A PRATELEIRA DOS SENTIMENTOS


“Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.” Romanos 12:18.

Uma das maiores vitórias que obtemos na vida, e que determina grandes mudanças em nosso comportamento, é a vitória sobre o sentimento de rejeição. Esse é um sentimento comum do ser humano, e todas as pessoas sentem-se rejeitadas em algum momento da vida (Sl 27:10). Dependendo da personalidade e do temperamento, uns superam com maior facilidade a rejeição. Outros, por não vencerem esse gigante, chegam a desenvolver um verdadeiro complexo de rejeição (Is 1:6). Tornam-se tão doídos e machucados, que qualquer coisa serve para fazê-los sofrer ainda mais (Sl 103:3; Is 53:4). O que pode intensificar ainda mais o sentimento de rejeição é a auto piedade, que quanto maior for, torna tudo ainda pior.

Amor próprio – Mc 12:29-31.
Auto piedade – Rm 12:3.

Certa vez, alguém que muito sofria por sentir-se desprezado, rejeitado e abandonado, procurou um Pastor para aconselhar-se. De fato, tudo indicava que havia uma síndrome de rejeição, algo emocional e espiritual que se desenvolvera naquela vida, devido a diversos fatores emocionais, e também de sua formação. Fatos que marcaram a sua alma, e que faziam sofrer tanto, especialmente por depositar nas pessoas um certo grau de confiança e expectativas, que quando não supridas, causavam-lhe grande dor e frustração.

O que aquele Pastor falou, mudou completamente a perspectiva de vida dessa pessoa que se sentia tão rejeitada. Imagine uma prateleira, estante, ou armário, com suas repartições e gavetas. Ao organizar a prateleira, você deve colocar na sua linha de visão, as coisas que mais lhe são úteis, caras, e que lhe agradam mais: as fotos da família, lembrancinhas que marcaram sua vida, enfeites e presentes especiais, etc. Na parte debaixo, você colocará as coisas que lhe são úteis também, mas que são secundárias, que você não dá tanto valor assim, coisas que podem ser mudadas: CDs, DVDs, canetas, agendas, blocos de notas, etc. Na parte mais inferior, você deve colocar objetos que raramente você vai buscar, coisas que absolutamente não interferem em nada na sua vida. E nas gavetas e repartições mais inferiores, aqueles objetos que são guardados, mas poderão ser descartados: fitas K7, discos antigos, manuais de instrução dos celulares, etc.

ORGANIZANDO SENTIMENTOS

O Pastor continuou dizendo para aquela pessoa, que o problema de sermos muito sentimentais, é que geralmente sofremos muito. O problema de não sermos sentimentais, é nos tornarmos insensíveis e frios. Então, qual é o ponto de equilíbrio? Muitos sofrem porque seus sentimentos estão totalmente desorganizados, como numa prateleira, onde se misturam fotos de família com manuais de instrução vencidos. É preciso organizar.

Coloque na parte mais elevada o Senhor Jesus. Ele jamais lhe frustrará. Ele É perfeito, Ele te ama, Ele não “pisa na bola”, Ele não falha, Ele É bom, puro e perfeito. Muitos sofrem porque Jesus não está em primeiro lugar nos seus sentimentos. Desenvolveram uma espiritualidade frouxa e vazia, onde Deus, se não é só uma teoria, está em terceiro ou quarto lugar na sua escala de importância e consideração. Então organize isso: coloque em primeiro lugar o Reino de Deus e Sua justiça, e todas as demais coisas lhe serão acrescentadas (Mt 6:33).

Em segundo lugar, coloque a sua família, seus entes queridos, aqueles que lhe amam de fato, e que você deve amar de todo seu coração, mais que tudo que há na Terra, abaixo de Deus. Deus estando em primeiro lugar, a família será abençoada e abraça por Ele. As questões difíceis serão tratadas por Ele, e tudo lhe irá bem (Sl 128:2; leia os Salmos 127 e 128 que falam acerca da família).

Daí por diante, vá colocando as demais pessoas em seus níveis de importância e relevância. Não coloque muitas expectativas em quem você não conhece. Não dê àqueles que lhe desprezam um lugar de tamanha importância. Coloque-os em seus devidos lugares, dentro do coração. Isso não é desprezar, não é odiar, nem retribuir com a mesma moeda, tratando mal quando for tratado assim (1 Ts 5:15). O amor cristão deve permear nossos sentimentos, porém é ilusão pensar que as pessoas são perfeitas, ou que não nos decepcionarão. Mas não seremos feridos, se elas estiverem nos seus lugares. Saberemos lidar com as situações, sem nos deixar influenciar, sem nos tornarmos iguais a estes, que por fracos que sejam, tratam com desdém e sem apreço. Quem pode e deve nos influenciar é Cristo! A Ele devemos sempre dar ouvidos, e dispor sem medo algum, os nossos sentimentos e o nosso coração.

Aquele Pastor fez a pessoa ver, que não eram só as pessoas que estavam erradas. Ela mesma também estava agindo errado ao colocar nas pessoas tão grande importância, uma expectativa que deve ser dada somente a Cristo. As pessoas falham, nós falhamos, e como lidar com as falhas, nossas e dos outros? Do modo que Cristo faz. Lembre, Ele está no nível mais elevado de importância na nossa prateleira dos sentimentos. Ele nos ensina e influencia a perdoar as falhas cometidas contra nós. Ele também nos ensina a amar ao próximo como a nós mesmos, pedir perdão se errarmos, e agir com carinho, respeito, amor, educação e delicadeza.

A partir daquele dia, essa pessoa aprendeu a lidar com as diferenças uns dos outros, sem deixar que o sofrimento entrasse em seu coração. Deus curou as feridas daquela alma, colocou o sentimento de auto piedade em seu devido lugar, e então houve mudança, crescimento espiritual e superação de traumas.

"E, respondendo Ele, disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo." Lucas 10:27.


Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Estudo Bíblico 29/01/14.

SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO