O QUE VOCÊ ESTÁ DISPOSTO A PERDER POR AMOR A CRISTO?


A época em que vivemos é a era do ganho. Nossa sociedade é capitalista, materialista, consumista e existencialista. Se você não entende algum desses conceitos, basta compreender o que está no centro de todas essas filosofias de vida: o eu, o meu, o que posso ganhar, o lucro pessoal, o benefício próprio. Os nossos tempos estimulam um individualismo exacerbado, que nos arrasta como um carro de Fórmula 1 pelas ruas pedregosas da vida. Acabamos destroçados pela necessidade de ganhar, ganhar, ganhar. Só seremos vistos como pessoas bem-sucedidas se ganharmos muito dinheiro, ganharmos um cargo de destaque na Igreja, ganharmos uma cobiçada vaga de emprego, ganharmos status, ganharmos títulos, ganharmos celebridade, ganhar, ganhar, ganhar! Somos levados pelo mundo ao nosso redor a crer que a vida é uma grande competição, em que ganhar diariamente (seja lá o que for) é a grande razão de estarmos sobre a Terra. Mas não é isso o que a Bíblia nos ensina.

É fácil reparar como essa forma de ver a vida invadiu a igreja e Tomou conta das pessoas, do mesmo modo que um câncer se espalha silenciosamente por um organismo. A maior prova disso é que nossa caminhada de fé tornou-se permeada pelo conceito de vitória. E só tem vitória quem triunfa, vence, ganha... “A vitória é tua!”, “Deus, nos dê a vitória!”, “Faça tal campanha na Igreja e Deus te dará a vitória!”, são os chavões do “evangeliquês”. Muitos falam mais a palavra “vitória” nas orações e nos cultos do que “Te amo Jesus!”. Parece que, para muitos, uma vida sem “vitória” é uma vida sem fé, sem bênção, sem a presença do Senhor. Em outras palavras, essa crença diz que, se não ganhamos diariamente, nossa espiritualidade é mirrada, raquítica.

Mas a Bíblia fala muito sobre perda também. Para cumprir a vontade de Deus, Abraão perdeu sua terra natal e sua parentela; Jó perdeu tudo o que tinha; Moisés perdeu a pacata vida de pastor; Jeremias perdeu a paz; Noé perdeu o respeito dos vizinhos; Paulo perdeu tudo aquilo em que cria; João perdeu a liberdade; Raabe perdeu sua cidade. A lista de personagens da Bíblia que perderam muito nesta vida é gigantesca, o próprio Senhor Jesus entregou (perdeu) Sua própria vida para nos salvar. Depois Ele ressuscitou, mas antes teve que morrer. Entendemos que na gramática de Deus, perder por amor a Ele é ganhar para a vida eterna.

“Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição; outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões. Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados, (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra. Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa, por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados.” Hebreus 11:35-40. Essa parece uma lista de “vitoriosos”? Ou parece mais a descrição de gente que sofreu perdas enormes? Tenha a certeza de que foram perdas que resultaram num ganho muito superior – por ser um ganho eterno e não terreno.

É impossível viver para Deus sem perder para si.

“Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna.” João 12:25. Jesus também afirmou: “Quem acha a sua vida perdê-la-á; quem, todavia, perde a vida por Minha causa achá-la-á.” Mateus 10:39. E nesta era em que somos instigados a ganhar o mundo inteiro, precisamos ouvir as palavras do Mestre a Seus discípulos: “Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me. Porquanto, quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a vida por Minha causa achá-la-á. Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” Mateus 16:25-26.

Se não temos de ganhar o mundo inteiro, o que, afinal, precisamos ganhar? Paulo responde: “O que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo. Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; por amor do qual perdi todas as coisas e as considero como refugo, para ganhar a Cristo.” Filipenses 3:7-8.

Eis o que precisamos ganhar: Cristo! Pois, como disse Paulo, “para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.” Filipenses 1:21. São o Rei, Seu reino e Sua justiça que devemos buscar antes de tudo mais, sabendo que assim, tudo mais nos será acrescentado.

E como se ganha Cristo?

Perdendo. Abrindo mão de si. Perco prazeres terrenos, a fim de ganhar Cristo. Perco oportunidades fraudulentas, a fim de ganhar Cristo. Perco o casamento com aquela mulher linda, mas que não é cristã, a fim de ganhar Cristo. Perco aquele negócio da China, mas que exigiria liberação de propina, a fim de ganhar Cristo. Perco a fama e deixo outros brilharem, a fim de ganhar Cristo. Perco dinheiro justo que eu deveria receber, para não escandalizar a Igreja, a fim de ganhar Cristo. Perco respeito de quem considera minha fé uma fábula e minhas crenças fanatismo, a fim de ganhar Cristo. Perco a vingança e dou a outra face, a fim de ganhar Cristo. Perco o emprego em que teria de me corromper, a fim de ganhar Cristo. Perco o que desejo e é pecado, a fim de ganhar Cristo. Perco minha felicidade se for preciso, a fim de ganhar Cristo. Perder, perder, perder. 

Assim é que perdendo se ganha. Mas o que ganhamos por essa perda, acredite, vale a pena.

O que você está disposto a perder a fim de ganhar Cristo? É a resposta a essa pergunta que vai determinar quem vem em primeiro lugar na sua vida. Será você mesmo? Ou Jesus? Suas ações responderão. E Deus estará bem atento a elas.

Colaboração: Rev. David Cestavo, IPB Aliança, São Paulo / SP.
Fonte: http://apenas1.wordpress.com (adaptado).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT