AS IMPLICAÇÕES DE UMA VIDA TRANSFORMADA POR DEUS (1) INÍCIO E MANUTENÇÃO


2 REIS 22 – 23:30

“Tinha Josias oito anos de idade quando começou a reinar, e reinou trinta e um anos em Jerusalém. Sua mãe se chamava Jedida, e era filha de Adaías, de Bozcate. Fez ele o que era reto perante o SENHOR, andou em todo o caminho de Davi, seu pai, e não se desviou nem para a direita nem para a esquerda.” 2 Reis 22:1-2.

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO

Josias foi um reformador em seu tempo. Ao estudarmos a história deste notável rei de Judá, constatamos dentre tantas lições que o próprio Deus é Quem preserva a fé no coração de Seu povo. Quantas situações ocorreram e quantas vezes maus reis dominaram com tirania sobre o povo de Deus, adorando ídolos e deuses falsos e trazendo sobre si a ira de Deus. Mas o Senhor, em Sua infinita graça e misericórdia, sempre foi em direção ao Seu povo, e lhes restaurou a fé. Foi o que aconteceu nos dias do rei Josias. Josias se destaca por ser um reformador da fé, do templo, e da vida com Deus.

A Igreja Protestante surgiu em um momento de transformações que chamamos de REFORMA. É muito pertinente traçarmos um paralelo entre os fatos narrados no Segundo Livro dos Reis, e a história da Igreja cristã, especificamente no período da Reforma, enfatizando aqui que a REFORMA e sua manutenção em si começa na vida de cada um individualmente, passando pelas famílias e chegando à Igreja.

“A Reforma Protestante do Século XVI foi o maior movimento na igreja cristã depois do Pentecostes. Não foi uma inovação, mas uma volta ao Cristianismo puro e simples, uma retomada da doutrina apostólica, um retorno às Escrituras. A Igreja Cristã havia se desviado da verdade, e introduzido doutrinas e práticas estranhas às Escrituras: o culto às imagens, a mediação dos santos, a veneração a Maria, a salvação pelas obras, o confessionário, o purgatório, as relíquias, as indulgências e a infalibilidade papal, foram alguns dos desvios mais gritantes que encontraram guarida na Igreja. Urgia uma Reforma, e Deus preparou o momento e as pessoas certas para essa volta às Escrituras. No dia 31 de Outubro de 1517, o monge agostiniano Martinho Lutero, fixava nas portas da Igreja de Wittenberg suas noventa e cinco teses, deflagrando assim, esse decisivo movimento.

Hoje, ao olharmos o cenário religioso brasileiro constatamos que a igreja evangélica precisa voltar à Reforma. Desviamo-nos do caminho da ortodoxia. As verdades essenciais da fé evangélica estão ausentes de muitos púlpitos chamados protestantes. Novidades estranhas às Escrituras têm sido introduzidas nas Igrejas sob a conivência de uns e o silêncio de outros. A Igreja protestante do século 21 já não protesta mais. Somos chamados de “evangélicos”, mas o puro Evangelho está escasseando em muitas Igrejas. Temos influência política, mas falta-nos autoridade moral. Temos poder econômico, mas falta-nos poder espiritual. Temos um explosivo crescimento quantitativo, mas falta-nos o crescimento qualitativo. Precisamos voltar à Reforma. Alistaremos a seguir três razões para esta afirmação.” (Extraído e adaptado do texto “Por Que a Igreja Precisa de Uma Nova Reforma?” de autoria do Rev. Hernandes Dias Lopes).

A NOTÁVEL HISTÓRIA DE JOSIAS

Curiosamente Josias começou a reinar com apenas 8 anos de idade (vs.1), mas foi dezoito anos mais tarde, aos 26 anos de idade, que ele começou a reinar de forma mais incisiva (vs.3a). Foi filho e neto de dois reis idólatras – Amom e Manassés – que trouxeram a ruína sobre Judá através de um paganismo nunca visto. Mas graças ao nosso bom Deus ele foi mais parecido com seu bisavô Ezequias. Por isso podemos ver no rei Josias um exemplo de fidelidade e temor a Deus. Cada um responderá de si perante Deus, o fato de seus antepassados terem sido idólatras não afetaram a sua fé em Deus. “A alma que pecar, essa morrerá”, “Quem crer e for batizado será salvo”, e “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.

(Ver também: “Josias, Servo Exemplar em Sua Retidão”, “Josias, Exemplo de Fidelidade e Temor a Deus”, e As Implicações de Uma Vida Transformada Por Deus (2) Compromisso Com a Palavra de Deus).

O REINADO EXEMPLAR DE JOSIAS

Em seu reinado Josias tomou 4 ações importantíssimas na vida da nação, e que refletem seu compromisso com Deus, seu temor, coragem e fidelidade derivados de sua fé e temor a Deus, e que trouxeram de volta a benção de Deus sobre Judá:

Reparação do Templo – 2 Reis 22:3-9
Recuperação da Lei – 2 Reis 22:8-20
Renovação da Aliança – 2 Reis 23:1-3
Reforma da Nação – 2 Reis 23:4-30.

Essas ações quando aplicadas em nossas vidas, guardadas as devidas proporções, também refletirão nossa fé e sem dúvida trarão bênçãos infindáveis para as nossas vidas, uma vez que A NOVA VIDA É UMA VIDA TRANSFORMADA, RENOVADA, REFORMADA.

Dentre os atos de Josias destacaremos a reparação do templo e aplicaremos os princípios do texto base em nossa vida espiritual.

REPARAÇÃO DO TEMPLO – SALVAÇÃO E SANTIFICAÇÃO (2 Reis 22:3-9)

A última reforma do templo tinha sido feita a cerca de 200 anos antes, no reinado de Joás (2 Rs 12:6-12). O último rei que cuidara do templo foi Ezequias, cerca de 65 anos antes. Depois dele a adoração a Deus havia sido abandonada por duas gerações. Manassés chegou a construir altares e um poste-ídolo dentro do templo do Senhor 2 Rs 21:4,7. Daí a negligência para com a manutenção do templo (2 Rs 22:6b). O estado do templo refletia o quanto o povo estava distante de Deus.

Mas Josias foi zeloso tomou as devidas providências (vs 4-6):

- o dinheiro do templo foi contado,
- os profissionais foram contratados,
- madeira e pedras lavradas foram compradas.

Aplicação: a Bíblia nos ensina em 1 Co 6:19 que somos templo do Espírito Santo, precisamos manter esse templo em perfeitas condições. Na maioria das vezes não é tão difícil, mas sempre teremos condições de tomarmos as providências. Se não cuidarmos este templo ficará em ruínas.

Certamente o Rei Josias teve que se reformar interiormente para poder servir a Deus com tamanha força e ousadia.

“Antes dele, não houve rei que lhe fosse semelhante, que se convertesse ao SENHOR de todo o seu coração, e de toda a sua alma, e de todas as suas forças, segundo toda a Lei de Moisés; e, depois dele, nunca se levantou outro igual.” 1 Rs 23:25.

Não adianta de absolutamente nada ter-se um grande e belo templo para adorar a Deus, se o templo do Espírito Santo, nós mesmo, estiver em ruínas. Por isso que a primeira ação de Deus em nossas vidas é a transformação que Ele faz, de um templo e ruínas espirituais, em um santuário agradável a Deus. Isso é o que a Bíblia chama de NOVO NASCIMENTO (Jo 3:3), ou NOVIDADE DE VIDA (Rm 6:4). Segundo Efésios 2:1-10, esse novo nascimento, essa nova vida em Cristo, traz organização para nossa vida prática através da presença de Cristo. Confira:

“1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,
2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;
3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.
4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,
5 e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos,
6 e, juntamente com Ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus;
7 para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da Sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.
8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.
9 não de obras, para que ninguém se glorie.
10 Pois somos feitura dEle, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2:1-10.

Estávamos mortos, Ele nos deu vida (vs.1,5);
Andávamos em caminhos tortuosos, Ele nos assentou nos lugares celestiais (vs.2,3,6);
Éramos condenados, Ele nos salvou com Sua graça (vs.4,8);
Ele nos deu fé, e de incrédulos fomos feitos crentes (vs.8);
Praticávamos más obras, Ele nos preparou boas obras (vs.10).

CONCLUSÃO

Toda obra tem começo e precisa de manutenção, caso contrário se deteriorará com o tempo. Assim também nossa vida espiritual teve um começo, o novo nascimento, onde passamos a viver em novidade de vida. No entanto, precisamos de manutenção, ou seja, de cuidados para que aquilo que se estragou seja substituído pelo novo de Deus em nós. Aquilo que o pecado corrompeu precisa ser restaurado, aquilo que a carne deturpou, precisa ser sarado. E quem precisa iniciar essa busca de mudanças positiva somos nós!

Num tempo onde a relativização de valores alcança as Igrejas, que o exemplo prático de Josias nos inspire a buscarmos em Deus a genuína conversão, a certeza da salvação, a santificação sem a qual ninguém verá a Deus (Hb 12:14), e a confirmação de nossa eleição em Cristo Jesus (2 Pe 1:10).

Num tempo em que o cristianismo se tornou algo tão diferente de seu início, onde é tão fácil nos afastarmos da verdade, da verdadeira espiritualidade, nos esfriando na fé, que possamos nos aproximar do nível desse homem de Deus que fez tanto, se arriscou tanto, se dedicou tanto ao Senhor pois O amou de todo o seu coração. Que possamos nos assemelhar a ele em nossas vidas.

Que Deus nos abençoe.

Material de apoio: A Bíblia Anotada.

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Brasilândia, São Paulo / SP
Culto vespertino 15/11/15.

SDG – Somente a Deus dai toda glória!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT