A PERSEVERANÇA DE ISAQUE

GÊNESIS 26:1-33

“Isaque construiu nesse lugar um altar e invocou o nome do Senhor.”
Gênesis 26:25a.


O que é a ÁGUA? Sabemos que ela é um dos elementos criados por Deus, e que é da maior importância para a manutenção da vida; sem água morremos. Ela, que é composta de hidrogênio e oxigênio, preenche cerca de 60% de nosso corpo, e cobre mais de 70% de todo o planeta Terra. Se isso fosse levado em consideração a sua quantidade para designar o nome do planeta, ao invés de Terra, o nosso planeta poderia se chamar “planeta água”.

Assim como tudo que Deus criou, a água é um mistério: sua consistência, formação, etc. Mas de uma coisa sabemos todos: sem ela não podemos viver. Aliás, nunca se falou tanto da importância da ÁGUA como em nossos dias. Cada vez mais escassa, alguns acreditam que em alguns anos, a água doce, potável, vai custar mais que o petróleo. São Paulo está vivendo uma crise de falta d’agua.

Mas o que isso tem a ver com a mensagem? No texto lido encontramos a história de um homem de Deus, Isaque, que em sua perseverante luta pela sobrevivência, em busca da água, viveu diversas situações que nos ensinam muito acerca de nós mesmos, nossas relações e lutas, e a presença marcante de Deus, sempre suprindo, ensinando e ajudando Seu povo.

EXPLICAÇÃO

A – Existe uma grande semelhança entre alguns destes eventos e os descritos em Gn 12:10-20 e cap.20. Naqueles contextos Abraão, pai de Isaque, e sua mãe Sara, viveram situações extremas, semelhantes a esse contexto de Isaque e Rebeca, onde sucumbiram diante medo, e mentiram. No entanto é importante explicar que são duas situações diferentes, separadas por um espaço de tempo de cerca de 97 anos. O texto nos mostra que infelizmente, Isaque repetiu o mesmo erro de seu pai Abraão.

B – “Abimeleque” não é um nome apenas, mas um título dinástico, como “Faraó”, por exemplo.

C – A perseverança da qual falamos aqui, é muito mais do que o pensamento positivo e o otimismo que todos devemos ter, mas alguns tem mais que outros. Isso até os ímpios podem ter. A perseverança da qual falamos aqui é a perseverança segundo Deus, para andarmos na presença de Deus, servindo-O mesmo em circunstâncias difíceis.

ARGUMENTAÇÃO

A história de Isaque, portanto, muito nos ensina, não somente pela valorização da água e sua necessidade; mas a grande lição que aprendemos com Isaque, foi a sua PERSEVERANÇA diante das dificuldades que se apresentavam. Você é perseverante? Como ser perseverante diante de Deus? Isaque era perseverante. Por que? O que podemos aprender nesse texto acerca desse assunto, que é de vital importância?

1 – A GRAÇA DE DEUS (1-14a)

Como qualquer um de nós, Isaque era um homem imperfeito, sujeito a fraquezas e pecados. Quando mentiu acerca de Rebeca ele pecou por falta de fé, ficou com medo. O mesmo pecado cometeu seu pai Abraão duas vezes (Gn 12:10-20; cap. 20). Mas Isaque se acertou com Deus, e mesmo sendo um pecador, o Senhor o abençoou sobremaneira (12-14a).

Somente os que têm a graça de Deus perseveram na presença dEle. A perseverança é algo nosso, nós é que temos que perseverar, nós é que temos que agir. No entanto, ela é fruto da graça de Deus.

2 – AS PROMESSAS DE DEUS (14b-22)

É impressionante o modo como Isaque resistiu às provocações e ataques dos filisteus, e não revidou. Ao invés de reclamar ou brigar, ele trabalhou confiante na promessa de Deus (3-5). E por conhecer e confiar em Deus Isaque perseverou. Os inimigos se levantavam contra Isaque, entulhando os poços de onde eles iriam retirar a água, essencial para a manutenção da vida deles mesmo e de seus rebanhos. Não havia qualquer outra coisa que fosse capaz de manter Isaque ali, senão sua confiança nas promessas de Deus. A resposta de Isaque era uma só: TRABALHO. Trabalho é sinal de confiança em Deus, a perseverança é a marca de quem conhece a Deus, as promessas de Deus, e vive alicerçado nelas.

No total o texto nos fala de SEIS vezes em que Isaque e seus servos cavaram poços naquele lugar. SEIS VEZES!!! Cada vez que os filisteus entulhavam os poços, Isaque cavava outro, é impressionante a persistência de Isaque.
Os nomes dos poços tem um significado:

1.    vs. 15 – os filisteus entulham os poços que foram cavados nos dias de Abraão;
2.    vs. 18 – Isaque cava novamente os poços de Abraão (1);
3.    vs. 19 – um poço foi encontrado. Houve contenda (2): Eseque = contenda;
4.    vs. 21 – cavaram outro poço, nova contenda (3): Sitna = inimizade;
5.    vs. 22 – cavou outro poço. Não houve contenda (4): Reobote = alargamento;
6.    vs. 25 – cavaram um poço no lugar onde Deus se manifestou a Isaque (5);
7.    vs. 32 – um novo poço foi cavado quando juraram paz (6): Seba = juramento.

2.1 – A perseverança gera obediência em nós, apesar das circunstâncias (vs.6). Isaque ficou em Gerar conforme o Senhor lhe ordenara (vs.2-3).

2.2 – A perseverança é nutrida pela oração (vs.25). Isaque invocava o nome do Senhor, isto é, Ele era um homem de oração. Certamente havia aprendido isso com seu pai Abraão, que apesar de suas fraquezas era um homem de oração.

2.3 – A perseverança é fruto da fé nas promessas de Deus (vs.3-5,24). Isaque poderia olhar para aquela situação e se desanimar, mas ele ousou confiar em Deus, e por isso foi perseverante.


3 – TINHA UM BOM CORAÇÃO (26-33)

Isaque era perseverante também porque era um homem bom. Quando procurado por seus adversários ele não revidou, não se vingou, não negou o acordo de paz. Ao invés disso ele lhes deu um banquete.

“Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda.” Salmos 23:5.

Isaque os despediu e eles se foram em paz (vs.31).

CONCLUSÃO

Com essa história de Isaque, aprendemos que:

1 – A perseverança é fruto da graça de Deus em nossas vidas. Sem a graça de Deus não somos nada. Se não fosse a graça de Deus Isaque não poderia perseverar. Se a graça de Deus é sobre nós, não temos porque não perseverar.
Isaque pecou, mentiu, mas Deus o perdoou e restaurou.

2 – As lutas vêm junto com as bênçãos; não é porque somos filhos de Deus, que em si já é a maior de todas as bênçãos, que não teremos lutas. Isaque foi abençoado por Deus, mas os inimigos se levantaram e as lutas vieram.

3 – Não podemos revidar jamais, devemos perdoar, pois Deus é quem luta por nós, e Ele é um Deus perdoador. A ordem de Jesus é clara:
“Amai vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5:44; Lc 6:27).
Se quisermos revidar estamos desistindo de obedecer ao Senhor que manda perdoar, e tentando fazer a obra com nossas próprias mãos.
“Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor.”  Rm 12:19.
Isaque poderia querer se vingar, mas ele preferiu fazer um acordo de paz.

4 – Ousemos confiar nas promessas de Deus, Ele jamais falha! Se Deus prometeu Ele cumprirá. O Senhor jamais nos desampara, creia! “Clama a mim, invoca-Me” (!) é o desafio do Senhor em Jeremias 33:3.

Trabalho é sinal de confiança em Deus; a perseverança é uma marca de quem conhece e confia em Deus.

O Senhor prometeu (24). Isaque creu, por isso perseverou.

5 – As lutas e as dificuldades não podem parar a nossa vida espiritual, que é vivida através de nosso testemunho, comunhão, orações e adoração a Deus.
Apesar de suas lutas, por fé em Deus, Isaque levantou um altar e invocou o nome do Senhor (vs. 25). Ali surgiu mais um poço. O Salmo 84:5,6 nos diz:
“Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva.”

6 – Isaque perseverou porque conhecia a Deus, andava com Deus, confiava em Deus. Quem é assim, não somente sobrevive ao deserto, mas ajuda aqueles que estão sedentos. No deserto da vida nós temos que ter em nós os poços, as nascentes, que fluem águas que saciam não só a nossa sede, mas a sede daqueles que estão ao nosso derredor. Quando Jesus falou com a mulher samaritana, eles estavam à beira do poço de Jacó, e o Senhor lhe falou da água da vida.
“És tu, porventura, maior do que Jacó, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.” João 4:12-14.
“Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” João 7:38.
“O SENHOR te guiará continuamente, fartará a tua alma até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas jamais faltam.” Isaías 58:11.

7 – Assim como a água é vital para a vida física, a perseverança é vital para a vida espiritual. Sem perseverança morremos espiritualmente, mas a atitude perseverante nos leva a encontrar os poços de água.

Recentemente foi veiculada pela mídia uma propaganda do governo dizendo que o povo brasileiro é um povo muito bom, porque é um povo que não desiste nunca. Mas todos nós sabemos que isso não é verdade. As pessoas não são todas iguais, e em todos os povos sempre há os que desistem e os que continuam lutando.

Até no meio do povo de Deus encontramos os fracos, os covardes, os desistentes, os desanimados, aqueles cujos poços do coração estão entulhados com todo tipo de pecado e impureza e por isso estão sedentos e não fluem as águas da vida.

Mas, glória a Deus, porque em muito maior número estão os perseverantes, os que obstinadamente lutam com todas as suas forças e não desistem.

Sejamos como Isaque, que perseverou porque ousou confiar em Deus.

PERSEVERE, SEMPRE!

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Culto de Louvor 16/03/14.




SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT