A PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO

Por: Rev. Paulo Sergio da Silva
IPB de Vila Gerti, S.C.Sul / SP
Estudos Bíblicos 16, 23, 30.10, 06 e 13.11.13


"...unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda." Salmos 23:5b.

O tema da plenitude do Espírito Santo tem despertado o interesse dos crentes que amam o Senhor e desejam conhece-Lo mais. As perguntas que surgem geralmente são: como ser cheio do Espírito Santo? Preciso fazer alguma coisa para isso? Existe alguma parte que cabe ao cristão neste processo? Devo orar? Devo esperar como os discípulos fizeram? Devo esperar uma situação de crise na qual Deus irá provar minha fé e, se for aprovado, receberei a plenitude do Espírito? A plenitude do Espírito é algo para apenas alguns cristãos? Um cristão cheio do Espírito Santo é a exceção ou a regra?

Não faz muito tempo que me tornei pai pela primeira vez. Por isso, recentemente eu estava pensando sobre como a gravidez é algo extraordinário. Ter uma vida dentro de nós. Que coisa fantástica! Durante a gravidez de minha esposa pude sentir a criança se mexendo dentro dela, colocando a mão sobre sua barriga. Quando isso acontecia ficava maravilhado: “Existe uma vida aqui dentro!” Dizia feliz!

Mas uma coisa é certa, esta vida, mesmo sendo pequena, opera grandes transformações na mãe. No começo, quando os hormônios começaram a agir, minha esposa ficou bastante emotiva. Até mesmo coisas simples a faziam chorar! Além disso, outras mudanças ocorreram no organismo dela. O seu cabelo ficou mais bonito, o seu organismo passou a funcionar com mais regularidade e até as dores de cabeça que tinha quase todos os dias diminuíram muito.

Mas isso não é tudo. O próprio comportamento de minha esposa mudou, pois ela deixou de fazer algumas coisas que ela gostaria, por causa do bebê. O problema seria se ela esquecesse que estava grávida. Se isso acontecesse ela correria o sério risco de fazer algo que poderia prejudicar a criança.

Mas isso não é privilégio apenas das mães. Cada cristão também possui uma vida dentro de si, pois cada cristão possui o Espírito Santo habitando dentro de si. E Ele quer realizar em nós profundas mudanças em nossa vida. Quer mudar o nosso comportamento, nossos desejos e até pensamentos. Gálatas 5:22-23 nos mostra um pouco do que o Espírito quer produzir em nossas vidas.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.” Gálatas 5:22-23.

Ele quer nos fazer mais parecidos com Jesus. O problema acontece quando nos esquecemos que existe um Ser Vivo dentro de nós. Aí corremos o risco de fazer algo que pode atrapalhar a obra que o Espírito quer realizar em nós. Todo cristão deve ser cheio do Espírito e permitir que Ele aja livremente em sua vida. Mas a plenitude do Espírito é algo de que se fala pouco em nossos dias, especialmente nas Igrejas mais tradicionais. Mas é algo que a Bíblia fala, e por isso precisamos saber.

Então surgem as questões: Como ser cheio do Espírito Santo? Preciso fazer alguma coisa para isso? Existe alguma parte que cabe ao cristão neste processo? Devo orar? Devo esperar como os discípulos fizeram? Devo esperar uma situação de crise na qual Deus irá provar minha fé e, se for aprovado, receberei a plenitude do Espírito? A plenitude do Espírito é algo para apenas alguns cristãos? Um cristão cheio do Espírito Santo é a exceção ou a regra?

A Palavra de Deus nos mostra que a plenitude do Espírito é uma obra natural, apenas interrompida pelo próprio cristão. Isso significa que não preciso convencer a Deus, de algum modo, para que Ele me encha com Seu Espírito Santo. Pelo contrário, Deus deseja que cada cristão tenha esta plenitude e opera para que isso aconteça. O papel do cristão é apenas não atrapalhar a obra divina. Em outras palavras, o cristão não se enche, mas ele “é enchido” por Deus. E essa dever ser uma realidade natural para qualquer cristão que viva uma vida cristã normal. Deus quer que você seja cheio do Espírito Santo agora, você não precisa convencer a Deus através da oração, não precisa esperar, não precisa ser provado, você pode ser cheio do Espírito antes de terminar de ler este texto, se permitir que o Espírito realize Sua obra livremente em sua vida. Tudo o que você precisa fazer é não atrapalhar.

Vejamos o que a Palavra de Deus nos ensina sobre isso.

Efésios 5.18 nos ensina:
“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito...”

A expressão “enchei-vos” é uma ordem na voz passiva no grego. Significa que nós sofremos a ação de encher, ou seja, somos “enchidos”. Porém, se encher não é uma ação que nós praticamos, como Deus pode ordenar que sejamos cheios? Na verdade, Paulo está ensinando que devemos “nos deixar encher”. Simplesmente não devemos atrapalhar esta ação.

As Escrituras nos apresentam três ordens que nos mostram como não atrapalhar a obra de Deus de nos encher com o Espírito Santo.

1 – NÃO ENTRISTECER O ESPÍRITO
“E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” Ef 4:30.

Não é possível permanecer em pecado sem entristecer o Espírito Santo. Paulo fala neste capítulo sobre o processo de santificação na vida do crente, que envolve um processo de remover de nossa vida comportamentos pecaminosos e substituí-los por ações santas. A seguir, Paulo ordena que não entristeçamos o Espírito Santo que habita em nós. Pelo contexto, nós O entristecemos quando praticamos algum dos vários pecados mencionados no texto.

Uma das principais obras do Espírito Santo em nossas vidas é nos transformar de dentro para fora. Ele muda nossos pensamentos, nossos desejos, nosso comportamento. Porém, quando permanecemos no pecado, isso entristece o Espírito Santo. Isso significa que o cristão não deve permanecer no pecado sem confessá-lo diante de Deus.

Todos nós temos pecado. O problema é que alguns de nós não tratamos o pecado adequadamente em nossas vidas, e por isso entristecemos o Espírito Santo. Infelizmente é muito comum as pessoas terem em suas vidas uma certa tolerância com o pecado. E não estou falando simplesmente de não confessar o pecado. Muitas vezes até confessamos e pedimos perdão, mas na prática faz muito tempo que deixamos de lutar contra este pecado. Ele se tornou tão comum que não fazemos mais nada para tentar mudar. Mas o arrependimento que a Bíblia descreve é diferente disso. Arrepender-se é mudar de rumo, como numa volta de 180 graus. Contudo, muitas vezes agimos como um lutador de boxe que está no ringue, mas que já entregou a luta, pois não tem mais disposição de vencer.

2 – NÃO APAGAR O ESPÍRITO
“Não apagueis o Espírito.” 1 Ts 5:19.

Se entregar à vontade de Deus; isso significa não resistir à atuação do Espírito Santo em nossas vidas, isto é, parar de dizer não ao que sabemos que Deus quer de nós.

A palavra “apagar” usada no texto significa “sufocar”,”abafar”, indicando que não devemos sufocar a ação do Espírito em nossas vidas.

A carta aos Tessalonicenses fala sobre o Dia do Senhor, e no final desta carta, ele estimula os cristãos dali a vigiarem, a estarem atentos, pois a volta do Senhor Jesus poderia acontecer a qualquer momento, e não seria bom se Ele os “pegassem de surpresa” ou os achassem desprevenidos. Por isso, Paulo dá uma serie de orientações para que os cristãos de Tessalônica seguissem de modo a estarem preparados: ajudem os fracos, sejam pacientes, alegrem-se, orem, etc. O verso anterior fala de fazer aquilo que é a vontade de Deus, e o verso posterior fala de não desprezar as profecias, que nada mais são do que a vontade declarada de Deus. Neste contexto surge a ordem: “não apagueis o Espírito”. Paulo está mostrando que os cristãos devem levar a sério a vontade de Deus para suas vidas.

Deus nos ensina aos poucos. Ele não joga na nossa cara tudo aquilo que precisa ser mudado em nós, mas nos ensina pouco a pouco o que precisa ser feito, a partir do momento em que buscamos conhecer a Sua vontade. Assim, Deus espera de nós a disposição de obedecer a Sua vontade conhecida. Não devemos nos fingir de surdo ou ignorar Sua vontade, mas devemos nos comprometer a obedecer.

Certa vez conheci um jovem que me disse querer ver grandes manifestações do poder de Deus em sua vida. Queria que o próprio SENHOR lhe aparecesse e, aparentemente, buscava isso com intensidade. Mas após alguns minutos de conversa, percebi que aquele jovem dizia querer mais de Deus, mas não tinha a menor disposição em obedecer aquilo que já sabia da Palavra de Deus. Ele me disse que obedeceria “se Deus aparecesse para ele”. São atitudes como estas que apagam o Espírito.

As coisas não são dessa forma. Deus não cede às nossas chantagens. Não é Ele que deve agir da forma que queremos, mas somos nós que precisamos fazer tudo o que Ele espera de nós. Devemos aceitar e fazer a vontade conhecida de Deus. Existe algo que você sabe que Deus quer e que você não está fazendo?

3 – ANDAR NO ESPÍRITO
“Digo, porém, andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a Lei.” Gálatas 5:16-18.

Viver na dependência do Espírito Santo significa se deixar ser conduzido por Ele. O verso 17 afirma que existe um conflito constante entre o Espírito e a carne dentro de nós. Se nos deixamos conduzir pela carne, o resultado será as obras da carne descrita nos versos 19-21. Porém, se nos deixamos guiar pelo Espírito, como afirma o verso 18, o resultado é o fruto do Espírito, descrito nos versos 22-23.

O homem é tremendamente pecador e incapaz de obedecer à vontade de Deus em sua vida. O homem sem Cristo obedece aos desejos pecaminosos que possui dentro de si. Deus sabe disso, e assim nos deu o Seu Espírito para habitar em nós de modo a nos capacitar a viver uma vida de obediência e santidade. Por isso nossa atitude deve ser simplesmente a de “andar na dependência do Espírito”. Quando fazemos isso não vamos mais satisfazer aos desejos pecaminosos que existem dentro de nós, mas vamos manifestar em nossa vida o fruto do Espírito.

Um exemplo disso é o que aconteceu com Zorobabel na sua obra de reconstrução do templo:

“Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.” Zacarias 4:6.

Deus afirma que esta obra seria realizada não por força ou capacidade humana, mas sim pelo Espírito de Deus.

Quando você anda a única coisa da qual você depende para se movimentar é de seu próprio corpo e de suas próprias forças. O que Paulo está nos ensinando aos gálatas é que o “andar espiritual” não deve ser feito nas nossas forças, pois somos pecadores e incapazes de fazer algo bom espiritualmente. O que nos permite fazer algo correto é o Espírito Santo, e por isso devemos depender dEle e não de nós mesmos. Devemos viver nossa vida não na dependência de nossa própria força, mas na confiança nos recursos que o Espírito Santo nos oferece.

A compreensão desta verdade deve levar todo o cristão à prática constante da oração. Sabe aqueles momentos em que você começa a ser tentado a cometer algum pecado? Se neste momento você acha que não irá acontecer nada, que você consegue lidar com a situação corretamente, provavelmente você irá cair. É preciso buscar os recursos que vêm de Deus.

Você já deve ter percebido que quanto mais fácil uma coisa é para você, mais tendência você tem de não depender de Deus para realizá-la. Quando reconhecemos a nossa incapacidade de fazer qualquer coisa boa para Deus, passamos a olhar para o próprio Deus como o único que pode nos capacitar a viver nossa vida cristã corretamente. Esta deve ser nossa atitude em todo o tempo.

O Espírito Santo habita dentro de nós. Você tem consciência disso? Você tem percebido o Espírito agindo dentro de você e transformando sua vida, ou será que você O tem sufocado dentro de você, a ponto de nem mais ter perceber que existe um Ser Vivo dentro de você? Ele deseja realizar uma obra em você de dentro para fora. Apenas não atrapalhe!

Extraído e ampliado do texto de Ivis Fernandes – Vida Plena no Espírito.

SDG – A DEUS TODA GLÓRIA!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ASSUMIR UMA POSIÇÃO DIANTE DE DEUS

PODE O CRENTE PARTICIPAR DA FESTA DO PEÃO?

JOSIAS, UM REFORMADOR EM SEU TEMPO