e longanimidade. Mas quanto poderia ter sido feito por aqueles que se deixaram influenciar pelos maus conselhos. 

Quer ser um vencedor na vida cristã e na obra de Deus? Quer ter vitórias como Neemias teve? Quer superar todos os obstáculos e barreiras que surgirem? Então sempre se lembre:

• Não permita que maus conselhos te influenciem em suas tomadas de decisões. Faça a obra de Deus com zelo e temor, Ele honrará a Sua Palavra e não falhará jamais. Fique atento, pois muitos até cheios de boas intenções poderão lhe dar conselhos errados. Fique com a Palavra de Deus!

• Trate as coisas de Deus com reverência e temor, O Senhor promete honrar os que Lhe honrarem, mas os que Lhe desprezarem serão também desmerecidos (1 Sm 2:30b). Muito cuidado com essa onda de conceitos e ideologias ateístas, esquerdo marxistas, que tentam incitar até os servos de Deus a praticarem o que lhes manda o coração, e não aquilo que honra a Deus.

• Cuide de sua vida espiritual, cuide de seu coração, pois daí procedem as fontes da vida (Pv 4:23). Jamais substitua o Deus da obra pela obra de Deus. Não pense que ativismo religioso é o mais importante. Faça tudo que lhe chegar à mão conforme as tuas forças, mas coloque sempre a sua comunhão com Deus em primeiro lugar.

Pr. Paulo Sergio Visotcky da Silva
IPB de Brasilândia, culto matutino 29/11/15
Congregação Jardim Peri Alto, culto vespertino 29/11/15.

Material de apoio:
Wikipedia
Bíblia de Estudo de Genebra
Michaelis Dicionário.

SDG – Somente a Deus dai toda glória!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO