A DINÂMICA DA NAVEGAÇÃO


Por: Rev. Israel Sifoleli 

"O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito." João 3:8.

Para meu deleite e proveito, acabo de reler o livro de Atos. A gente volta aos tempos de criança! É impossível não dar asas à nossa imaginação quando nos colocamos ao lado de Paulo e sua equipe em suas viagens marítimas. É bem verdade que a preocupação de Lucas não é ressaltar detalhes da viagem, mas sim enfatizar a ação do Espírito Santo na Igreja nascente. Mesmo assim, penso não ser exagero se colocarmos Paulo ao lado dos grandes descobridores marítimos; dando-lhe, merecidamente, o título de “apóstolo navegador”. Ele fez três viagens missionárias e o livro de Atos termina com o relato de sua última para Roma.

Para mim, as viagens de Paulo são metáforas da “navegação” cristã. Assim como a Bíblia, os mestres da Igreja sempre usaram figuras para que os discípulos de Jesus Cristo pudessem compreender melhor as riquezas insondáveis do Evangelho. Consciente disso é muito interessante lembrar que as palavras “vento” e “espírito” são a mesma palavra, tanto no hebraico (AT) bem como no grego (NT). O Espírito Santo é nosso vento! Ele age de forma dinâmica: impede e impele, são movimentos essenciais! Serve para dar velocidade ou corrigir a rota, uma espécie de freio / acelerador. Ele pode soprar com toda força as nossas velas nos empurrando (potência / entusiasmo / motivação), mas também pode nos impedir de navegar por determinadas águas, resistindo e controlando nosso ímpeto.

Quem deseja navegar no “oceano do Espírito” deve compreender que o ser humano também participa com sua resposta. Os movimentos humanos, coerentes com o Espírito, são determinação e submissão. Determinação significa coragem, ousadia e perseverança. É o movimento que nos faz seguir à frente mesmo diante das maiores dificuldades. Deus não se agrada de tímidos e covardes. Submissão é o tempero sadio da determinação! Pode livrar da obstinação, autossuficiência e loucura.

É assustador e magnífico saber que, em certo sentido, nossas decisões e posturas controlam o leme. O vento do Espírito era a grande bússola que norteava a vida de Paulo, a Quem ele sempre respondia responsavelmente!

Jesus é o modelo perfeito de determinação e submissão à vontade do Eterno.

O Rev. Israel Sifoleli é Pastor da Segunda IPB de Ermelino Matarazzo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

INTRODUÇÃO GERAL AO NT (5) - A ORDEM DOS LIVROS DO NT