ESPERANÇA E FÉ DE MÃOS DADAS


"Iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do Seu chamamento, qual a riqueza da glória da Sua herança nos santos, e qual a suprema grandeza do Seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do Seu poder." Efésios 1:18-19.

No ano de 2009 algumas famílias pobres do sertão nordestino ficaram ricas da “noite para o dia”. Eles descobriram que possuíam um tesouro no quintal de casa. Na busca por água encontraram petróleo, e com o dinheiro recebido com a venda do “ouro negro”, tiveram seus problemas de falta de alimentos e água solucionados. Eles viviam em verdadeiro estado de miséria e não sabiam que estavam vivendo, literalmente, sobre um tesouro.

Eu comparo isso à realidade espiritual de muitos que vivem aquém do que Deus planejou para eles. Vivem num verdadeiro estado de miséria espiritual, porque não sabem, ainda não tomaram conhecimento, não tem noção da grandiosidade e da preciosidade das bênçãos que Deus lhes preparou, através da vida e da obra que o Senhor Jesus realizou. Roguemos a Deus, que nos faça saber, que nos revele aos corações, que bênçãos são essas!

Efésios, Filipenses, Colossenses e Filemon são denominadas as “Cartas da Prisão”, já que foram escritas durante a prisão de Paulo em Roma (Ef 3:1; Fp 1:7; Cl 4:10; Fm 9). Paulo foi preso duas vezes. Durante a primeira prisão, Paulo foi mantido prisioneiro da guarda pretoriana por dois anos (At 28:30), durante os quais estas cartas foram escritas. Ele previa a sua libertação (Fm 22), após a qual realizou várias viagens e escreveu 1 Timóteo e Tito. Depois disso, foi novamente aprisionado, quando escreveu 2 Timóteo e foi martirizado. A Carta aos Efésios foi escrita, portanto, durante a primeira prisão, ao passo que 2 Timóteo é a carta da segunda prisão. (A Bíblia Anotada).

Paulo faz algumas considerações a respeito à espiritualidade daqueles irmãos: eram irmãos que tinham fé em Jesus e viviam em amor uns pelos outros, em comunhão (vs 15). Paulo orava por eles, agradecendo pela obra de Deus na vida deles (16); e intercedia por eles, pedindo a Deus que lhes concedesse: espírito de sabedoria e revelação no pleno conhecimento de Deus (vs 17); e que eles tivessem os olhos do coração iluminados (vs 18).

Tudo isso era para que eles pudessem saber aprender, entender e conhecer o tipo de vida que Deus lhes havia concedido em Jesus, pois nem todos tinham conhecimento dessas grandiosas bênçãos. Por isso Paulo orava e intercedia por eles, e nós também precisamos orar uns pelos outros, para que nos seja concedido o entendimento e o conhecimento dessas bênçãos tão elevadas, e envoltas em tamanho mistério, que somente podemos viver dessa maneira se o próprio Deus nos ajudar, concedendo-nos espírito de revelação e sabedoria, através do pleno conhecimento dEle, e iluminando os nossos olhos do coração, ou seja, nossos olhos espirituais (vs.17-18).

Cada uma dessas dádivas de Deus está ligada a uma ação nossa, como uma resposta, uma manifestação de nossa parte. Isso faz parte da aliança que Deus fez conosco, através da salvação. O Sangue de Jesus é aval dessa aliança, e Deus promete nos abençoar; mas Ele também requer de nós reações conclusivas de Sua ação, como respostas verdadeiras. Temos a esperança de Seu chamamento, e como uma resposta, necessitamos vivenciar uma fé prática, e não apenas teórica.

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Pastoral Boletim 05/01/14.
 

SDG - A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PASTORES VOADORES

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?